Serie A

A nova cara do calcio

Após a temporada mais sem sal dos últimos tempos na Serie A, o mais provável seria que todos estivessem lamentando o enfraquecimento do futebol italiano e o domínio de um único clube que foi campeão com muitas rodadas de antecedência e batendo o recorde histórico de pontos em uma só edição do “italianão”. Mas o que se vê é bem diferente e é fácil entender o porquê.

A Inter, que há quase 20 anos só naufragava em campanhas irregulares, contratações bizarras e vendo o sucesso do rival, finalmente saiu da fila, mas dessa vez no campo. Contratou como nunca, montou um time muito forte e, mesmo com um técnico que não está à altura do elenco, dominou a Serie A de ponta a ponta, e promete vir ainda mais forte em 2007/08.

A Roma, quase falida em 2004, ressurgiu com a contratação de Spalletti, que revolucionou o esquema de jogo da equipe, conseguiu tirar o máximo de cada jogador de que dispunha e alcançou o vice-campeonato, além da inesperada quarta-de-final na UCL e o título da Coppa Italia. Totti, fantástico somo sempre, fez as honras de artilheiro da competição. Pra próxima temporada, caso não saia ninguém, só podemos esperar um elenco ainda mais forte e unido, para quem sabe alçar vôos mais altos.

O Milan, com seu time geriátrico, seu técnico relativamente maluco e tudo mais, fez um péssimo primeiro semestre. Mas com a força que lhe é característica, chegou na zona de classificação à UCL mesmo com os pontos negativos, e claro, conquistou o troféu máximo da Europa, se vingando do Liverpool e afastando de vez o fantasma do Ataturk. Se souberem entender que está na hora de renovar alguns pontos de seu elenco, entram na briga pelo bi da UCL e pelo seu 18º scudetto.

Fiorentina e Lazio, dois times que também estiveram mal das pernas há pouco tempo e quase foram à bancarrota, acharam seus rumos. Com elencos sem estrelas mas com bons jogadores e bons treinadores, fizeram campanhas fantásticas na Serie A. O primeiro conseguiu a vaga na Copa da Uefa mesmo começando com 15 pontos negativo, que se fossem recuperados pelo clube de Florença, acabaria em terceiro lugar. Já o time romano chegou onde nem eles mesmo imaginavam: o terceiro posto, garantindo mais uma vaga italiana na UCL. Os dois times, começando do zero na próxima temporada, podem dar trabalho também.

E o principal ponto: a Serie B. De lá, tendem a voltar à elite do calcio Juventus, Genoa e Napoli. Três times tradicionais da Itália, que acrescentariam e muito para a emoção e a graça do campeonato. Ainda mais vindo em troca aos insípidos Chievo, Messina e Ascoli, que faziam hora extra no andar de cima.

Enfim, só nos resta esperar pra ver se a temporada será mesmo tudo o que promete.

Deixe um comentário