Serie A

Líder e ponto

Inter 4-0 Torino – Ibrahimovic (p), Cruz, Jiménez, Córdoba.
Saio de casa para acompanhar o Braitner ao vestibular e o placar aponta 0 a 0, final de primeiro tempo, jogo equilibrado, com o Torino criando boas chances de gol e uma Inter sem inspiração. Ventola conseguia receber boas oportunidades e Comotto, por pouquíssimo, não fez um gol da linha de fundo, encobrindo Júlio César. Volto para casa e me deparo com um 3 a 0, e, impressionante, o mesmo futebol. Com um pênalti meio mandraque sofrido e convertido por Ibrahimovic, os nerazzurri abriram o placar e seguiram em frente. Jogando em casa, a squadra de Roberto Mancini amplia com o sempre matador Julio El Jardinero Cruz.

Ibra, de novo ele.

O Torino se vê forçado a atacar mas não consegue nada mais que sofrer outro tento, desta vez do iluminado Jiménez, incluso na lista dos 10 bidoni d’oro do ano. Para completar, Córdoba sobe ao ataque e, em jogada de escanteio, cabeceia para o gol, igualando seu recorde pessoal de gols em uma temporada (4, como em 2005/06). Já com 4 a 0 no placar, Natali quase deixa o gol de honra dos visitantes, cabeceando no travessão. Fica no quase e a Internazionale, mais líder do que nunca nesta temporada, toma 5 pontos de vantagem sobre a Roma, diferença que na temporada passada era de 7 pontos. Já o Toro se localiza a 3 pontos da zona de rebaixamento, na 13ª colocação.

Palermo 2-0 Fiorentina – Miccoli, Fábio Simplício
Fim-de-semana iluminado para o Palermo, que esquece das turbulências atuais e fatura uma excelente vitória sobre a decandente Fiorentina, porém sempre viva no jogo. O time rosanero sae na frente aos 17 minutos, quando o pequenino Miccoli recebe fantástica assistência do brasileiro Amauri e explode o estádio. Os viola seguem tentando fortemente, com o Palermo explorando os contra-ataques, sempre em direção de Amauri. A Fiorentina depende de Montolivo, que força Fontana a fazer um milagre ainda no primeiro tempo. Mudanças no segundo tempo não conseguem levar os visitantes ao empate.

Miccoli: grazie Amauri!

Para o segundo tempo, Prandelli saca Liverani e dá lugar a Semioli. Antes disso, o treinador já havia trocado Potenza por Santana. O Palermo tenta fortalecer-se mais na retaguarda e Guidolin tira Miccoli de campo para fazer jogar Bresciano. Aos sessenta e seis minutos, a última tentativa dos viola: Entra Gobbi no lugar de Pasqual. Uma tentativa infeliz, visto que pouco tempo depois Gamberini se lesionou e forçou os visitantes ao jogo com 10 homens em campo e Donadel improvisado de zagueiro. O imprevisto desgasta a Fiorentina tanto física quanto taticamente. E, para fechar o caixão, o brasileiro Fábio Simplício amplia o marcador aos 87 minutos e consegue três pontos preciosos para os mandantes, que de cabeça erguida vão à oitava colocação, com 21 pontos, os mesmos do Napoli. Já os viola ficam na quinta posição, com 24 pontos, atrás da Udinese, que agora soma 28.

3 comentários

Deixe um comentário