Jogadores

O genial Zinédine Zidane ganhou status de craque com a camisa da Juventus

Os mais novos talvez lembrem de Zinédine Zidane apenas como o cara que deu uma cabeçada em Materazzi, na final da Copa do Mundo de 2006. Mas a história deste descendente de argelinos, nascido e criado no sul da França, vai muito além disso. Zidane marcou a história do futebol francês de um jeito que apenas Michel Platini conseguiu.

Tudo começou nos campinhos de Marselha, onde Zidane se divertia com a bola nos pés. Jogando por clubes da região, conseguiu chamar a atenção de olheiros do Cannes, ainda com 15 anos. Inicialmente, foi à cidade do festival de cinema apenas para uma experiência, que duraria seis semanas. Porém, a habilidade do menino encantou e a comissão técnica decidiu continuar com o jogador. Zidane assinava, então, seu primeiro contrato. Uma temporada nos times de base foi o suficiente para provar seu valor e subir para o time principal. Pelos Dragons Rouges, jogou quatro temporadas, acumulando 61 jogos e seis gols marcados.

As boas temporadas de Zizou e o rebaixamento do Cannes despertaram o interesse do Bordeaux, que fechou sua contratação para apenas uma temporada, a de 1992-93. Jogando ao lado de Lizarazu e Dugarry, o garoto Zinedine teve um bom ano, computando dez gols, e a diretoria não tardou para prolongar seu vínculo. Logo, os três começaram a ser chamados de o ‘triangle bordelais’, compondo um meio de campo muito habilidoso e que rendeu bons frutos aos girondinos.

Foi jogando nos Marine et Blanc que conquistou seu primeiro título: a extinta Copa Intertoto da UEFA. Também através do Bordeaux, conseguiu sua primeira convocação para a seleção francesa. A estreia foi memorável: entrou aos 18’ do segundo tempo e marcou os dois gols do empate com a República Tcheca. Em 1996, a belíssima campanha na Copa da Uefa chamou a atenção de grandes clubes europeus, que começaram a lutar pelo passe do francês. Após a derrota para o Bayern de Munique, na final, o meia foi anunciado pela Juventus. O preço pago pela Velha Senhora rondou os 35 milhões de francos (cerca de 5,5 milhões de euros, no câmbio atual).

No mesmo ano, a seleção francesa foi mal na Eurocopa, com Zidane jogando abaixo do esperado. Começou, então, a desconfiança: seria ele capaz de jogar em alto nível em um clube grande ou Zidane era apenas mais um jogador para times pequenos? Para piorar, Zizou ainda sofreu um acidente de carro, pouco antes de estrear pela Juve. Seus três primeiros meses foram bastante ruins, de fato. Mas não demorou muito para o então camisa 21 mostrar o grande jogador que era e superar a pressão de jogar em um gigante europeu.

Antes do meio da temporada, o francês já tinha reencontrado o seu melhor futebol e conquistado seu primeiro título: o Mundial Interclubes, contra o River Plate. Mais tarde, ainda ergueria os títulos do Campeonato Italiano e da Coppa Italia, sem contar o vice-campeonato da Liga dos Campeões.

Primeiro título de Zizou na Juve foi contra o River Plate no Japão (Giornalettismo)

Zidane conquistou grande espaço no futebol italiano e em pouquíssimo tempo tornou-se o principal jogador da equipe de Marcello Lippi, que contava ainda com Di Livio, Deschamps, Tacchinardi, Conte e Davids como opções no meio-campo. Foi também por causa do francês que Del Piero passou a atuar mais à frente e centralizado (antes, encostava no ataque pela esquerda). O futebol de alto nível apresentado lhe rendeu o título de melhor jogador estrangeiro daquela temporada.

No ano seguinte, conquistou novamente o scudetto e foi, mais uma vez, vice da Liga dos Campeões. Melhor jogador da Serie A, Zidane chegou para a Copa do Mundo de 1998, no seu país de origem, sendo considerado o terceiro melhor jogador do mundo pela FIFA. Após primeira fase ruim da seleção francesa, Zizou cresceu e decidiu partidas na fase do mata-mata, incluindo a final contra o Brasil, na qual marcou dois gols. O título mundial ajudou o franco-argelino a conquistar, no final do ano, a Bola de Ouro, da France Football, e o prêmio de melhor do mundo da FIFA.

As duas temporadas seguintes, porém, não foram muito boas para a Juve, que perdeu Del Piero por lesão durante muito tempo, e ficou sem Lippi, que fora para a Inter. O rendimento de Zidane caiu junto com o do time, mas em 2000, mesmo sem títulos pelo clube naquela temporada, Zizou voltou à sua grande forma e conquistou novamente o prêmio de melhor do mundo da FIFA. Grande parte disso deve-se à grande Eurocopa que fez, levando o time da França a um posto que nenhuma outra seleção tinha conseguido: única seleção a conquistar, seguidamente, a Copa do Mundo e a Euro.

Del Piero e Zidane fizeram uma das melhores duplas da década de 1990 no futebol (Imageshack)

Tamanho sucesso fez de Zizou o jogador mais caro do mundo, em 2001: para contar com o francês no time dos galácticos, o presidente Florentino Pérez desembolsou 77 milhões de euros. De cara, conquistou a Liga dos Campeões, marcando um dos gols mais bonitos da sua carreira, na final, contra o Bayer Leverkusen. Nesse ano, levou ainda a Supercopa Espanhola. Na temporada seguinte, conquistou mais um Mundial Interclubes e acrescentou ao currículo seu primeiro Campeonato Espanhol.

Ao final de 2003, conquistou pela terceira vez o prêmio da FIFA de melhor jogador do mundo, alcançando Ronaldo no topo da premiação. Até hoje, ninguém conquistou o prêmio mais de três vezes. Foi também o ano do último título de Zizou: a Supercopa Espanhola. Seu futebol continuou fantástico, com uma visão de jogo que só ele tinha e a habilidade de poucos, mas a idade pesou e seu preparo físico já não era o mesmo. Então, Zidane anunciou que a Copa de 2006, na Alemanha, seria o palco de suas últimas exibições.

E não poderia ser diferente, o maior torneio do mundo para um dos maiores do mundo se despedir. Zidane fez grandes atuações na Copa, como nas quartas, contra o Brasil, e levou a França a mais uma final de um Mundial. Marcou o gol do tempo regulamentar e perdeu a cabeça na prorrogação, quando Materazzi insultou sua família. O fato não manchou sua gloriosa carreira, porque Zizou era muito maior do que mostrava naquele momento. Porém, serviu para mostrar sua humanidade, escondida sob as vestes de um monstro com a bola nos pés.

Zinédine Yazid Zidane
Nascimento: 23 de junho de 1972, em Marselha, França
Posição: meio-campo
Clubes: Cannes (1988-92), Bordeaux (1992-96), Juventus (1996-2001) e Real Madrid (2001-06)
Seleção francesa: 108 jogos, 31 gols
Títulos: 2 Campeonatos Italianos (1996-97 e 1997-98), 1 Supercopa Italiana (1997), 1 Campeonato Espanhol (2002-03), 2 Supecopas Espanholas (2001, 2003) 1 Liga dos Campeões (2001-02), 2 Supercopa da UEFA (1996 e 2002), 2 Copas Intercontinentais (1996 e 2002), 2 Copas Intertoto (1995 e 1999), 1 Eurocopa (2000) e 1 Copa do Mundo (1998)

1 comentário

Deixe um comentário