Categorias de base

E tu come stai?

É fácil culpar Ranieri. Mas no ambiente romanista, o buraco é mais em cima (Getty Images)

Não vale muito a declaração de Mourinho de que o jogo entre Inter e Roma deste domingo (ao vivo a partir das 17h30 aqui no blog) é uma disputa direta pelo título. Não é a primeira e nem a última vez que o português usa a mídia para tirar o foco de seus jogadores, mas o exagero de abstrair estes 14 pontos e mais a qualidade técnica que separam os dois times foi seu ápice. Por um simples motivo: aquela Roma de Spalletti, da qual Mourinho se cansou de falar no ano passado por sua beleza (e ineficácia), já não existe mais.

O ambiente giallorosso, que nesta década só esteve em paz sob o comando de Capello e nos primeiros três anos da gestão de Spalletti, se foi de vez. A torcida se perdeu junto: jamais a Curva Sud havia vaiado o autor de um gol do time, até fazê-lo com Vucinic, que marcou seu primeiro gol da temporada na rodada passada. Claudio Ranieri seria o homem para recolocar essa boa Roma nos trilhos com a sua seriedade, mas ele já se sente só.

Ranieri já deixou bem claro que atrás das flores há quem vá contra o seu projeto, dentro da diretoria e talvez até do time. Por um simples motivo: atacar o time atinge o clube como um todo e o caos giallorosso poderia facilitar a venda da sociedade para alguns dos interessados – não por caso, o magnata farmacêutico Francesco Angelini já parece disposto a gastar 400 de seus milhões de euros pelo pacote majoritário das ações do clube.

Nos bastidores, também existe o problema do setor juvenil. O ótimo Andrea Stramaccioni, treinador dos Allievi Nazionali, no ano passado só ficou na Roma pela promessa de assumir o time Primavera ao fim da temporada, hoje comandado por Alberto De Rossi, pai do meia Daniele De Rossi. Mas nada de concreto apareceu e só se voltou a falar nisso agora que a Inter mostrou-se interessada em levar o técnico e os mais promissores jovens dessa categoria de uma só vez. A solução desesperada pode empurrar De Rossi para a supervisão técnica da base, o que definitivamente não seria um exemplo de bom planejamento.

Na parte “de cima”, jogadores que somem ou que se ignoram, um departamento médico que não inspira confiança a qualquer um desses, salários caros que não dão qualquer retorno… Entre humoristas da capital, já há quem diga que Cicinho e Júlio Baptista deveriam ser pagos pela CBF. E a bagunça não para nisso: Gian Paolo Montali está no dia-a-dia de Trigoria, fala pelo clube, atende bem os jornalistas. Mas não há quem diga qual sua função societária ou explique seu cargo de “coordenador e otimizador dos recursos humanos da área esportiva”.

Em campo, é uma Roma capaz de grandes viradas e incríveis quedas, e assim será enquanto não contar com il capitano Totti, comprovadamente o único capaz de transformá-la. Como havia sido com Capello, Völler, Del Neri, Conti, Spalletti. Um time com problemas no gol, laterais indefesas, zagueiros lesionados, meio-campo em construção, ataque inexistente, jogo inexplicável, comando fraco, diretoria contestada. E com uma só esperança, para variar: Fracesco Totti.

“E tu come stai?”, em português algo como “E você, como vai?”, é um dos maiores sucessos de Claudio Baglioni, torcedor da Inter. Mas, pelo menos neste domingo, a pergunta vale mais para a rival Roma.

3 comentários

  • Gosto das analises do Braitner e Nelson.Sigo os 2 no twitter.

    Olha…concordo com tudo.A Roma tá

    mal,MUIITO MAALL.Dificilmente chega

    no G4 esse ano.Espero que

    Totti,volte logo ao time.

    Abraços!Fiquem com Deus.

  • O solução dos problemas da Roma é muito simples:

    – vender o time seria a solução melhor mas é ao mesmo tempo a mais complicada. Angelini quer comprar realmente a Roma, o problema é que ele não é um Berlusconi ou Moratti, queria adquirir a Roma junto a outros sócios.

    – começar a pensar proporcionalmente as disponibilidades econômicas. Todos em Roma, a partir da torcida, devem entender que, pelas poucas disponibilidades econômicas, não somos mais um grande time.
    Chegou a hora de reformular o elenco dispensando os jogadores inúteis (Cassetti, Tonetto, Taddei, Baptista…), vendendo quem tem um salário acima das possibilidades da Roma (De Rossi, Juan, Mexes, Vucinic…). A Roma deve investir nos jovens que tem em casa (Andreolli, Motta, Cerci…), contratar um técnico jovem e corajoso (Gasperini) e jogadores que tenham vontade de crescer.
    Com certeza os resultados não vão ser imediatos, mas pelo menos o time vai ser proporcional as possibilidades dos donos.

Deixe um comentário