Liga dos Campeões

Liga dos Campeões: Defesa ainda assusta

Ronaldinho e Ibrahimovic comandaram o Milan na vitória sobre o Auxerre. Mas as boas atuações
lá na frente não escondem o mau mercado rossonero na parte defensiva (Getty Images)

A derrota para o Cesena no fim de semana botou em xeque a qualidade do atual elenco do Milan. Uma estreia com vitória sobre o Auxerre na Liga dos Campeões era obrigação para o clima não começar a esquentar em Milanello. O resultado positivo veio, mas alguns pontos fracos continuaram evidentes na vitória por 2 a 0 sobre o time francês. Ainda assim, o rossonero foi o único time italiano a estrear com vitória na competição. A Inter empatou com o Twente e a Roma volta de Munique com uma derrota para o Bayern.

O time começou com algumas mudanças em relação à derrota para o Cesena. Nesta voltou à zaga, mas Thiago Silva ficou no banco. Allegri preferiu centralizar Bonera, para formar dupla com veterano, e colocar Zambrotta no lugar de Abate para a lateral. No meio, Gattuso saiu e deu lugar a Seedorf, que não fez boa partida. As alterações, contudo, não surtiram efeito e o sistema defensivo continuou com problemas.

Logo no primeiro lance do jogo, Bonera e Ambrosini se atrapalharam e entregaram a bola de graça para o time adversário. O lance foi apenas um exemplo do que se repetiria ao longo do primeiro tempo, quando o Milan não conseguiu impor seu jogo e deu espaço para o Auxerre criar algumas (boas) jogadas. Com a mesma postura da equipe que perdeu no final de semana, o time de Milão levou contra-ataques e foi incomodado mais do que incomodou. Só não saiu para o intervalo atrás no placar por causa da ineficiência dos atacantes franceses, que desperdiçaram pelo menos duas boas chances.

Destaque positivo para Boateng, que entrou no lugar de Ambrosini, machucado, e deu mais dinamismo e velocidade ao meio de campo rossonero. O ganense deve ganhar mais oportunidades no time titular, uma vez que Ambrosini deve ficar de fora por cerca de três semanas, segundo o departamento médico. Enquanto a parte defensiva voltou a mostrar problemas, o ataque com Ibrahimovic começou a funcionar e a pagar o alto investimento.

No segundo tempo, o Milan voltou com outra postura e passou a criar mais. Reduzindo os espaços e com a bola nos pés, o trio ofensivo começou a funcionar melhor e, sob o comando de Ronaldinho, o gol começou a amadurecer. O brasileiro participou de todas as jogadas importantes do time no segundo tempo, com inúmeras assistências e lances de efeito. Pato e Boateng desperdiçaram boas oportunidades criadas por ele, antes de Ibrahimovic mostrar como faz e guardar sua doppietta. No segundo gol, Ronaldinho mostrou disposição que lhe faltava há tempos: marcava no campo de defesa, quando Pirlo roubou a bola e o lançou. O brasileiro ganhou do defensor na velocidade, antes de tocar para Ibra marcar.

Pato também se movimentou bem e teve algumas boas chances, antes de ser substituído por Robinho. O ex-santista quase não apareceu no jogo e ainda não conseguiu mostrar o bom futebol apresentado no Brasil. A lesão de Pato, que deve ficar de fora por quase um mês, dá mais uma chance a Robinho, titular certo nos próximos compromissos. A vitória poderia ter vindo com mais facilidade, considerando a fragilidade do Auxerre, mas ainda assim, o triunfo é importante para dar tranqüilidade ao trabalho de Allegri, que terá muito trabalho para arrumar o sistema defensivo do time. O Milan não vencia em casa pela Liga dos Campeões há quase três anos (última vitória contra o Celtic, em 4/12/2007).

Veja o relato e os gols da partida clicando aqui.

Deixe um comentário