Serie A

Prévia: Inter x Chelsea

Mourinho e Ancelotti: técnicos em foco no duelo desta quarta (101 Great Goals)

Inter e Chelsea nunca se enfrentaram por uma competição europeia, mas o duelo desta quarta será bastante familiar, já que José Mourinho e Carlo Ancelotti conhecem muito bem seus adversários. Carletto treinou o Milan por oito anos, levando os rossoneri a dois títulos da Liga dos Campeões e uma Serie A, enquanto a Inter patinava em quatro destes anos. Mourinho, por sua vez, ficou no Chelsea por três anos, levantou seis títulos – por duas vezes a Premier League – e, entre o time titular que deve enfrentar a Inter, apenas Ivanovic, Zhirkov e Anelka não foram treinados pelo técnico de Setúbal. Nesta quarta, as duas equipes se enfrentam no primeiro dos jogos do mais aguardado e parelho duelo das oitavas-de-final, que decidirá qual delas continua na briga pelo tão sonhado título europeu.

Como já foi feito na prévia de Milan x Manchester United, contaremos com a ótima colaboração dos parceiros do blog Ortodoxo e Moderno, especializado na Premier League. Confira a prévia de Inter x Chelsea e depois, nos dois endereços, o resumo do embate. Quem escreve sobre os Blues é André Vince.

A temporada até aqui
Inter: Na Serie A, a soberania da Inter continua praticamente intacta. Os nerazzurri lideram com cinco pontos de vantagem sobre a Roma e ainda tem a melhor defesa e o melhor ataque da competição. O miolo de zaga nerazzurro é bastante sólido, enquanto Júlio César recomeçou a aparecer bem após a vitória sobre o Milan no último dérbi. No ataque, Eto’o ainda não deslanchou, mas Milito e Sneijder tem se mostrado jogadores amplamente decisivos. Com a saída de Ibrahimovic, Mourinho começou a apostar com mais força no jogo coletivo, apoiado na versatilidade de Zanetti, Sneijder, Pandev, Muntari e Stankovic. A mudança de estilo melhorou o futebol da equipe, que perdeu apenas dois jogos no campeonato italiano e ainda demonstrou força ao vencer o Milan por duas vezes, golear Genoa e Cagliari e passar por situações adversas, como a virada histórica contra o Siena e o empate heróico contra a Sampdoria, neste sábado. Na Liga dos Campeões, a equipe também conseguiu uma virada histórica contra o Dynamo Kiev, mas ficou marcada por se apequenar contra o Barcelona. Postura que, se repetida contra o Chelsea, pode trazer problemas.

Chelsea: A chegada de Ancelotti deu nova vida ao time. Até aqui, o Chelsea tem mostrado a força de seu elenco. Mesmo com a ausência de dois de seus principais nomes – Essien e Drogba – durante a Copa Africana de Nações a equipe não decepcionou e seguiu na liderança da Premier League. A não contratação de reforços na última janela de transferência demonstra o bom momento. Pela Liga dos Campeões, os Blues passaram pela primeira fase invictos, com 4 vitórias e 2 empates, e se credenciaram ao título. A equipe só não esperava enfrentar logo a Inter, treinada pelo ex-técnico do Chelsea, Mourinho, e dona de um dos grandes elencos do futebol mundial. Com Didier Drogba em grande fase e decidindo muitos jogos a favor de sua equipe, a equipe inglesa parte para esse duelo em grande fase e com uma enorme chance de avançar.


Pontos fortes

Inter: A saída de Ibrahimovic, principal jogador meneghino durante anos, foi assimilada com naturalidade e, ironicamente, o time passou a jogar melhor sem ele. Sem o sueco, mas com Eto’o, Milito, Pandev e Sneijder (encaixados perfeitamente a equipe), a Inter apresenta grande variação tática e pode atuar de diferentes formas, embora jogue mais frequentemente com o meio-campo a rombo (4-3-1-2) ou no 4-3-3, com Sneijder mais recuado. A ênfase no conjunto é algo bastante prezado por Mourinho, que trabalhou para construir uma mentalidade coletiva e de sacrifício por pontos sempre valiosos. O resultado se verifica em campo: os jogadores parecem cada vez mais determinados a buscar resultados, deixando de lado as situações adversas e a apatia que permeava o time de anos atrás. Quanto aos setores da equipe, destacam-se a defesa e o ataque. Júlio César dá a segurança de sempre a Lúcio e Samuel, muito fortes nas jogadas aéreas e que deixaram passar apenas cinco gols em lances deste tipo, mas que marcaram três vezes de cabeça. Na parte ofensiva, destacam-se as arrancadas de Maicon, as cobranças de falta e a visão de jogo privilegiada de Sneijder e o poder de decisão de Milito e Eto’o, dois excelentes finalizadores.

Chelsea: O ponto forte da equipe na temporada tem sido a coesão de seu conjunto. Uma equipe com defesa sólida e ataque eficiente, sem deixar de lado a competência de seu meio de campo. Tantas qualidades assim tornariam difícil destacar um ponto em especial. Difícil, mas não impossível. Drogba tem sido o diferencial da equipe na temporada. O marfinense tem feito muitos gols decisivos e dado várias vitórias à equipe. Até aqui, o atacante tem sido o destaque da equipe e o grande nome do elenco. Mas quando se fala em Chelsea não podemos deixar de fora o capitão Terry. Mesmo com os problemas extracampo recentemente, o zagueiro segue sendo o melhor do mundo na posição. Seguro no desarme e eficiente – a seu modo – no ataque. A equipe conta também com um grande goleiro que, mesmo não vivendo um grande momento pode decidir uma partida. Essien é sempre seguro no meio campo. Desarma, arma e ataca com grande eficiência e é o motor da equipe. Lampard, Anelka e até mesmo o contestado Malouda também são nomes que podem ajudar a equipe nesse difícil duelo.

Pontos fracos
Inter: O time de Mourinho costuma passar por momentos de dificuldade quando enfrenta equipes que procuram desempenhar a mesma função que os nerazzurri estão acostumados a exercer: atacar e dominar o jogo. Partidas como as duas contra o Barcelona ou contra o Napoli, há duas semanas, mostram que os jogadores da Inter não estão acostumados a este cenário. Outra fraqueza da equipe sobressai quando Sneijder sofre uma forte marcação. Mesmo dispondo de outros jogadores para partir para cima do adversário, a Inter perde em velocidade e fica praticamente neutralizada quando o holandês é bem vigiado. Parte disso se deve ao fato de que o lado esquerdo de seu meio-campo fica bastante vulnerável (ofensiva e defensivamente) quando Thiago Motta ou Muntari ocupam o setor. Com Stankovic em campo ou escalada com três atacantes, a Inter pode sofrer um pouco menos com este problema.

Chelsea: Numa equipe com tantas qualidades e repleta de grandes valores é difícil detectar um ponto fraco. Mas até aqui, o que tem prejudicado a equipe é a inconsistência de suas atuações. Capaz de aplicar goleadas históricas – com fez nos 7 a 2 contra o Sunderland, pela Premier League – os Blues também são donos de tropeços contra equipes de menor expressão – como no empate em casa contra o APOEL, pela Liga dos Campeões. A lateral direita é outro ponto que preocupa. O lesionado Bosingwa faz falta e deixa o setor dependente de Ivanovic, zagueiro improvisado, que vem dando conta na defesa mas é fraco no apoio ao ataque.

Expectativas
Inter: José Mourinho busca usar a seu favor o fato de conhecer muito bem o ambiente interno e boa parte dos jogadores do Chelsea, embora os jogadores do time inglês também devem imaginar como a Inter está se preparando para o confronto. O jogo de sábado, contra a Sampdoria, no qual a Inter entrou em campo com vontade em excesso, é um bom exemplo de que os nerazzurri estão tratando o duelo como se fosse o jogo de suas vidas. Porém, os jogadores tiveram de se desdobrar para se defender com dois a menos e podem ter cansado. O ambiente nerazzurro segue atribulado, mesmo que a equipe não esteja falando com a imprensa desde sábado, por ordem do presidente Massimo Moratti. Por conta de toda a problemática de sábado, o clube recebeu uma pesada multa e ainda viu Cambiasso, Muntari serem suspensos por dois jogos e Mourinho por três. Júlio César ainda é o favorito para jogar, mas virou dúvida após sofrer um leve acidente de carro. Mourinho agora deve trabalhar para que as complicações não tirem o foco da preparação e do importante jogo do Giuseppe Meazza.

Chelsea: A equipe de Ancelotti passou pela primeira fase da Liga dos Campeões com facilidade e se mostrou uma das favoritas à conquista da competição. Com a força de sua equipe e a experiência de seus jogadores tem tudo para passar pela equipe italiana nesse confronto. Nesse primeiro jogo, na Itália, a tarefa vai ser duríssima, pois enfrentarão um adversário também muito forte e com jogadores com grande poder de decisão. Promete ser um grande jogo, em que prever um resultado é praticamente impossível. Se as duas equipes jogarem o que têm jogado até aqui esse promete ser um jogo imperdível. Difícil arriscar um favorito mas, embora veja o Chelsea com ligeira vantagem para a classificação, nessa partida acredito que não consiga a vitória. O fato de jogar em casa pode favorecer a Inter e levá-la à vitória. Um palpite? Empate.


Prováveis escalações
Inter: Júlio César (Toldo); Maicon, Lúcio, Samuel, Zanetti; Stankovic, Cambiasso, Muntari (Motta); Sneijder; Eto’o, Milito.

Chelsea: Cech; Paulo Ferreira (Ivanovic), Ivanovic (Ricardo Carvalho), Terry, Zhirkov; Essien, Lampard, Ballack, Malouda (J. Cole); Anelka e Drogba.

Deixe um comentário