Serie A

22ª rodada: Partida de (e para) recuperação


De Rossi abre o placar: com 17 minutos a menos, o canhoto Montella começa com o pé direito (Getty Images)

A Roma começou o jogo com um técnico e terminou com outro. Diante da paralisação da 22ª rodada por conta de neve excessiva, a partida de ontem foi iniciada numa cobrança de escanteio. Curiosamente, Vincenzo Montella, novo treinador romanista, adotou o esquema tático 4-2-3-1 que o sacrificou na época de Luciano Spalletti, substituindo o desgastado 4-3-1-2 de Claudio Ranieri. Doni, que chegou a ser terceiro goleiro nessa temporada, começou titular, deixando Júlio Sérgio no banco com Totti. Uma equipe ofensiva foi para cima do Bologna desde que a bola voltou a rolar, pressionando os mandantes através dos passes de Pizarro. O chileno, de volta à equipe depois de muito tempo parado, foi um dos melhores em campo.

Depois de algumas ocasiões, Casarini saiu jogando mal e perdeu a bola para Vucinic, que serviu De Rossi e viu a Roma abriu o placar. Ironicamente, o meia havia tocado a bola com a mão havia poucos minutos, quando já tinha cartão amarelo. De Rossi não recebeu o segundo cartão e apareceu livre na área para finalizar, aumentando a polêmica da partida. O panorama geral pouco mudou no segundo tempo, com o Bologna um pouco mais incisivo na busca pelo empate. Totti entrou no lugar de Borriello e foi bem, atuando de costas para o gol e distribuindo ótimos passes na faixa atacante (terá ele voltado à forma?).

Boas chances para os dois lados ocuparam a partida até seu fim, quando a defesa romanista, comandada por um Mexès inspirado (e desdentado após choque com Della Rocca), segurou-se apesar dos 14 gols sofridos nos últimos quatro jogos. Consertar a defesa já será um enorme passo para Montella, que começou fazendo-a atuar mais adiantada. As investidas laterais chamaram atenção contra o Bologna, visto que a Roma vinha abdicando cada vez mais destas. Uma vitória depois de quatro derrotas seguidas (Inter, Napoli, Genoa e Shakhtar) era tudo que Montella precisava para acalmar os ânimos de um ambiente deturpado e se ocupar com a ressurreição de uma Roma próxima de jogar a toalha.

Deixe um comentário