Categorias de base

Libor Kozák, a Lazio e o Campeonato Primavera

Aprendeu italiano, ganhou confiança, se ambientou, ouviu os conselhos do compatriota Rozehnal e encontrou seu lugar dentro de campo. Libor Kozák ia se convertendo num pequeno “flop” entre as contratações da Lazio para esta temporada, mas nas últimas semanas mostrou que pode, sim, fazer valer o investimento – especula-se que Claudio Lotito tenha pagado cerca de 1,3 milhão de euros pelos seus direitos e um contrato de cinco anos.

Kozák, classe ’89, foi encontrado na Série B da República Tcheca. Centroavante no melhor estilo Luca Toni, marcou 18 gols em 29 partidas pelo SFC Opava e logo chamou atenção na seleção sub-19 de seu país, onde se tornou protagonista com três gols em quatro jogos. Na primavera da Lazio (ou juniores, em bom português), passou por uma adaptação até começar a deixar sua marca e apontar para o futuro ao lado de outros jovens talentos de Formello, como os defensores Alessandro Tuia e Davide Faraoni, o meia Antonio Cinelli e o atacante Ettore Mendicino.

Um dos maiores problemas na adaptação de Kozák foi sua inserção no ambiente laziale, com uma indecisão da comissão técnica em aproveitá-lo ou não no time principal. O tcheco começou a pré-temporada entre os profissionais, mas a pouca perspectiva de jogo o conduziu à base ainda em agosto. O retorno está previsto para depois da pausa de fim de ano, com Delio Rossi preparando-o para uma inserção em médio prazo – suas características bem diversas dos atacantes à disposição do técnico podem ajudá-lo a buscar espaço, ainda que seja muito cedo para colocá-lo na Serie A.

Desde que voltou a ser relacionado pelo técnico Roberto Sesena, o tcheco marcou quatro gols nos últimos cinco jogos (todos com vitória) da Lazio no Grupo C do Campeonato Primavera – o sprint deu à Lazio a liderança isolada na chave, com seis pontos à frente da Roma, líder até três rodadas atrás. Salernitana, Ascoli, Avellino, Fiorentina e, no último sábado, Ancona. A lista de vítimas do time não para de crescer e, ainda que apenas 11 dos 26 jogos do grupo tenham sido disputados, é difícil imaginar os biancocelesti longe das oitavas-de-final. Ótima chance para Kozák mostrar ao que veio.

Como é e como estão
O Campeonato Primavera, ou Troféu Giacinto Facchetti, é dividido em três grupos de 14 times, montados por critérios geográficos, representando todos os clubes das séries A e B do país. Para as oitavas-de-final, classificam-se os cinco melhores de cada grupo, além do melhor sexto colocado. Podem disputá-lo atletas entre 15 e 20 anos, mas a cada partida podem atuar até dois jogadores sem limite de idade. Na fase final, os “fuoriquota” não podem ter mais de 21 anos. A final da edição 2008-09 está marcada para 9 de junho. A atual campeã é a Sampdoria e o Torino é o maior vencedor da história, com oito conquistas, a última em 1992.

No grupo A, a Juventus lidera com cinco pontos de folga sobre a Sampdoria. O time de Massimiliano Maddaloni não terá problemas para se classificar. O meia espanhol Yago Falqué, contratado junto ao Barcelona em julho, é o grande destaque do time e marcou três gols na última partida da Juve, contra o Grosseto. Alguns jogadores do elenco têm sido convocados para suprir as várias perdas por lesão do time de Ranieri. O lateral Lorenzo Ariaudo e o meia Luca Castiglia fazem sua última temporada pela primavera bianconera e podem ser aproveitados na próxima temporada.

A Samp começou bem no Grupo A, mas passou por uma crise em novembro que culminou numa manifestação de torcedores que pediam que a base blucerchiata não se espelhasse nos profissionais. O grupo é bastante jovem: do elenco campeão da temporada passada, só sobraram o técnico Fulvio Pea, o goleiro Vincenzo Fiorillo e os meias Mattia Mustacchio e Guido Marilungo, este último a grande promessa do vivaio do time. O candidato a surpresa do grupo é o Siena, que mostrou nos torneios de verão um time de futebol interessante, mas até hoje inconstante.

No grupo B, a Albinoleffe surpreende na liderança, um ponto à frente do Chievo. A ótima campanha dos azzurri, aliás, deu à Internazionale sua única derrota até agora no torneio. O atacante Giacomo Beretta, classe ’92, assumiu a titularidade no decorrer do campeonato e é tido como a grande jóia da base do clube. No Chievo de Paolo Nicolato, outro atacante se destaca: Valerio Anastasi.

A Inter é a terceira do grupo B, mas conserva alguns nomes do time vice-campeão do torneio passado e campeão de Viareggio em fevereiro último, como o artilheiro Aiman Napoli e o goleiro esloveno Vid Belec. O zagueiro romeno Cristian Daminuta é uma grata surpresa. Quem decepciona bastante é o Milan. Pra quem busca uma renovação no grupo principal, a vice-lanterna num grupo acessível é uma notícia horrível na estréia do técnico Chicco Evani, meia do clube por treze temporadas e campeão com os allievi (sub-17) em 2007. Com um elenco considerado um dos mais fracos dos últimos anos, a crise em Vismara parece inadiável.

No grupo C, liderado pela Lazio, a Roma deve lutar até o fim pela liderança, apesar da recente queda de produtividade. Desde a vitória no dérbi da capital, foram três empates e uma derrota sob o comando de Alberto De Rossi, pai do ícone romanista Daniele De Rossi. A dupla romena Alex Pena (goleiro) e Sebastian Mladen (lateral-direito/zagueiro), contratada em julho com grande expectativa, se firmou entre os titulares sem dificuldades. Em mais uma boa fornada giallorossa, que apresenta um grupo bem consistente para compensar a falta de jogadores extraordinários, também têm se destacado o zagueiro Riccardo Brosco e o atacante Marco D’Alessandro. No Napoli, o norte-americano Vincenzo Bernardo é a grande esperança. Na Fiorentina, as coisas desandaram desde a lesão do brasileiro Jéfferson.

Saiba mais
A classificação completa do Campeonato Primavera você pode conferir no site oficial da Lega Calcio, clicando aqui. Já a tabela de jogos, você encontra neste link.

Deixe um comentário