Serie A

Salvem a professorinha!

O último fim de semana da Serie A teve um detalhe interessante. Os quatro times que começaram a 33ª rodada nas primeiras colocações somaram apenas quatro pontos (vitória do Milan e empate da Juventus). Por outro lado, os quatro da rabeira, que devem mesmo ser os protagonistas da luta contra o rebaixamento nas últimas cinco rodadas do campeonato, juntos somaram dez pontos: o único tropeço veio da lanterna Reggina.

Em condições normais, os calabreses bem que poderiam se vangloriar do resultado obtido, mesmo jogando em casa. Segurar um empate com a Juventus na reta final do campeonato é um grande feito. E por pouco não foi mais, já que a Reggina ainda ficou duas vezes na frente do placar. O time que Nevio Orlandi reassumiu em janeiro finalmente achou um padrão e melhorou seu jogo nas últimas semanas. Ainda assim, a salvezza é quase miragem.

Mazzarri, hoje na Sampdoria, arquitetou a salvação da Reggina por três anos

Os amaranto têm feito milagre sobre milagre para se manter na Serie A desde que retornaram, em 2002. Nas três temporadas com o mago Walter Mazzarri, em especial, os resultados foram fantásticos para os padrões calabreses: um 10º lugar em 2004-05 e um 14º dois anos depois, mesmo perdendo 11 pontos pelo envolvimento no calciopoli – sem a penalização, terminaria o campeonato entre os oito primeiros. Mas, dessa história, não sobrou quase ninguém: o goleiro Campagnolo foi afastado no mês passado e os meias Vigiani e Cozza passaram meia temporada lesionados. Por outro lado, se foram Amoruso, Modesto, Mesto, Aronica, Bianchi…

E não foram substituídos a altura. As únicas contratações indiscutíveis tiveram custo ínfimo: o jovem chileno Carmona e o veteraníssimo Corradi, que já tem dez gols na temporada da Serie A e igualou seu recorde pessoal – já havia marcado dez vezes por Chievo (2001-02), Lazio (2002-03 e 2003-04) e Parma (2005-06). Por outro lado, o zagueiro Santos, o ala Sestu e o atacante Rakic, peças que seriam importantes para uma modesta Reggina, não conseguiram convencer. Das jovens apostas, esperava-se mais de Barillà (que marcou um dos gols contra a Juve) e, principalmente, dos atacantes Ceravolo e Stuani. Di Gennaro foi outro homem de frente subaproveitado, com poucas chances no time titular mesmo depois da bela partida contra o Milan, seu ex-time.

O clube calabrês segue na última posição desde a primeira rodada do returno, agora a três pontos do vice-lanterna Lecce. Derrotado na penúltima rodada pela Roma graças a um pênalti mal marcado sobre Júlio Baptista, nesse fim de semana os salentini bateram o Catania e evitaram perder o Torino de vista na fuga contra a Serie B. Sob o comando de Luigi De Canio desde o início de março, o time respondeu bem, mas ainda assim pode ser tarde demais. Um dos poucos destaques é o lateral-esquerdo Esposito, que deve trocar de camisa giallorossa e partir para a capital na próxima temporada.

Já com dez gols na Serie A, Corradi repete suas melhores marcas na competição

O Bologna, o melhor entre os piores, está a um ponto da salvação depois de protagonizar a maior zebra do fim de semana, com a vitória sobre o Genoa, que com a derrota caiu para a quinta posição. Um dos gols foi do ressuscitado Marco Di Vaio, artilheiro da Serie A e responsável por 21 dos 36 gols dos rossoblù na temporada. Sem ele, já seria tarde demais para o Bologna. O pior entre os melhores é o Torino, em campanha lamentável. As temporadas esquecíveis de Rosina, Corini e Sereni se misturaram com as especulações sobre a venda do clube para um suposto “mr. X” e o Toro não consegue se safar de vez da degola. Em sua pior campanha desde que voltou à Serie A, só não está em estado terminal por conta do belíssimo gol de Bianchi que valeu a vitória contra o Siena, no domingo.

Praticamente livres da Serie B estão Chievo e Siena. O campeão da cadetta passada correu sérios riscos, mas engatou um sprint a partir do fim do primeiro turno e já tem uma vantagem razoável para disputar de forma tranquila as rodadas finais. Já os bianconeri de Marco Giampaolo alternam grandes partidas com alguns apagões, mas têm jogado bonito e convencem ao ponto de já mostrarem total despreocupação a respeito do rebaixamento. A próxima rodada já tem poder de definição. O confronto direto entre Bologna e Reggina, sábado, pode derrubar de vez o time da Calábria. Nesse caso, os gialloblù ficariam em boa posição, aproveitando-se das missões espinhosas de Lecce, Torino e Chievo: respectivamente, Juventus, Fiorentina e Roma, todos fora de casa.

Referência ao título aqui.

2 comentários

Deixe um comentário