Serie A

15ª rodada: Correndo por fora

Mazzarri nunca venceu cameponatos, mas traz mentalidade vencedora a este Napoli, cada vez mais consistente e que pode sonhar mais alto na Serie A (Getty Images)

O campeonato italiano já está quase na metade e, a esta altura da competição, já se começam a se desenhar quais times realmente disputarão o scudetto. O Milan de Allegri e Ibrahimovic parece, até agora, o único time que certamente fará parte desta briga, com 33 pontos. Por outro lado, outros times já aparecem como possíveis concorrentes, mesmo correndo por fora: além da Lazio (30 pontos), que dependerá muito de Hernanes, Juventus (27) e Napoli (27) aparecem na zona de classificação para a Liga dos Campeões e podem surpreender. Veja os destaques da rodada.

Napoli 1-0 Palermo

Na partida entre as duas equipes do sul da Itália, só um time atacou. Sem cerimônias, o Napoli encurralou o Palermo em seu campo durante toda a partida, mas só conseguiu a vitória no último lance da partida, quando Cavani (ótima partida, contando com muito esforço no meio-campo, inclusive) recebeu, contando com erro de posicionamento de Balzaretti na linha de impedimento, e só ajeitou para Maggio vencer um Sirigu em grande forma. Vitória com a cara de Walter Mazzarri, que desde que assumiu o Napoli no início da última Serie A, impôs ao time uma mentalidade de acreditar até o final das partidas. Se, nas palavras de seu desafeto José Mourinho, ele “nunca venceu nada”, é inegável que esta mentalidade vencedora do Napoli tem o dedo do técnico toscano: desde sua chegada, o Napoli já realizou 29 gols nos últimos 15 minutos de jogo. Como bem definiu a Gazzetta dello Sport, a zona Cesarini, que diz respeito aos minutos finais de uma partida, já pode ser conhecida por zona Mazzarri.

O Palermo, por sua vez, tem tido dificuldades para conseguir conservar resultados positivos até o apito final. Se, desta vez, foi o erro individual de Balzaretti acabou ocasionando a perda de um ponto e a disparada de um adversário direto na briga por uma vaga na “Europa que conta”, em outras vezes, uma postura muito cautelosa do técnico Delio Rossi tem feito o time recuar demais. Uma estratégia que não precisava ser utilizada, já que o time poderia tentar manter-se com a posse de bola mais na frente, aproveitando a técnica de jogadores como Ilicic e Pastore, desaparecidos nesta segunda por causa da boa marcação azzurra. Este time pode sonhar mais alto.

Catania 1-3 Juventus
Na semana em que foi eliminada na Liga Europa, a Juventus começa a identificar seu provável homem-gol: Quagliarella. Nos últimos jogos, o atacante da seleção italiana se mostrou mais adaptado ao esquema de Luigi Del Neri e despontou como um dos principais destaques do time, que agora depende menos de Krasic, com a descentralização das funções de criar (dividida com Aquilani) e decidir (na qual Quagliarella desponta). Com a boa fase do Homem do Queijo e a recuperação de Amauri em janeiro, o diretor esportivo Giuseppe Marotta já se questiona se deve investir no mercado para contratar mais um atacante.

Após 15 rodadas, foi a primeira vez que os etnei perderam em casa nesta Serie A. A defesa, que vinha em excelente fase, teve um apagão e foi permissiva demais: pelo lado esquerdo, uma atuação horrenda de Alvarez permitiu que Krasic e, sobretudo, Iaquinta tivessem muita liberdade. O atacante, inclusive, foi bastante participativo: foi o autor de assistências para Quagliarella e Pepe. Outro erro defensivo, desta vez de Biagianti, ainda permitiu que Quagliarella matasse a partida. Agora, Giampaolo deverá retrabalhar bastante a defesa para a visita ao Sant’Elia de Cagliari, partida na qual os Elefantes certamente sofrerão com o forte ataque sardo.

Lecce 1-3 Genoa
No ambiente giallorosso, a confiança no técnico Luigi De Canio permanece. Reconfirmado mesmo após clocar o cargo a disposição, na semana passada, o treinador não consegue acertar sua defesa, que já sofreu 31 gols em 15 jogos e sofreu três até mesmo do ex-pior ataque da Serie A. O ataque, por outro lado, vai bem: Di Michele fez ótima partida e deu muito trabalho à linha de defesa rossoblù, chegando a dar o passe para o nigeriano Ofere marcar o gol que abriu os trabalhos.

Os salentini foram melhores do que o Genoa durante a maior parte do jogo, mas a fragilidade defensiva possibilitou que a equipe de Ballardini pudesse ser cínica e cirúrgica. Logo após uma chance desperdiçada por Di Michele, Miguel Veloso cobrou escanteio na cabeça de Toni, que subiu sozinho para empatar. Vinte minutos depois, o português ainda achou Ranocchia e o Genoa virou, numa das poucas chances que teve no jogo. O terceiro gol, de Marco Rossi, surgiu naturalmente, após um abatimento geral que tomou conta da equipe do Via del Mare, uma das favoritas ao rebaixamento. O Genoa, por sua vez, vai crescendo após a chegada de Ballardini, já soma 21 pontos e flerta com a zona de classificação para as competições europeias.

Sampdoria 3-0 Bari
Para se livrar da secura de gols após o afastamento de Cassano, a Sampdoria contou com um Guberti inspirado contra sua antiga equipe. Fantantonio, aliás, deve ter assistido a partida com especial atenção, já que seu atual time enfrentava a equipe que lhe revelou. A superioridade doriana, no entanto,começou com a ajuda do árbitro Pierpaoli, que marcou um pênalti inexistente de Rossi (um dos ex em campo), convertido por Pazzini. O árbitro ainda expulsou o mesmo Rossi logo depois sem que o zagueiro nada tivesse feito. Sem Gian Piero Ventura no banco, expulso por reclamação, e com um time cheio de desfalques, ficou difícil para o Bari, que chegou a improvisar até mesmo Almirón no ataque – o pior da competição, ao lado do ataque do Cesena, com apenas 10 gols marcados. O presidente Matarrese aguarda o mercado de reparação, no qual o time da Puglia deve ser um dos mais ativos.

Já a Sampdoria, na ausência de Cassano, pode contar com Guberti na criação. O meia externo tem evoluído bastante e, especialmente nesta tarde, fez uma excelente partida e foi autor de uma doppietta, com direito a golaço de fora da área. O crescimento da equipe na Serie A deve-se também a volta de Pazzini aos gols. O Pazzo, que marcou seu primeiro no campeonato apenas contra o Cesena, na 9ª rodada, já chegou aos seis e vai ajudando os blucerchiati na briga por vaga em competições europeias. Atualmente, a equipe de Gênova está na 6ª posição, com 23 pontos – mesmo número de Inter, Palermo e Roma.

Cesena 0-2 Bologna
Vivendo uma semana turbulenta, em meio ao caos societário, salários atrasados e uma penalização de um ponto por isto, nada melhor do que ganhar um fôlego na briga pela salvezza ao conseguir sua primeira vitória fora de casa na Serie A após 13 partidas e, sobretudo, no dérbi da Emília-Romanha. Superior no primeiro tempo, quando saiu na frente com o oitavo gol do capitão Di Vaio nesta Serie A (e oitavo na carreira contra Antonioli, sua vítima favorita), o Bologna sofreu na segunda etapa, quando Ficcadenti colocou seu time no 4-4-2, com as torres Bogdani e Budan na frente. Fundamental o bom trabalho do zagueiro Britos, que deu segurança à defesa e ainda sacramentou o resultado no final. O uruguaio pode ser negociado ainda em janeiro para quitar as dívidas do clube (a lista de interessados passa por Napoli, clubes ingleses e espanhóis). Britos e Di Vaio foram também os heróis da vitória por 2 a 1 contra o Chievo, em jogo atrasado da 14ª rodada realizado ensta quarta.

No ambiente cesenático, a paciência com o técnico Ficcadenti parece praticamente intacta, afinal, é plausível entender que se consiga trabalhar melhor em um time que acabou de subir para a elite. No entanto, se não existe tanta pressão no ambiente, insistimos: por que não dar mais chances às promessas contratadas no mercado de verão?

Fiorentina 1-0 Cagliari
A primeira derrota do Cagliari de Roberto Donadoni no campeonato ficou marcada pelo reencontro de Adrian Mutu com as redes. O atacante, que estava suspenso por doping, voltou às redes após um jejum de 10 meses e garantiu a vitória de um time que, com a lesão de Gilardino, não tem outras grandes opções para o comando de ataque. Ótimo momento para o romeno ir recuperando a forma após o longo afastamento, já que Montolivo, outro que pode fazer a diferença, deve voltar ao time apenas em janeiro.

A partida ficou marcada também pela grande atuação dos goleiros dos dois times. Enquanto Agazzi evitou, durante boa parte do jogo, que os viola ampliassem o placar, Boruc salvou o time da casa no final, fazend defesa vital cara a cara com Matri. Jogando no Artemio Franchi foi a quarta vitória conseutiva dos gigliatti, uma mostra de que o time parece começa a ganhar a cara de Mihajlovic, pelo menos na garra para defender os resultados, mesmo com dificuldades. O Cagliari, por sua vez, se viu refém da tarde apagada de Cossu, mesmo com a boa participação de Lazzari. E, surpreendentemente, Donadoni inicia um trabalho que parece promissor.

Parma 2-1 Udinese
Quem disse que Crespo estava acabado? Após duas temporadas de pouco brilho (uma na Inter e outra entre Genoa e Parma), o centroavante argentino volta a ser importante para o clube no qual estreou em solo europeu, na década de 90. Na difícil partida contra a Udinese, Valdanito decidiu a partida com sua segunda doppietta na semana, chegou aos seis gols na atual Serie A (151 em solo italiano) e afastou o Parma da zona de rebaixamento. Méritos também para o goleiro Mirante, que evitou o empate no final da partida e só não segurou uma bonita cobrança de falta de Di Natale. Após estar brigado com as redes, Totò já é artilheiro da Serie A ao lado de Eto’o e Cavani e é a esperança que a equipe friulana tem para brigar por algo a mais na temporada.

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 15ª rodada, clique aqui.
Para ler sobre os jogos do sábado, clique aqui.
Para relembrar a 14ª rodada, clique aqui.

Seleção da 15ª rodada
Sirigu (Palermo); Maggio (Napoli), Britos (Bologna), Bovo (Palermo), Dossena (Napoli); Guberti (Sampdoria), Gargano (Napoli), Hernanes (Lazio); Quagliarella (Juventus), Crespo (Parma), Ibrahimovic (Milan). Técnico: Walter Mazzarri (Napoli).

2 comentários

Deixe um comentário