Mercado

Coisas de Roma

Em Roma, como os romanos. O provérbio, provavelmente criado por Santo Ambrósio no século IV, é antigo, porém sempre válido. Certa vez, ao Corriere della Sera, Paulo Roberto Falcão o parafraseou com propriedade: “na Roma, como os romanistas”. Para os ídolos em potencial da Cidade Eterna, não basta bom futebol. Como bons romanos – e romanistas – é a lealdade, aliada a uma boa dose de personalidade, que costuma criar os verdadeiros mitos.

Falcão explicou a teoria. A festa comemorativa dos 80 anos do clube, realizada há alguns dias,, comprovou-a. Graças à simbiose entre cidade e clube, romanos e romanistas como Giannini, Tancredi, Di Bartolomei e Totti tornam-se ídolos pelo que representam. Cabe àqueles que vêm de fora adaptar-se e correr atrás, assim como fizeram Krieziu, Falcão, Pruzzo e Aldair. Além de, é claro, evitar atritos com uma torcida apaixonada, porém irredutível. Afinal de contas, é totalmente dispensável sair como Emerson, Cassano, Capello, e, agora, Chivu.

Para torcedores de Barcelona, Milan ou Chelsea, um ótimo mercado é aquele no qual seu time contrata mais uma ou duas estrelas, e ainda preenche o grupo com alguns jogadores que seriam titulares na maioria dos outros clubes de sua liga. Mas o sonho de mercado da torcida romanista se apresenta bem mais simples nessa janela, até pelas recentes dificuldades financeiras da sociedade. O caminho da felicidade seria manter os titulares, trazer cinco ou seis peças de reposição para garantir um elenco mais farto, e, se possível, trazer alguma grande promessa.

A saída de Chivu, que poderia ser um desastre, considerando-se o nível técnico, tornou-se um favor à torcida. O romeno já possuía desde o início do mês um substituto a altura, Juan, e tudo indica que esta será a única saída de algum titular nessa janela de negociação. Contando com o dinheiro do novo patrocínio da Wind, Pradè e Spalletti deverão buscar ao menos mais dois reforços, com cerca de quinze milhões de euros a mais em caixa para a fase final do calciomercato. A transferência de Modesto é dada como certa pela mídia romana, e Dedé teria se tornado outra opção para a lateral esquerda. Outra opção que voltou a ser cogitada, com o retorno de um caixa razoável, é a contratação de Cicinho. O brasileiro não está em lua-de-mel com o novo treinador do Real Madrid, Bernd Schuster, e pode aparecer como substituto a longo prazo do já veterano Panucci. E ainda cobriria uma possível venda de Cassetti para o Monaco, como foi especulada pela imprensa francesa na última semana.

Outras opções interessantes, porém pouco prováveis, seriam a vinda de um volante ou um atacante. Um volante, hoje, seria o mais importante para o grupo. Tal jogador evitaria o recuo de Taddei, Perrotta ou Aquilani para a posição, caso seja necessário no decorrer da longa temporada. Hoje, o elenco só teria De Rossi, Pizarro, Brighi e Barusso para duas vagas, sendo que o último se recupera de lesão e Brighi ainda pode ser envolvido em alguma negociação. É visível a preferência da torcida pela chegada de um atacante, mas, como Spalletti garante que o esquema tático da próxima temporada será o mesmo desta, dificilmente um outro centroavante reforçará o plantel. O elenco já conta com Totti e Vučinić, além de Zarineh, promessa vinda da Serie C2.

4 comentários

  • Parabéns pelo blog, muito completo e com certeza vai ser referência para o futebol italiano, em termos de blog. Um grande abraço a todos.
    PS: Podemos ser parceiros, tenho um blog – Futebol e Análise.

  • A Roma é o único time italiano que eu simpatizo… vai ver que é por isso:

    “Para os ídolos em potencial da Cidade Eterna, não basta bom futebol. Como bons romanos – e romanistas – é a lealdade, aliada a uma boa dose de personalidade, que costuma criar os verdadeiros mitos.”

    Chivu saiu e gerou lucro. A chegada de Juan deixa o time da mesma forma, ou talvez melhor.

    Mas sim, acho que dois bons jogadores são necessários para o time. Um volante e um atacante, referenciais nas posições, como foi bem apontado na postagem.

    A Inter sempre com um sinal de interrogação; com o Milan envelhecido (apesar da conquista da UCL e de contratações como a do menino Pato); e com a Juventus récem-promovida; contratando boas peças e com um pouco de sorte, pode-se até sonhar com um “calcio romano” para esta temporada.
    😀
    _________

    Abraços!

  • A Roma tem time para brigar, mais uma vez, pela Liga dos Campeões. Acho que só catástrofes com Inter e Milan farão com que a Roma possa sonhar com o título.

    Para a situação financeira da equipe, creio que esteja de bom tamanho.

Deixe um comentário