Seleção italiana

Ainda sobre o manto…

por Rodrigo Figueira:

Acabo de ver o (em potencial) novo uniforme da Seleção Italiana e ainda não encontro palavras para exprimir a minha revolta. Deveriam castrar o animal responsável por um desrespeito desses, para não deixar descendência.

Esse não é o uniforme de Maldini, de Baresi, de Baggio ou Totti, não é o uniforme de Facchetti, de Gigi Riva ou de Bruno Conti. Aquele short marrom – que parece ter saído do banheiro – é uma cusparada em cima da história da Azzurra. É um desrespeito a um dos maiores símbolos italianos.

Se querem encher o uniforme de palhaçadas para vender mais, que façam isso com a camisa reserva, ou que criem um terceiro uniforme, não me oponho a nada disso. Mas com a Maglia Azzurra não, desgraçados! A camisa italiana em azul real com shorts brancos era um estandarte, uma bastilha inexpugnável. Dava medo em todos. Essa camisa não! Essa camisa não dá medo em ninguém. Aliás, devia-se proibir a utilização de tons de bebê em uniformes de futebol.

De mais a mais, digo apenas que minha irritação vem não só da mudança do tradicional azul real, mas também da escolha das novas cores. É preciso que as pessoas de discernimento orientem os bobos alegres que hão de se empolgar com a novidade. É necessário que expliquem aos imbecis por que ninguém de caráter deve comprar essa camisa, por que ninguém deve dar dinheiro a esses desgraçados.

Rodrigo é advogado, torcedor e nervosinho, não necessariamente nessa ordem.

3 comentários

Deixe um comentário