Serie A

34ª rodada: Dos vereditos formais e informais

Robinho embala o scudetto: mis quatro pontos e o
Milan confirma o título matematicamente (Getty Images)

Se a luta pela primeira colocação (e o título) está praticamente encerrada, a disputa pelas vagas em competições europeias ainda reserva grandes emoções. Foi o que a 34ª rodada nos mostrou neste sábado. Com a derrota para a Inter, a Lazio se distanciou de uma vaga direta para a Liga dos Campeões e agora vai ter que lutar para manter a quarta colocação, uma vez que Udinese e Roma vêm logo atrás de olho na vaga. Em Turim, a Juventus cedeu empate para o Catania no fim e viu a Roma abrir três pontos de diferença na briga pela Liga Europa. Na corrida por fora vem o Palermo, que venceu o Napoli em grande partida e passa a ter um pouco de esperança.

E, na parte de baixo da tabela, temos o primeiro veredito da Serie A: o Bari é o primeiro clube rebaixado nesta temporada e deve ser acompanhado pelo Brescia, que foi derrotado pelo virtual campeão Milan. Lecce, Sampdoria, Cesena, Catania e Parma brigam para evitar que o rebaixamento para a série cadetta.

Brescia 0-1 Milan
Sem Gattuso, Ibrahimovic e Pato, o Milan foi ao Mario Rigamonti para enfrentar o Brescia, em “partida crucial para decidir o título”, nas palavras do técnico Massimiliano Allegri. Cassano e Robinho compuseram o ataque rossonero, que perdeu muitas chances de marcar na primeira etapa. Do outro lado, Iachini escalou seu time com força máxima para tentar surpreender o Milan e ficar vivo na luta pela salvezza em um (aparentemente) ofensivo 4-3-1-2. O que se viu na primeira etapa, no entanto, foi um Brescia muito mais preocupado em defender do que em atacar.

No segundo tempo, então, a história mudou. Logo no início, Éder teve chance de marcar e desperdiçou. O bom momento continuou com Diamanti e Caracciolo, que quase colocaram o Brescia em vantagem. Naquele momento do jogo, Milan precisou contar com a trave e, novamente, com intervenções fundamentais de Abbiati para segurar o 0 a 0. Aos 37 minutos, Zébina errou feio e deu a bola do jogo para os visitantes: Cassano iniciou o contra-ataque e tocou para Robinho marcar e colocar a outra mão no título, mudando a história de um campeonato que parecia, ainda que de leve, ser reaberto novamente. Agora, a distância para o segundo colocado é de oito pontos. Só falta mesmo levantar a taça, o que pode acontecer já na próxima rodada. Basta a Inter não ganhar do Cesena, fora, e o Milan vencer o Bologna, no San Siro.

Inter 2-1 Lazio
Em uma das partidas mais esperadas do dia, na qual a Lazio poderia igualar o número de pontos da Inter e aquecer a disputa por vaga direta na Liga dos Campeões, foram os donos da casa que se deram melhor. Mas não foi fácil: logo aos 21 minutos, Júlio César fez pênalti em Mauri e foi expulso. Zárate bateu e deixou a Lazio em vantagem. Com um a menos, Leonardo foi obrigado a mexer no seu time e o fez bem: Milito foi o escolhido para dar lugar ao goleiro Castellazzi e, assim, o time passou a jogar em um 4-4-1 que deu solidez ao meio-campo, com Sneijder defendendo pelo lado esquerdo. Faltava conseguir algum espaço para atacar.

E aí a Lazio ajudou. Com um a mais em campo e a vantagem no placar, o ritmo dos biancocelesti caiu. A Inter conseguiu sair um pouco para o jogo e, de falta, Sneijder empatou, já no final do primeiro tempo. Na segunda etapa, a Lazio voltaria a ajudar os donos da casa: Biava escorregou feio em lançamento de Zanetti e não conseguiu segurar Eto’o, que marcou o gol da virada. Ainda teria tempo para expulsão de Mauri, por falta em Nagatomo, cada vez mais titular, e algumas oportunidades de gol não aproveitadas. Com a vitória, a Inter voltou à vice-liderança do campeonato, uma vez que o Napoli perdeu para o Palermo. A Lazio perdeu grande chance de se consolidar na briga por vaga direta na Liga dos Campeões e agora tem que se preocupar com os que vem atrás.

Palermo 2-1 Napoli
Enquanto isso, o Palermo cresce com o retorno de Delio Rossi e confirma a boa fase: o time voltou a jogar bem e está invicto nos quatro jogos que jogou desde a volta do treinador. Com isto, a Liga Europa vai se aproximando e pode chegar através da Coppa Italia ou, quem sabe, através da sétima colocação na Serie A. O Palermo vai se aproveitando dos tropeços juventinos e, com 50 pontos na tabela, está apenas três atrás da Juve e a seis de distância da Roma, sexta colocada.

Jogando em casa, o time de Delio Rossi tomou um susto logo no início, quando Cavani, ex-palermitano, marcou de pênalti. Mas foi só um susto. Depois disso, o Palermo desempenhou um jogo coletivo e proporcionou que Pastore ficasse mais livre de responsabilidades e voltasse a apresentar bom futebol. Assim, como um meio-campo compacto, o time rosanero passou a dominar a partida e viraram ainda no primeiro tempo, com Balzaretti e Bovo. Delio Rossi ainda foi expulso, por reclamar veementemente por expulsão de Pazienza. Na etapa complementar, o Napoli não conseguiu se levantar e o Palermo continuou pressionando. Hernández perdeu duas boas oportunidades de ampliar. Não fizeram falta. Depois do adeus à briga pelo scudetto, na rodada passada, o Napoli pareceu desanimado em campo, mas dificilmente ficará de fora da próxima Liga dos Campeões.

Udinese 0-2 Parma
A vitória fora de casa contra o Napoli pareceu apenas um lapso da Udinese, que vive um momento ruim. Amauri, ao contrário, vive quase estado de graça: em 11 jogos pelo Parma, marcou sete gols e recolocou a carreira nos trilhos. Em Údine, foi fundamental: marcou o primeiro com menos de 15 minutos de jogo e complicou a vida dos friulanos, que ficaram com um a menos em campo a partir dos 21 minutos do primeiro tempo, quando Inler foi expulso pelo segundo cartão amarelo.

Montado em 4-4-2 eficiente, com defesa consistente e preparado para contra-atacar, o Parma foi melhor e mereceu a vitória. Zaccardo e Lucarelli foram muito bem na parte defensiva, Modesto se movimentou bem pelo meio e, claro, Amauri foi decisivo, fechando o placar quase no fim do jogo – novamente em posição duvidosa. A vitória dá alguma tranquilidade ao Parma, que está apenas três pontos acima da zona do rebaixamento, mas que, se mantiver o bom futebol jogado nas últimas duas partidas, deve se salvar da Serie B. Já a Udinese, se mantém a apenas um ponto da Lazio na briga pela última vaga para a LC, mas agora vê a Roma encostando e o futebol caindo. Sem Inler nos próximos dois jogos, a situação pode ficar pior.

Bari 0-1 Sampdoria
No jogo dos desesperados, a Sampdoria conseguiu uma vitória mínima e agora pode respirar fora da zona de rebaixamento por pelo menos uma semana. O Bari, por outro lado, deu adeus à Serie A após duas temporadas, mesmo com um elenco superior ao de outras equipes na disputa do campeonato. Com o clube imerso em problemas financeiros, a diretoria pediu aos jogadores que adiem o recebimento de seus salários. A crise deve fazer com que boa parte do elenco não seja mantido para a disputa da Serie B, diminuindo as chances de retorno imediato à elite. Angustiada, a torcida implora para que novos investidores assumam o time, no lugar de Antonio Matarrese.

Em busca da vitória a qualquer custo, os blucerchiati partiram para cima dos donos da casa desde o início. Cavasin contou com a volta de Gastaldello ao centro da zaga voltou a usar o 4-4-2. O gol da vitória veio só no segundo tempo, com Pozzi, de pênalti, livrando os dorianos de um jejum de 817 minutos sem marcar gols fora de casa – o último havia sido com Pazzini, contra o Lecce, na última vitória da equipe fora de seus domínios. Na próxima rodada, a Samp tem mais um jogo contra rival direto na briga pela salvezza: recebe o Brescia, em Gênova, e contará com o desfalque de Poli, suspenso.

Bologna 0-2 Cesena
Outro time que vem de um bom momento é o Cesena, que já acumula quatro jogos sem perder e está conseguindo manter uma distância de segurança para a zona de rebaixamento. No dérbi da Emília-Romanha contra o Bologna, que já não tem pretensões neste campeonato, o time de Ficcadenti conseguiu uma importante vitória. No primeiro tempo, as duas equipes estavam apáticas e pouco movimentaram o jogo. O Cesena estava melhor na partida, dominando as ações e com mais posse de bola, mas sem levar verdadeiro perigo ao gol de Viviano. Só na segunda etapa o jogo mudou de figura.

Logo aos 3 minutos, Giaccherini mostrou seu lado oportunista e aproveitou o rebote de Viviano no chute de Jiménez. O atacante ainda importunaria o goleiro da Nazionale em pelo menos mais três ocasiões. Com o domínio do jogo, o Cesena relaxou um pouco e deixou o Bologna avançar. O time só voltou a acordar depois que quase sofreu o gol de empate. Aos 39, então, Malonga acabou com a aflição e ampliou. O Bologna ainda teve gol anulado, mas o resultado não se alterou mais. O Cesena está cada vez mais perto da salvação e com méritos: nas últimas nove partidas, venceu quatro e empatou quatro. Já o Bologna não vence há cinco jogos, desde que alcançou os 40 pontos, cota supostamente necessária para permanecer na elite, e se acomodou. Mas, nesta edição da Serie A, 40 pontos podem não ser suficientes para escapar da degola.

Roma 1-0 Chievo
Com o tropeço dos rivais que estão na frente (Lazio e Udinese) e atrás (Juventus) na tabela, a Roma pode voltar a sonhar com uma vaga na próxima Liga dos Campeões. Agora, quatro pontos separam o time da última vaga da LC e três o distanciam da Juventus, o que tira um pouco da pressão de ficar de fora também da Liga Europa. Em metáfora com uma corrida, os giallorossi já podem tirar os olhos do retrovisor e acelerar em busca de melhores colocações. Para isso, porém, não podem se contentar com o futebol jogado neste fim de semana e, principalmente, vão ter que melhorar a pontaria.

O gol da vitória saiu logo no início: quatro minutos após o apito inicial, De Rossi deu bom passe para Perrotta marcar, em jogada que começou nos pés de Totti. Mas poderia ter sido muito mais. Só no primeiro tempo, Vucinic perdeu pelo menos três chances claras de ampliar o resultado, em boas jogadas do capitão Totti, que novamente fez boa partida sob o comando de Montella. Por sorte, o adversário era o Chievo e esses gols perdidos não fizeram falta. Contra Bari, Catania, Milan e Sampdoria, nas quatro últimas rodadas do campeonato, podem fazer e decidir a classificação ou não para a maior competição europeia.

Genoa 4-2 Lecce
Se a Sampdoria conseguiu sair da zona de rebaixamento, deve agradecer o Genoa, que venceu e freou o bom momento do Lecce, que tinha conquistado sete pontos nos últimos três jogos. No jogo com mais gols da rodada, três jogadores marcaram duas vezes cada: de Floro Flores e Palacio para o Genoa e de Di Michele para o Lecce. Para enfrentar o Genoa fora de casa, De Canio escalou seu time com três zagueiros e cinco meio campistas, deixando nos pés de Jeda e De Michele a responsabilidade dos gols. O plano deu certo pela metade. Di Michele de fato fez boa partida e colocou duas bolas pra dentro, mas a defesa voltou a vacilar, como no início do campeonato.

O Lecce chegou a estar na frente no placar por duas vezes no jogo, porém, os gols de Floro Flores e Palacio não deram sossego aos giallorossi: o primeiro tempo acabou em 2 a 2. Na segunda etapa, os dois atacantes rossoblù não demoraram para matar a partida. Palacio fez aos 9 minutos e Floro Flores aos 17. O Lecce não desistiu e continuou procurando o gol, sem sucesso. A missão de De Canio agora é manter o time focado no objetivo final e ão deixar que este resultado afete as próximas atuações. A equipe vem de boas apresentações e tem chances reais de fugir do rebaixamento. Está na zona de rebaixamento, mas tem o mesmo número de pontos que a Sampdoria: 35.

Juventus 2-2 Catania
Em Turim, a Juventus levou o empate nos 15 últimos minutos de jogo. Del Piero já tinha marcado dois e alcançado mais um recorde com a camisa da Juventus: com 283 gols anotados pela Velha Senhora, o capitão se tornou o jogador com mais tentos assinalados por um único time italiano na história, superando os 282 de Giuseppe Meazza pela Inter. Pena, para os bianconeri, que o recorde não veio junto com uma vitória e que a classificação para a Liga Europa parece distante. O Catania, por outro lado, somou ponto importante na briga contra o rebaixamento graças a Gómez e Lodi, que, assim como contra o Lecce, acertou cobrança de falta perfeita, desta vez no último minuto dos acréscimos.

O jogo ficou marcado por decisões contestáveis do árbitro Mauro Bergonzi. No primeiro gol da Juventus, assinalou pênalti que só ele viu. No segundo do Catania, foi muito rigoroso ao marcar falta de Felipe Melo. Ainda assim, o resultado foi justo. A Juventus mais uma vez não soube segurar a vitória e deixou o Catania pressionar. O resultado praticamente tira qualquer possibilidade que Del Neri ainda tinha de permanecer no comando do time na próxima temporada e as estranhas trocas de Del Piero e Matri por Pepe e Toni em momento que o time depende de contra-ataques não devem mais irritar a torcida a partir de agosto. O que parecia impossível está cada vez mais perto: piorar a pífia campanha da temporada passada.

Cagliari 1-2 Fiorentina
Na única partida que realmente não valia nada em termos de classificação, Cagliari e Fiorentina prometiam uma partida parca em emoções. E foi assim na primeira etapa: jogo soporífero, que só teve o primeiro chute a gol nos acréscimos, quando Cerci marcou 1 a 0. Quando os times voltaram a campo após o intervalo, a partida ganhou alguns minutos de emoção, quando Cossu empatou aos 30 segundos, mostrando que o Cagliari não queria passar vergonha frente a sua torcida.
Link
Por outro lado, a equipe viola seguia as orientações de Mihajlovic, que queria somar três pontos por orgulho pessoal. Outro gol de Cerci, cinco minutos depois do empate cagliaritano, deram números finais à partida, por mais que os donos da casa tentassem, timidamente, vencer a defesa visitante.

Colaborou Rodrigo Antonelli

Para resultados, escalações, classificação e estatísticas da 33ª rodada, clique aqui.
Para relembrar a 33ª rodada, clique aqui.

Seleção da 34ª rodada
Abbiati (Milan); Nagatomo (Inter), Bovo (Palermo), Criscito (Genoa), Balzaretti (Palermo); Nocerino (Palermo), Parolo (Cesena), Sneijder (Inter); Palacio (Genoa), Amauri (Parma), Giaccherini (Cesena). Técnico: Delio Rossi (Palermo).

Deixe um comentário