Seleção italiana

Os 23 de Lippi: Morgan De Sanctis

Um dos melhores goleiros italianos dos últimos anos, De Sanctis ganhou a concorrência sobre
Sirigu e vai para sua primeira Copa do Mundo, aos 33 anos (Getty Images)

Uma das últimas dúvidas de Marcello Lippi em sua lista final dos 23 convocados estava no gol. Mais especificamente, no terceiro goleiro. O técnico toscano optou pela experiência e escolheu De Sanctis, em detrimento ao promissor Sirigu. Aos 33 anos, o titular do Napoli estreou na seleção italiana em março de 2005 e só jogou outras duas vezes em suas 38 convocações para a Nazionale. Com tanta experiência de banco, é um nome já acostumado à função que exercerá na África do Sul.

Nesta temporada, De Sanctis voltou para a Itália a tempo de recuperar sua vaga em azzurro, quase perdida com o sumiço em seu país após ter deixado a Udinese, em litígio com a diretoria. Passou um ano no banco de Palop, no Sevilla, e em outro foi bem no Galatasaray. No Napoli, corrigiu os problemas crônicos no gol da equipe e foi uma das melhores contratações do ano. Com reflexos apurados, bom comando de área e saídas rápidas do gol, De Sanctis ainda se consagrou defendendo alguns pênaltis. Em suma, recuperou o bom momento dos tempos em que era ídolo da Udinese, no início da década.

Produto das categorias de base do Pescara, estreou na Serie B em grande estilo, defendendo um pênalti de Vieri, então no Venezia. De terceiro goleiro, logo se tornou titular e passou no clube três temporadas destacadas. Com 20 anos de idade, foi contratado pela Juventus, onde viveu dois anos como opção a Peruzzi e Rampulla. Mesmo como reserva de Abbiati no título do Europeu Sub-21, fazia algumas partidas pelos azzurrini e assim chamou a atenção da Udinese, que apostou no jovem abruzzese e o levou para o Friuli em 1999.

Inicialmente reserva de Turci, De Sanctis só conseguiu o posto de titular em 2002. Nos cinco anos em que passou no Friuli, um deles como capitão, se firmou como um dos melhores goleiros italianos em circulação. Atuou em mais de 200 jogos, entre Serie A, Copa Uefa e Liga dos Campeões, mas saiu pela porta dos fundos ao rescindir seu contrato de forma unilateral, valendo-se de uma norma da Fifa. Ainda assim, e ainda que não jogue, chega a sua primeira Copa para se consagrar como um dos grandes da posição das últimas décadas, no Belpaese.

Morgan De Sanctis
Nascimento: 26 de março de 1977, em Guardiagrele
Posição: goleiro
Clubes: Pescara (1994-97), Juventus (1997-99), Udinese (1999-07), Sevilla (2007-08), Galatasaray (2008-09), Napoli (2009-hoje)
Seleção italiana: 3 jogos, 2 gols sofridos
Títulos: 1 Serie A (1998) e 1 Europeu Sub-21 (2000)

Deixe um comentário