Liga dos Campeões

Prévia: Inter x Schalke 04

Lehmann pega cobrança de pênalti de Zamorano e dá título da Copa Uefa 1996-97 ao Schalke. No ano seguinte, vingança interista nas quartas (Schalke04.com)

Parece que ficou determinado, por uma escolha do destino, que a Inter seria incumbida de defender o coeficiente italiano no ranking da Uefa perante os times alemães. Se, por um lado, impedir a ultrapassagem alemã e a tomada da quarta vaga na competição seria impossível, a equipe de Milão tem impedido que os germânicos disparem ainda mais. Depois de duas vitórias contra o Bayern Munique, o desafio da “vingadora” italiana será, pelo menos em teoria, mais simples: o Schalke 04 é o 11º colocado na Bundesliga e atravessa período complicado.

Na história das competições europeias, Inter e Schalke 04 tem dois precedentes pela Copa Uefa. As equipes fizeram final da competição em 1996-97, na última vez que a competição teve ida e volta nesta fase. A partida da volta, no Giuseppe Meazza, teve uma cena peculiar: Zanetti, que ainda não era capitão, ficou furioso – e se desculpou logo depois – com o técnico Roy Hodgson, porque foi substituído pouco antes das cobranças de pênaltis. Em pleno Meazza, deu Schalke, depois que Lehmann defendeu cobrança decisiva de Zamorano. A Inter, com Ronaldo, se vingou nas quartas da mesma Copa Uefa, na temporada seguinte, e seguiu seu caminho para se sagrar campeã, sobre a Lazio.

Para os confrontos entre alemães e italianos nesta edição da Liga dos Campeões, continuamos contando com a ótima colaboração de Pedro Venancio, responsável pela coluna semanal sobre futebol alemão na Trivela. Confira a prévia de Inter x Schalke 04 e confira depois o que aconteceu na partida. Boa leitura!

A temporada até aqui
Inter: Com Leonardo, a Inter recuperou a vontade de vencer, tem jogado bem e conseguiu voltar a disputar realmente as três competições que está jogando na temporada. Na Liga dos Campeões, a classificação contra o Bayern Munique, em virada conquistada no último minuto, foi uma prova de força importante para a equipe, que voltou a ter plena consciência de suas próprias forças. No entanto, na Serie A a equipe nerazzurra acabou não conseguindo dar a mesma resposta frente ao Milan, neste sábado, e ficou um pouco mais distante do hexacampeonato nacional. Atualmente, a Inter está na terceira posição do torneio, com 60 pontos – dois a menos que o Napoli e cinco a menos que o Milan.

Schalke 04: Badalado em função do vice-campeonato na temporada passada, o Schalke 04 perdeu diversos jogadores importantes, como Rafinha, Kevin Kuranyi e Bordon e apostou em nomes como Raúl e Atsuto Uchida para repor essas perdas. O início, porém, foi muito abaixo das expectativas e a equipe figurou por várias rodadas do primeiro turno na zona de rebaixamento da Bundesliga, se recuperando apenas nas últimas rodadas. Na Liga dos Campeões, porém, o desempenho é mais do que satisfatório: os azuis-reais ficaram com o primeiro lugar do Grupo B, eliminando o Benfica e desbancando o Lyon. Nas oitavas de final, levaram a melhor sobre o Valencia com um empate fora de casa e uma vitória em Gelsenkirchen. Nada disso, porém, serviu para manter o técnico Felix Magath no cargo, e fica a dúvida se seu substituto, Ralf Rangnick, já possui o conhecimento necessário do grupo para comandá-lo de maneira adequada.

Pontos fortes
Inter: Na Liga dos Campeões, a Inter deposita suas esperanças sobre Eto’o, que não é o craque tático da última temporada, e tem voltado a decidir partidas. Fundamental na competição, o camaronês tem jogado como centroavante, já marcou oito gols no torneio e participou de 13 dos 15 tentos interistas. O retorno de Milito ao time titular, depois da enésima lesão na temporada, fará os nerazzurri jogarem novamente com dois atacantes de área, incrementando o poder de fogo da equipe. Se voltar em forma e marcar pelo menos um terço dos gols decisivos que fez em 2009-10, o Príncipe será fundamental na reta final da temporada interista e pode ser fator de desequilíbrio. De resto, a espinha dorsal da equipe permanece a mesma: Júlio César, Maicon, Zanetti, Cambiasso, Thiago Motta e Sneijder.

Schalke 04: Entre todas as mazelas e inseguranças vividas pelo Schalke 04 nesta temporada, apenas um personagem sobreviveu intacto, sem um arranhão sequer à sua imagem: trata-se de Manuel Neuer. Titular na Copa do Mundo de 2010 apenas em função da lesão de René Adler, ele agarrou com unhas e dentes a oportunidade recebida, cresceu muito de produção no torneio e hoje é titular absoluto do Nationalelf, além de ser cobiçado por clubes como Bayern Munique e Manchester United. Os azuis-reais, porém, não se resumem apenas a Neuer. Há também a velocidade e a precisão das cobranças de falta de Jefferson Farfán, herói da classificação contra o Valencia, e a experiência de Raúl, maior artilheiro da história da Liga dos Campeões com 69 gols. A disciplina tática dos jogadores também é algo que precisa ser ressaltado.

Pontos fracos
Inter: Sem dúvidas, o grande problema da Inter na temporada é sua defesa. Desde a chegada de Leonardo, a defesa da Inter ficou inviolada em apenas cinco entre 19 partidas – ainda que Ranocchia seja um dos destaques atuais da equipe – e já acumula 35 gols sofridos na Serie A. Na primeira partida das quartas de final, a Beneamata terá o desfalque de Lucio, suspenso, e pode ter problemas, à medida que Córdoba e Materazzi não tem oferecido segurança e Chivu está desacostumado à função. De qualquer forma, no 4-2-fantasia utilizado por Leonardo em alguns jogos e, mesmo sob o 4-3-1-2, tem faltado conexão entre meio-campistas e zagueiros, fazendo com que o time conceda espaços demais. Ao contrário da equipe de José Mourinho, sólida e pragmática até as vísceras, a atual Inter não se pode dar ao luxo de gerenciar partidas a partir do campo de defesa. Praticando um futebol vertical demais, mas com doses de insegurança, é um time menos confiável.

Schalke 04: Antes da pausa de inverno, o Schalke já possuía um meio-campo que primava pela velocidade e pela transpiração, mas tinha sérios problemas em criar jogadas ou mesmo conduzir a bola para o ataque. Com a saída do camisa 10 Ivan Rakitic, esse problema se agravou ainda mais. Nomes como Ali Karimi, Alexander Baumjohann e Edu estão longe de empolgar, assim como José Manuel Jurado, embora este último ainda tenha alguns brilharecos. Outros, como Jan Morávek e, principalmente, Lewis Holtby, estão fazendo uma bela Bundesliga e pertencem ao clube, mas estão emprestados. Além do meio, o lado esquerdo também preocupa. Contratado com status de futuro craque, Sergio Escudero decepcionou até agora e Lucas Schmitz é apenas mediano. Na defesa, Metzelder mantém relativa consistência e às vezes consegue até cobrir as falhas de Höwedes, que fez belíssima temporada em 2009-10, mas parece que desaprendeu a jogar bola.

Expectativas
Inter: Assim como na última temporada, quando o sorteio dos confrontos das quartas de final definiu que a Inter enfrentaria o CSKA Moscou, as bolinhas sorriram novamente para os nerazzurri. Os italianos enfrentarão o time mais acessível entre os oito que continuam na principal competição de clubes do planeta e conseguiram fugir de Real Madrid e Barcelona no caminho até a final e, caso sigam em frente, farão confronto equilibrado com Manchester United ou Chelsea. No entanto, antes de pensar em qualquer futuro, a Inter precisará confirmar seu amplo favoritismo e passar pelo Schalke 04 primeiro. Restará aos jogadores da Inter, agora, se focar em dois objetivos paradoxais: não subestimar os azuis-reais e não se deixarem abalar pela derrota no dérbi de Milão, no sábado.

Schalke 04: Em toda e qualquer análise realista e racional que é, foi ou será feita sobre o confronto, o Schalke 04 é franco atirador e qualquer resultado que não seja a eliminação sem oferecer muita resistência será considerado uma grande surpresa. Afinal de contas, trata-se de um time desestruturado, que faz péssima campanha em seu campeonato nacional, trocou de técnico recentemente e, além disso tudo, é imensamente inferior tecnicamente ao seu rival, além de perder também em tradição no torneio. O futebol, porém, nem sempre obedece aos parâmetros da razão, e basta uma bola parada despretensiosa, ou um lampejo de Raúl ou Farfán, aliado a uma retranca eficiente, para mudar todo esse quadro. Combinação mais do que improvável para uma equipe que pode se considerar satisfeita por estar onde está.

Prováveis escalações
Inter: Júlio César; Maicon, Ranocchia, Chivu (Córdoba), Zanetti (Chivu); Stankovic (Zanetti), Thiago Motta, Cambiasso; Sneijder; Milito, Eto’o. Técnico: Leonardo.

Schalke 04: Neuer; Uchida, Höwedes, Metzelder, Schmitz; Annan, Hao, Jurado; Farfán; Raúl, Edu. Técnico: Ralf Rangnick.

Deixe um comentário