Serie A

900 minutos em 9: 17ª rodada

Eto’o volta a marcar gols decisivos e pode ser peça-chave da Inter daqui pra frente (Ap Photo)

As rodadas de fim de ano são sempre menos movimentadas. Com o frio, as equipes entram mais cautelosas, para diminuir um pouco os riscos de lesão. Não obstante, esse final de ano ainda reservou tempestades de neve para toda a Europa, roubando algumas partidas do final de semana. Na Itália, foram quatro jogos adiados: Bologna x Atalanta, Milan x Fiorentina, Genoa x Bari e Udinese x Cagliari. Por enquanto, só o jogo que aconteceria em Udine já tem data de reposição, 27 de janeiro. Quando todas as partidas forem jogadas, atualizaremos esta postagem com os resumos restantes.

Onde a neve deixou a bola rolar, jogos fracos. Em Milão, a temperatura chegava a menos sete graus na sonolenta partida em que a Inter venceu a Lazio e abriu oito pontos de vantagem para o Milan (que tem uma partida a menos) e nove para a Juventus. Com tanto frio, a aposta das equipes era garantir algum resultado logo no primeiro tempo. Mais incisiva, a dona da casa saiu na frente logo aos 14 minutos, com Eto’o, que tem voltado a marcar gols decisivos. A crescente fase do camaronês deve ser muito útil para a Inter na Liga dos Campeões, já que a equipe terá um difícil confronto contra o Chelsea, nas oitavas. Durante todo o restante da partida, vitória dos zagueiros: Cordoba anulou Rocchi e Radu praticamente impediu que Milito levasse perigo a Muslera. Truncada, a partida teve muitas faltas e seis amarelos (dois para a Inter e quatro para a Lazio).

A Juventus não conseguiu assumir a segunda colocação nem com o jogo adiado do Milan. Jogando em Turim, contra o Catania, então lanterna do campeonato, os comandados de Ferrara, mais uma vez, mostraram um mal futebol e saíram derrotados. Felipe Melo jogou tão mal que Ferrara o substituiu ainda no primeiro tempo. A indignação dos torcedores com a squadra já era visível antes mesmo do início da partida. Na entrada do estádio, o ônibus bianconero recebeu uma chuva de ovos, em protesto de torcedores ultrà. Ferrara continua escalando o time errado e demorando para substituir e o Catania, que nada tem a ver com isso, aproveitou. Martínez marcou o primeiro, de pênalti, e Izco, que não marcava um gol desde 2006 e fez o seu primeiro na Serie A, selou a vitória rossazzurra, depois que Salihamidzic, que entrou no lugar do vaiado Felipe Melo, ainda no primeiro tempo, empatou. A má fase da Juventus será alvo de um dos próximos textos do blog.

Na disputa por vagas nas competições européias, Napoli, Palermo e Roma foram muito bem. Desde que trocou de treinador, o Napoli não perdeu mais: já são dez jogos sem derrota. No domingo, os comandados de Mazzarri precisaram de dois chutes a gol para vencer o jogo: o de Hamsik, de pênalti, e o de Quagliarella, num contra-ataque a poucos minutos do fim. Entre os oitenta minutos que separaram os dois gols, no entanto, foi o Chievo que dominou o jogo. Para a sorte dos azzurri, Pazienza e Gargano estavam inspirados. Com o resultado, o Napoli deixou para trás Genoa, Fiorentina, Bari, Sampdoria e o próprio Chievo, alcançando a sexta posição e ficando a apenas um ponto da zona da Champions.

O Palermo se reencontrou sob o comando de Delio Rossi e venceu pela terceira vez consecutiva, com gol solitário de Cavani. A vítima da vez foi o Siena, que não deixou a vitória sair barata. Os toscanos chegaram bem à frente e exigiram boas defesas do goleiro Sirigu, muito bem no jogo. Outro que mostrou bom futebol e foi um dos principais responsáveis pela vitória rosanera foi Liverani, que criou bastante. A vitória coloca o Palermo na sétima colocação, um ponto atrás da zona da Liga Europa. Dessa forma, os sicilianos vão para o recesso de fim de ano pensando alto – mas não tão alto quanto o prometido pelo ex-técnico Zenga no início de temporada, o Scudetto. Já o Siena, com a pior defesa da competição, dá uma freada após a chegada de Malesani e reassume a lanterna do campeonato.

No Olímpico, a Roma passou pelo Parma em partida que valia como confronto direto para uma vaga na Liga dos Campeões. Na volta de um aplaudidíssimo Panucci ao estádio que foi sua casa durante oito anos, o torcedor acompanhou um primeiro tempo sofrível, que contrastou com um segundo tempo recheado de oportunidades, sempre para a dona da casa. Logo no início da segunda etapa, Burdisso abriu o marcador, dando espaço para o show de Vucinic. Com a ajuda de De Rossi, o montenegrino participava de todas as jogadas da equipe capitolina. Mirante, por sua vez, teve trabalho também com Totti, que comemorava a renovação de seu contrato até 2014. Antes de ser substituído por uma leve lesão, o capitão romanista quase marcou um golaço de fora da área, mas o goleiro gialloblù foi competente e também contou com a sorte, pois a bola defendida parcialmente por ele só não entrou porque a trave não deixou. Brighi, escalado no lugar do suspenso Perrotta, fechou a conta após assistência de Vucinic. Para o Parma, nenhum drama. A partida que marca a volta do recesso de fim de ano pode fazer com que o time volte a zona Champions. Em casa, os crociati enfrentarão a Juventus e, em caso de vitória, podem chegar até a terceira posição, com uma combinação de resultados. Outra combinação de resultados pode deixar a Juventus de fora das quatro primeiras posições pela primeira vez nesta Serie A.

Já a Sampdoria, jogou mal e acumulou o quarto jogo sem vitória, distanciando-se um pouco das zonas de Liga Europa e Liga dos Campeões. Apesar de sair na frente, com tento de Cassano (apenas o segundo dele na Serie A), a defesa mostrou-se muito vulnerável, ao levar três gols do pior ataque do campeonato. No primeiro deles, o promissor, mas ainda inexperiente Marco Rossi errou duas vezes: cometeu falta boba e não conseguiu marcar Rivas, que cabeceou forte para as redes. No segundo tempo, dois lituanos foram decisivos. Danilevicius virou o jogo para a equipe amaranta logo no início da etapa complementar, em mais uma desatenção da zaga, e, nos acréscimos, selou a vitória. Já seu conterrâneo, Stankevicius, foi expulso e estragou uma possível reação dos blucerchiati, que chegavam bem ao ataque. Agora, o Livorno vai para a parada de inverno um pouco mais tranquilo com a relativa distância da zona de rebaixamento e a Samp preocupada com a queda de rendimento.

Texto em parceria de Nelson Oliveira e Rodrigo Antonelli

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 17ª rodada, clique aqui.

Seleção da 17ª rodada
Sirigu (Palermo); Rivas (Livorno), Spolli (Catania), Cordoba (Inter); Izco (Catania), Simplício (Palermo), Gargano (Napoli), De Rossi (Roma); Eto’o (Inter), Danilevicius (Livorno), Vucinic (Roma).

Deixe um comentário