Serie A

Sobrando na turma

Tiribocchi (Atalanta) e Vitiello (Siena): suas equipes caíram para a Serie B em 2009-10, mas estão muito próximas do retorno à elite (LaPresse)

Duas das equipes rebaixadas na Serie A 2009-10 se aproximam do retorno à divisão de elite do futebol italiano. Atalanta (1°, 67 pontos) e Siena (2°, 66) estão muito à frente dos demais adversários na atual disputa da Serie B e dificilmente não garantirão em breve as duas vagas, que proporcionam o acesso direto à Serie A. O Novara, terceiro colocado e que já liderou o campeonato por boa parte do primeiro turno, caiu de produção e está à oito pontos do vice-líder Siena e à nove da líder Atalanta.

A equipe baseada em Bérgamo conta com a bandeira nerazzurra, Cristiano Doni, em campo e jogando bem. Aos 38 anos, o meia-atacante vive a sua segunda passagem pela Atalanta e com o gol marcado na última rodada, na goleada contra a Triestina, chegou a dez no campeonato. Assim, ele alcançou pela sexta vez a marca de dez gols ou mais com a camisa nerazzurra, jogando Serie A ou B: 14 em 1999-00, 16 em 2001-02, 10 em 2002-03, 13 em 2006-07 e 2007-08.

Outro destaque no setor ofensivo dos líderes é Simone Tiribocchi, também experiente, e autor de dez gols no torneio. Mas não é apenas o ataque que deixa a Atalanta em posição muito confortável na tabela. A defesa, que foi vazada apenas 22 vezes e é a melhor da Serie B, também é grande responsável pela bela campanha da equipe de Bergamo. Para os orobici, valeu a manutenção da base que caiu na última temporada: além de Doni e Tiribocchi, na defesa, o goleiro Consigli e os defensores Manfredini, Peluso, Bellini, Talamonti e Capelli faziam parte do time, assim como os meias Ferreira Pinto e Padoin. A evolução de Boaventura e as aquisições de Troest, Basha, Raimondi, Carmona e Marilungo (este em janeiro), tem feito da Atalanta um time quase imbatível.

No comando está Stefano Colantuono, o mesmo treinador que em 2005-06 levou os nerazzurri de volta à Serie A, após incríveis 24 vitórias na Serie B. O desempenho nessa teporada também é muito bom e com décima nona vitória alcançada contra a Triestina, na última rodada, já é o segundo maior em número de vitórias da Atalanta na história da Serie B empatado com 1939-40, 1976-77 e 2003-04. Com seis rodadas pela frente, há a possibilidade remota de a história ser reescrita. Mas, de qualquer forma, o acesso com o título seria o prêmio pela ótima campanha.

O Siena é o outro destacado na turma. Também rebaixado na última Serie A, os bianconeri adotaram uma estratégia um pouco diferente da líder da Serie B: ao invés da manutenção do elenco, muita coisa mudou. Seis dos jogadores mais utilizados nesta temporada chegaram à Toscana apenas para a disputa da segunda divisão. O artilheiro com 11 gols, no entanto, é Calaiò, que está no Siena desde 2008.

Para que a equipe tenha o melhor ataque da competição, outros nove jogadores contibuem com mais de um gol: Mastronunzio (nove), Larrondo (seis), Brienza (seis), Reginaldo (cinco), Bolzoni (três), Vergassola (dois), Terzi (dois), Troianiello (dois) e Sestù (dois). Méritos para o técnico Antonio Conte, que tem feito o time jogar um futebol coletivo e vistoso e, mesmo assim, em sua opinião, não tem sido reconhecido pela torcida.

Se a briga pela vagas diretas quase inexiste e Atalanta e Siena praticamente garantiram a volta, disputando o título, para os play-offs de acesso, dez times brigam pelas quatro vagas. Novara (3°, 58) e Varese (4°, 55) têm posição mais confortável. Os azzurri, que subiram da Lega Pro Prima Divisione neste ano e buscam o duplo acesso, tem o segundo melhor ataque da competição, mas tropeçaram nas últimas cinco rodadas, quando venceram apenas uma vez, o 1 a 0 sobre o Ascoli (20°, 36) e não conseguiram sustentar a ótima primeira etapa do torneio. A força ofensiva fica muito concentrada na dupla Bertani e González, que somados combinam para 26 gols, quase 50% dos tentos do time.

Os leopardos também subiram da Lega Pro nesta temporada e são a grande surpresa do campeonato, visto que o Novara tem uma estrutura melhor, bancada pela família De Salvo. Os varesini estão em uma sequência de oito jogos sem derrotas e, ao contrário do Novara, o ponto forte é a defesa, que sofreu apenas 25 gols. Além disso, a equipe conta com uma política interessante: desde a base, como vimos na Copa Viareggio, o clube vai em busca de brasileiros desconhecidos por aqui. No time principal, estão o goleiro Zappino, o zagueiro Claiton e os atacantes Alemão e Neto Pereira. Este último fez história no pequenino Itala San Marco, da Serie D, com 114 gols marcados pelo clube e, no time biancorosso, veste a camisa dez e foi responsável por seis gols na Serie B.

Mais atrás vem a Reggina (5°, 49), que tem em Bonazzoli o seu principal nome. O centroavante já marcou 15 vezes nessa Serie B e é ponto de experiência em uma equipe recheada de jovens oriundos do bom vivaio calabrês – destacam-se Rizzo, Barillà, Costa e Adejo, além do pouco mais experiente Acerbi. Porém, os amaranto poderiam estar em melhor situação se não estivessem sem vitórias a cinco rodadas em que teve sequência de adversários abordáveis. Na próxima rodada, o time comandado por Gianluca Atzori, cotado para assumir um dos times menores da Serie A na próxima temporada, enfrentará, no Oreste Granillo, a Cittadella (19°, 37), que fez bom campeonato no último ano e perdeu o encanto. Chance para voltar a vencer e fazer as pazes com a torcida.

O Vicenza (6°, 48) é o último time que hoje estaria classificado e a atual colocação dos biancorossi é uma grande surpresa, pois na temporada passada, o clube ficou longe da briga pela Serie A e terminou a disputa com apenas um ponto à frente do último time despromovido, o Ancona. A equipe vem de boa vitória sobre o Piacenza (14°, 41) – que não contou com Daniele Cacia, artilheiro da Serie B com 17 gols -, e tem mostrado um jogo de equipe forte, em que Abbruscato é o destaque, com 14 gols. O trabalho do técnico Rolando Maran, que salvou o time na última temporada, é muito positivo.

Torino (7°, 47), Livorno (8°, 45), Pescara (9°, 46) e Modena (10°, 45) são as equipes mais próximas da luta por uma vaguinha no grupo dos que jogarão pelo acesso nos play-offs. Entre eles, destaque para o Modena: os canários vêm de uma sequência de quatro vitórias e apenas um empate em cinco jogos – o melhor desempenho entre os 22 times da Serie B, nesse período. Assim, sonhar com um improvável, mas já possível acesso parece ser possível, principalmente, pelo fato de o campeonato estar muito disputado. Nos próximos três jogos, os canarini enfrentam a líder Atalanta e fará dois confrontos diretos, contra Vicenza e Torino.

O Torino, por sua vez, após um mau momento, em que acumulou quatro derrotas consecutivas, conseguiu a recuperação. O presidente Urbano Cairo demitiu Franco Lerda e chamou Giuseppe Papadopulo, que acabou demitido após os quatro reveses e deu lugar ao retorno do antigo treinador, demitido um mês antes. Apesar da confusão, o time reagiu bem e acumulou duas vitórias nas últimas duas partidas. Em uma delas, a goleada por 4 a 0 sobre o Ascoli (20°, 36), o artilheiro Rolando Bianchi anotou uma doppietta.

Mais atrás e ainda com remotas chances, estão Empoli (11°, 44), Grosseto (12°, 44), Padova (13°, 42) e Piacenza (14°, 41). O Piacenza comemora: poderá contar com Cacia após quatro jogos de suspensão. Com ele, o time ganha força para a reta final da disputa, mas se não se cuidar, pode ver uma chance de acesso se transformar em briga pelo rebaixamento, já que a Serie B está bastante embolada, como é tradição. O Padova, por sua vez, fazia campeonato muito bom, até que Succi, autor de 15 gols na temporada, se lesionasse e tivesse de ficar de fora do restante do campeonato. Sem ele, o desempenho do time caiu, embora o jovem El Sharaawy, emprestado pelo Genoa, seja um dos destaques do torneio.

Entre aqueles que brigam contra o rebaixamento, estão Triestina (22°, 30) e Frosinone (21°, 33), praticamente relegados à Lega Pro. O Ascoli (20°, 36), que ficou na metade de cima em 2009-10 vem de três derrotas e por enquanto estaria reabaixado, mas está próximo em pontos da zona de sobrevivência, que começa com o AlbinoLeffe (17°, 39). Portogruaro (19°, 37) e Cittadella (18°, 37), disputariam o play-out para definir quem escapa do terrível destino das divisões inferiores.

A surpresa entre os times que estão embolados na parte inferior da tabela é a presença do Sassuolo. Na última Serie B, os neroverdi mostravam evoluções dentro de sua estrutura, brigaram pelo acesso até o final e só caíram nos play-offs de acesso, após duas partidas duras contra o Torino. Cittadella e Crotone, que também tiveram boa participação na última Serie B, hoje estão em má situação e são as outras equipes que surpreendem negativamente. Nada mais revelador do estado do futebol italiano: falta estrutura para que as equipes menores mantenham o pique por mais de uma temporada e deem um salto de qualidade significativo.

Colaborou Nelson Oliveira

Deixe um comentário