Serie A

Parada de inverno: Inter

A melhor Serie A dos últimos anos está parada até a semana que vem. Antes disso, durante esta semana – um pouco atrasado, é verdade – o Quattro Tratti disponibilizará, como no ano passado, um pequeno raio-x das campanhas dos vinte times da Serie A até o momento, diariamente, a começar da líder Inter.

INTER

Ibrahimovic sorri: absoluta, a Inter se aproxima do tetra

A campanha
1ª colocação. 17 jogos, 42 pontos. 13 vitórias, 3 empates, 1 derrota. 31 gols marcados, 11 sofridos.

O time-base
Júlio César; Maicon, Cordoba, Samuel, Maxwell; Zanetti, Cambiasso, Muntari; Stankovic; Ibrahimovic, Cruz.

O comandante
José Mourinho. Desde que aportou em Appiano Gentile, o técnico português enfrentou muitos problemas com a cobertura jornalística feita na Itália e, em especial, com a indisciplina de Adriano. No início de seu trabalho, insistindo em implantar o 4-3-3, só depois de algum tempo é que o Special One percebeu quanto o esquema se mostrava infrutífero . A equipe jogava mal, apesar de conseguir resultados. A partir do momento em que trouxe de volta o conhecido 4-3-1-2, adotado durante a era Mancini, Mourinho conseguiu dar consistência à equipe, aproveitando o melhor de jogadores como Stankovic e Maicon, que, no módulo anterior ficavam muito limitados à marcação. O grande mérito do treinador, até agora, foi fazer com que a Inter jogasse com grande espírito de equipe, nesta primeira parte da temporada. Uma amostra da coletividade é a quantidade de interistas que marcaram gols nesta Serie A: 11, ao total. Contratado por Massimo Moratti para dar uma Liga dos Campeões ao time nerazzurro, Mourinho não conseguiu que a Inter tivesse uma boa primeira fase na competição européia. Num grupo bastante fácil, a classificação foi suada e em segundo lugar. O técnico de Setúbal disse que a verdadeira Inter aparece em fevereiro. Será?

O herói
Zlatan Ibrahimovic. Mesmo que Cruz, quando jogue, ainda marque seus gols heróicos; Stankovic tenha recuperado sua boa forma e Maicon seja peça fundamental no elenco nerazzurro, Il Genio merece menção especial. O sueco, que já estava jogando muito na temporada passada, se encontra no ápice de sua forma. Com 10 gols marcados no campeonato, Ibra é o motor da Inter na Serie A: participa ativamente dos jogos, contribuindo com movimentação, passes açucarados e gols importantes. Sozinho, decide jogos para a equipe de Via Durini, como marcando uma série de doppiette ante Roma, Palermo e Chievo, ou com grande partida contra a Lazio. Depois de algum tempo sem ter candidatos reais à Bola de Ouro, os torcedores da Internazionale podem sonhar em ter o melhor do mundo em seu elenco.

O vilão
Ricardo Quaresma. Contratação mais cara feita pela Inter na temporada, o português chegou como grande aposta de Mourinho para brilhar em uma das pontas de seu 4-3-3. Porém, antes mesmo de o esquema preferido do seu compatriota fracassar, Quaresma não demonstrava bom futebol. Embora Mourinho insistisse no jogador, como para provar que a saída do promissor Pelé poderia ser positiva, o ex-portista não correspondia em campo. A decadência da tática favorita do treinador interista fez com que o winger começasse a freqüentar, cada vez mais, as tribunas do Giuseppe Meazza. Para completar, Quaresma estreou na Serie A sendo eleito Bidone d’Oro.

A perspectiva
Scudetto e título na Liga dos Campeões. Se o título italiano parece ser conseqüência da manutenção da ótima vantagem de seis pontos sobre a Juventus – através da continuidade da postura da equipe e das boas apresentações no campeonato –, para lutar pelo título da LC, a Inter precisa fazer diferente. O segundo lugar, conseguido a duras penas, no fácil grupo B depositou uma pulga atrás das orelhas de toda a comunidade interista. Duelar com o Manchester United, atual campeão, pode ser vantajoso para a equipe de José Mourinho – que já declarou ter gostado muito do sorteio. Caso passe pelos Red Devils, a Inter deve ganhar bastante confiança para o resto do torneio. No entanto, a meta mais realista, a princípio, é passar das oitavas.

Deixe um comentário