Seleção italiana

Os 23 de Lippi: Domenico Criscito

No vem-e-vai entre Genoa e Juve, Criscito estacionou na Ligúria, chegou à seleção e virou ídolo
local – ainda que continue ligado à Velha Senhora e possa voltar a qualquer momento (Il Sussidiario)

Com o inesperado corte de Fabio Grosso da seleção italiana, Criscito ganhou um espaço que até então não esperava. Ainda que aguardasse uma chance entre os 23 convocados, a chance de titularidade marca a preparação da jovem bandeira do Genoa. Jogador mais polivalente entre os escolhidos de Lippi, foi o dono da lateral-esquerda no amistoso contra o México e uma das poucas peças da equipe que funcionou razoavelmente bem. Mas é cedo para falar de certezas numa seleção tão perdida, já que a primeira opção do setor ainda deve ser Zambrotta, ou até mesmo Chiellini.

Criscito chegou ao Genoa aos 15 anos, em 2002, levado por Claudio Onofri, ex-zagueiro do próprio clube. Jogou pela base por alguns meses até ter uma oportunidade inesperada na Serie B, na última rodada do campeonato 2002-03 em que o grifone já estava rebaixado. Mas ficou nisso e voltou para os allievi, no qual ficou até 2004, quando foi negociado com a Juventus e se destacou no time Primavera que conquistou o campeonato da categoria dois anos depois. Já com 19 anos e algumas partidas no banco do time principal, voltou ao Genoa, em co-propriedade, para disputar a Serie B.

Com os trabalhos de pré-temporada, logo convenceu o recém-contratado Gian Piero Gasperini a escolhê-lo como titular. E com boas apresentações logo de início, chegou à seleção italiana sub-21 como titular e foi considerado um dos melhores laterais do torneio, apesar da baixa idade. Essencial na campanha de retorno do time à Serie A, foi recontratado pela Juventus por mais de 7 milhões de euros. Na temporada 2007-08, estreou com a camisa bianconera na primeira divisão desde a primeira rodada, jogando como zagueiro, mas perdeu espaço quando Claudio Ranieri passou Chiellini, então lateral-esquerdo, para a posição.

Sem chances na defesa da Velha Senhora, voltou para o Genoa em empréstimo. Recuperou o bom futebol e viu o clube lígure pagar por sua co-propriedade, que dura até hoje e deve ser decidida no próximo mês entre Juventus e Genoa. Em mais de 100 jogos com a camisa rossoblù, atuou em quatro posições diferentes no 3-4-3 padrão de Gasperini, entre zagueiro, meia externo e até ponta-esquerda e armador. Forte na marcação e no desarme e de bom posicionamento na defesa, joga com muita vontade e personalidade em campo e, aos 23 anos, se destacou mesmo numa temporada tão instável quanto a recém-encerrada. Hoje, é ídolo de uma torcida que sabe que pode perdê-lo a qualquer momento para a Juve, pela terceira vez.

Domenico Criscito
Nascimento: 30 de dezembro de 1986, em Cercola
Posição: lateral-esquerdo, zagueiro e meio-campista
Clubes: Genoa (2002-04), Juventus (2004-06), Genoa (2006-07), Juventus (2007), Genoa (2008-hoje)
Seleção italiana: 6 jogos

Deixe um comentário