Serie A

Só a Fiorentina salva

“Jovetic is everywhere!”, disse o comentarista da ESPN internacional
A partida que parecia ser a mais difícil para os times italianos, nessa segunda rodada da Liga dos Campeões, foi a mais “simples”. Jogando em Florença, ontem, contra o “todo poderoso” Liverpool, a Fiorentina fez sua melhor partida sob o comando de Cesare Prandelli e venceu por 2 a 0, quebrando a série negativa dos italianos contra os ingleses.

Com Fernando Torres muito isolado na frente, os viola não tiveram dificuldades para anular o atacante espanhol e dominar o primeiro tempo de jogo, atuando com organização e intensidade. A velocidade de Vargas e Marchionni, pelos lados, foi essencial para que a pressão dos mandantes desse certo, a boa partida de Zanetti, à frente da zaga, também, dando segurança ao time, mas quem decidiu mesmo foi Jovetic, que conseguiu uma doppietta, depois de tanto incomodar a defesa adversária. Aliás, o jovem montenegrino vem sendo a principal peça da Fiorentina na temporada, mesclando sua técnica, já conhecida, com um bom jogo de equipe, que não aparecia no último ano.

Os gols vieram aos 28 e aos 37, ambos antes do intervalo. No primeiro, Zanetti avançou com a bola dominada e deu belo passe para Jovetic marcar. No segundo, JoJo desviou chute cruzado de Vargas e enganou o goleiro Reina. Na etapa complementar, o Liverpool voltou mais agressivo e até conseguiu algumas oportunidades, mas Frey fez boas intervenções. Depois dessa pressão inicial, a Fiorentina voltou a dominar o jogo e não passou por muitos perigos. Os três pontos deixam os viola empatados com o Liverpool, na segunda colocação, atrás do Lyon, que já soma seis.

Na Rússia…

.

Foi o sétimo jogo seguido sem vitória da Inter de Mourinho na Liga dos Campeões Em situação oposta, ou seja, no desafio que parecia o mais fácil da rodada para os italianos, estava a Inter, que foi à Rússia enfrentar o Rubin Kazan. O que encontrou lá, no entanto, foi exatamente o oposto. Em um jogo em que já estava atrás no placar aos dez minutos, os nerazzurri mais uma vez mostraram instabilidade e só não saíram derrotados de Kazan por causa das boas defesas de Júlio César e do gol de Stankovic.

Enquanto o time da casa já estava com todo o gás, ligado na partida e atacando, os comandados de Mourinho pareciam nem ter entrado em campo ainda. Tanto é que, aos dez, após apagão defensivo da Inter, Dominguez partiu com a bola do meio-campo e, depois de driblar dois marcadores, abriu o placar. Não satisfeita, a squadra de Milão ainda demorou um pouco para entrar no jogo e só conseguiu superar o Rubin Kazan pouco antes do gol de empate, quando conseguiu manter a bola nos pés. Aos 27, então, depois de bom cruzamento de Maicon, Stankovic igualou o placar, de cabeça.

Dali pra frente, os nerazzurri conseguiriam controlar o jogo, apesar de algumas investidas perigosas dos mandantes, até os 15 minutos do segundo tempo, quando Balotelli tomaria o segundo amarelo e seria excluído do jogo. Depois, foram 30 minutos de ataque contra defesa, nos quais Lúcio e Cambiasso, os mesmos que cochilaram no primeiro gol, foram muito bem e fecharam os espaços. Somando-se a isso as grandes defesas de Júlio César, o time de Mourinho ainda saiu no lucro e agora soma apenas dois pontos no Grupo F, ficando atrás de Barcelona e Dínamo de Kiev.

*Amanhã, texto sobre a derrota do Milan para o Zurich, no San Siro, e o empate sem gols entre Juventus e Bayern, em Munique.

Deixe um comentário