Serie A

Parada de inverno: Cagliari

Com o início das festas de fim de ano, o calcio encontra, finalmente, um bom intervalo. Se bem utilizado, pode ser o diferencial de alguma equipe na busca de um sprint no returno. Ou ainda pela manutenção da campanha atual.

Em pílulas, o Quattro Tratti trará para os leitores um pequeno raio-x das campanhas dos vinte times da Serie A até o momento, diariamente, a começar do lanterna Cagliari. Você também poderá conferir os textos no Futebol Europeu. E antecipamos o desejo de boas festas neste fim de ano, somado ao agradecimento a nossos fiéis visitantes. Feliz natal e um ótimo 2008!

CAGLIARI

Alessandro Matri comemora gol, na primeira rodada: cena rara no Cagliari

A campanha
20ª colocação. 17 jogos, 10 pontos. 2 vitórias, 4 empates, 11 derrotas. 13 gols marcados, 33 sofridos.

O time-base
Marruocco, Ferri, López, Bianco, Agostini; Fini, Parola, Conti, Budel, Foggia; Acquafresca (Matri).

O comandante
Nedo Sonetti. Marco Giampaolo caiu na 11ª rodada e esteve para voltar antes da 17ª, quando rechaçou a intimação do presidente Cellino após o pedido de demissão (posteriormente recusado) de Sonetti. Mas nenhum sucessor poderia ser melhor que o traghettatore, em sua terceira passagem pelo clube. Afinal, ostentar seis rebaixamentos no currículo é feito para poucos.

O herói
Daniele Conti, meio-campista. Jogue mal o time ou pior ainda, Conti mantém-se como ponto de referência no meio de campo, organizando a defesa e municiando o ataque – ou ao menos tentando fazê-lo. Em sua nona temporada no clube, o agora capitano é o jogador mais regular de um time perdido. Mas com certeza sente falta dos tempos em que era somente um coadjuvante de um adversário encardido.

O vilão
Massimo Cellino, presidente. As saídas de Esposito e Suazo renderam cerca de €15 milhões aos cofres sardenhos. Com estes euros convertidos em contratações, como queria a torcida, talvez a situação do clube no campeonato fosse outra. Porém o terreno das suposições é etéreo e Cellino optou por investir a bagatela de €25 milhões na recuperação do Sant’Elia. Saber o que priorizar é uma bênção.

A perspectiva
Escapar do rebaixamento. Era difícil esperar algo que não o rebaixamento do Cagliari após a perda de Esposito, Langella e Suazo, mas a contratação de Giampaolo e alguns de seus homens de confiança no Ascoli sensação de duas temporadas atrás fez ressurgir a esperança no Sant’Elia. Mas o ambiente do clube comandado por um presidente que é o primeiro a insurgir nas crises tem provado que nessa temporada o Cagliari faz hora extra na divisão principal. Os rossoblù entraram na zona de rebaixamento há seis rodadas, e pegaram a lanterna há três. Com todos os méritos.

1 comentário

Deixe um comentário