Serie A

Pós-jogo: Bayern de Munique 2×1 Fiorentina

Sozinho (até demais), Klose marcou o gol da vitória do Bayern (SkySports)

Em situação oposta à do rival, que vinha de uma série invicta de doze jogos, a Fiorentina desembarcou em Munique totalmente desacreditada, por causa da péssima fase no último mês no Campeonato Italiano. Críticos, torcedores e até Robben, um dos craques bávaros, insinuaram que a vitória do Bayern viria fácil. No entanto, o que se viu no estádio Olímpico de Munique foi um equilíbrio inesperado.

Em campo, os viola não sentiram muito a ausência de Gamberini e Zanetti, marcaram bem a saída de bola e não sofreram muito perigo durante grande parte do primeiro tempo. Marchionni e Vargas seguraram bem os bons Ribéry e Robben, pelos lados. Os goleiros não trabalharam muito e o único lance de verdadeiro perigo aconteceu já nos acréscimos da etapa inicial, quando Robben tocou para Ribéry ser derrubado por Kroldrup, dentro da área, e a bola sobrar para Gómez empurrar para as redes. O árbitro norueguês, Ovrebo, porém, cometeu sua primeira trapalhada e não observou a lei da vantagem, anulando o gol e marcando o pênalti. Na cobrança, Robben abriu o placar e salvou a pele do juizão.

No segundo tempo, a Fiorentina voltou atacando e logo aos cinco minutos conseguiu o empate, em uma cobrança de escanteio que acabou nos pés de Kroldrup, dentro da pequena área. O bom resultado colocou o time italiano mais atrás e explorando os contra-ataques. Jogando melhor, parecia que os viola conseguiriam a virada a qualquer momento, mas com o tempo o Bayern recuperou o domínio do meio campo e voltou a ser perigoso.

Aos 20, Van Gaal trocou Gómez e Muller por Klose e Olic, tornando o time ainda mais ofensivo. O 4-4-2 inicial já era um 4-2-4, com Ribéry e Robben atacando o máximo que podiam pelas pontas. Para piorar a situação viola, Gobbi foi expulso a 18 minutos do fim, em mais um lance polêmico da arbitragem. Alguns alegam que não era falta para vermelho direto.

Mais do que nunca, era um jogo de ataque contra defesa. E os comandados de Prandelli agüentaram muito bem a pressão. Até o último minuto, pelo menos, quando a arbitragem chamou mais atenção do que devia, novamente. Robben, sempre ele, chutou, Frey espalmou, Olic tentou de cabeça e a bola foi parar na cabeça de Klose, que deu números finais ao jogo. O problema é que o atacante alemão estava quase dois metros impedido.

O erro grotesco do juiz dificulta a missão viola na partida de volta, dia 9 de março, em Florença, mas não tira as esperanças da equipe. O resultado foi melhor do que se esperava para a Fiorentina e o gol marcado fora de casa foi muito importante, já que agora uma vitória simples (1 a 0), garante a vaga italiana nas quartas-de-final. Confronto aberto.

Bayern de Munique 2-1 Fiorentina
Bayern: Butt; Lahm, Van Buyten (Contento), Demichelis, Badstuber; Robben, Schweinsteiger, Van Bommel, Ribéry; Gomez (Klose), Muller (Olic)
Fiorentina: Frey; De Silvestri, Natali (Pasqual), Kroldrup, Gobbi; Bolatti, Montolivo (Donadel); Marchionni, Jovetic (Felipe), Vargas; Gilardino
Árbitro: Ovrebo, da Noruega
Cartões amarelos: Van Bommel e Klose (Bayern); De Silvestri, Marchionni e Vargas (Fiorentina)
Cartão vermelho: Gobbi (Fiorentina)

Veja também
Milan 2-3 Manchester United

Deixe um comentário