Serie A

Parada de Inverno: Milan

Palmas para mim: Ibrahimovic, o solista que faltava ao Milan para disputar temporadas em alto nível e brigar pelo scudetto (Reuters)

Campanha
1ª posição. 17 jogos, 36 pontos. 11 vitórias, 3 empates, 3 derrotas. 29 gols marcados, 13 sofridos.
Maior sequência de vitórias: 4, da 5ª à 8ª rodada e da 9ª à 13 rodada.
Maior sequência de derrotas: –
Maior sequência de invencibilidade: 7, da 10ª à 16ª rodada.
Maior sequência sem vencer: 3, da 2ª à 4ª rodada.
Artilheiro: Zlatan Ibrahimovic, 9 gols.
Fair play: 26 cartões amarelos, 1 vermelho.

Time-base
Abbiati; Abate (Bonera), Nesta, Thiago Silva, Antonini; Gattuso, Ambrosini, Pirlo; Boateng (Seedorf); Robinho, Ibrahimovic.

Treinador
Massimiliano Allegri. O treinador foi contratado no início da temporada com o respaldo de um ótimo trabalho no Cagliari e com a expectativa de colocar o Milan para jogar um bom futebol. A falta de grife e o fato de nunca ter dirigido um clube grande pesavam contra o toscano, visto por desconfiança pelos mais críticos. Pois bem, Allegri não só comeu o panetone como tem calado os críticos, com mais um ótimo trabalho. Ele preferiu barrar Ronaldinho após alguns excessos noturnos do brasileiro e decidiu, de vez, apostar em um time mais equilibrado, com apenas dois atacantes (Ibrahimovic e Robinho) e “falsos” trequartistas – geralmente Boateng e Seedorf – que também voltam para marcar. O resultado é um time compacto, que sofre poucos gols mesmo com laterais vulneráveis e um futebol ofensivo e agradável de ver.

Destaque
Zlatan Ibrahimovic. De volta a Itália após uma temporada abaixo da média e desentendimentos com Guardiola no Barcelona, o sueco pode vencer seu nono título nacional de maneira consecutiva – considerando os dois títulos da Juventus, cassados após o Calciocaos. Ibra é o talento individual que faltava ao Milan: decide jogos, faz gols (são nove, até agora), dá assistências (sete) e é, de longe, o melhor jogador do campeonato até então. Ibra ainda foi fundamental em jogos importantes, como contra a Inter, no qual fez o gol da vitória. Além do solista, o Milan conta com outras peças que tem jogado bem: Robinho está aproveitando o que seria, provavelmente, sua última chance num grande europeu e, com seis gols, é o vice-artilheiro do time ao lado de Pato. No meio-campo, destaca-se a volta de Gattuso a boa forma física e, consequentemente, à boa fase, e também as boas exibições de Boateng e Pirlo, que dão a fluidez necessária ao time. O goleiro Abbiati, titular em todos os jogos não obstante a contratação de Amelia, também tem feito boa temporada.

Decepção
Ronaldinho. O brasileiro terminou a última temporada em alta e muitos criticaram a escolha de Dunga de deixá-lo de fora da Copa do Mundo. Hoje, porém, Ronaldinho não vem bem: após algumas noitadas, foi barrado por Allegri, que optou por Boateng em seu lugar. Depois do acontecido, o brasileiro passou a entrar apenas no final das partidas e parece destinado a voltar ao Brasil, para defender o Grêmio. Amelia e Papastathopoulos, dupla vinda do Genoa, também foi elagada ao banco. O ex-goleiro do Livorno, tetracampeão mundial com a Itália, foi contratado para fazer sombra a Abbiati e parecia ter chances de tomar a vaga do calvo arqueiro, mas está passando a temporada inteira no banco de reservas. Já o defensor grego ofereceria uma opção a mais a Allegri na defesa e até começou a temporada fazendo parte do grupo que era convocado para os jogos, mas ultimamente não tem nem mesmo ficado no banco. Seu futuro parece ser longe do clube, assim como o de Ronaldinho.

Perspectiva
Scudetto. A essa altura do campeonato, não dá para não considerar que o Milan seja favorito ao título. O time vem jogando bem, tem o segundo melhor ataque da competição e a melhor defesa, ao lado da Sampdoria. Da própria equipe doriana, os rossoneri adquiriram o maior reforço do mercado de inverno: Antonio Cassano. Se Cassano, inegavelmente, adiciona qualidade técnica ao time, por outro lado pode causar problemas internos. Até o momento, o time tem cinco jogadores (Ibrahimovic, Robinho, Ronaldinho, Pato e Cassano) para apenas duas vagas. Se a competição já seria acirrada com jogadores com egos menos inflados, com estes nomes, o vestiário pode explodir. Pato, que está voltando de lesão, já avisou: quer ser titular contra o Cagliari. Todos estes problemas, no entanto, não passam de previsão que os adversários gostariam que se concretizasse, já que, tecnicamente, o Milan está muito bem e é o favorito para o título. Na Liga dos Campeões, o duelo contra o Tottenham promete ser equilibrado e o título não parece um objetivo muito realista. Porém, se mesmo quando a fase não era boa, o Milan se impunha na LC, não é impossível imaginar que o time consiga ir mais longe desta vez.

1 comentário

  • olha me desculpem, mas esse tecnico do Milan é mt fraquinho!
    o Milan só esta onde esta por causa do Ibra, duvido que ele estaria na liderança do Italiano sem o Ibrahimovic duvido!
    ele é mt novo e mt frac tbm!

Deixe um comentário