Serie A

Seu reino por um divã

Mais uma vez julgado: os problemas extracampo minam o futebol do “Imperador”

É impossível contar quantos problemas de ordem disciplinar e/ou psicológica Adriano teve nos últimos quatro anos. Desde a morte de seu pai, o atacante vive uma fase de muita inconstância, tanto em termos sentimentais quanto futebolísticos. Esperado em Appiano Gentile (centro de treinamentos da Inter) nesta quinta, para surpresa – e tristeza – do treinador José Mourinho, Adriano não apareceu. Mourinho fez questão de afirmar que o caso “não é de indisciplina, mas de algo pior”.

Desde que saiu do estádio Beira-Rio, na quarta-feira, o Imperador não aparece publicamente. A partir de então, começaram a circular boatos de diversos temas e teores: falou-se sobre infelicidade de Adri em relação a sua condição de reserva no clube e na Seleção; de sua participação em festas organizadas por traficantes cariocas; depressão causada por ruptura com a namorada (após uma festa de 12 horas na companhia de modelos e travestis) e até mesmo que estivesse morto. Gilmar Rinaldi, empresário do atacante nerazzurro (até então, já que a Gazzetta afirma que a relação entre os dois anda fria), falou apenas que Adriano “está com problemas pessoais, mas que estão sendo resolvidos” e que “está com a família”. Até mesmo a CBF divulgou uma nota oficial confirmando o que disse Gilmar Rinaldi, para evitar mais especulações.

Parece claro que os nervos do bomber estão em frangalhos. Mesmo depois de ter recebido ajuda de Roberto Mancini e de sua comissão técnica, mas não ter correspondido em campo, ele recebeu nova chance – desta vez dada por José Mourinho. Adriano jogou bem em alguns jogos e foi decisivo contra Sampdoria e Milan (sua grande partida na temporada), porém não parece se encontrar: qualquer coisa é motivo para baixar seu moral.

Às vésperas da Copa do Mundo, parece improvável que ele tenha condições psicológicas de ser titular em algum clube, condição essencial para lutar por uma vaga no grupo brasileiro que irá para a África do Sul. No entanto, antes de buscar esta vaga, creio que o Imperador necessita estar focado em recuperar seu psicológico abalado: talvez fosse o caso de se afastar dos holofotes da mídia (que parecem fazer-lhe tão mal) e até mesmo ficar um período afastado do futebol, para fazer um tratamento psicológico (e talvez psiquiátrico) intensivo. Este final de temporada poderia ser o ponto de partida.

Atualização: a ex-namorada de Adriano declarou nesta terça, ao diário Extra, que ele não se sente mais feliz com o futebol e só se sente o Imperador quando está na Vila Cruzeiro, onde nasceu e cresceu. Em entrevista coletiva, Gilmar Rinaldi afirmou que o atacante ficará no Rio de Janeiro por tempo indeterminado.

1 comentário

Deixe um comentário