Coppa Italia

Um pouco mais complicado

Emanuelson vibra após marcar: seu gol tirou o Milan de uma situação ainda mais complicada (AP Photo)

Líder da Serie A com folga e, para muitos, virtual campeão italiano de 2011, o Milan não terá a mesma vida fácil para conquistar o título da Coppa Italia. O favoritismo na partida de ida das semifinais, diante do Palermo, não foi confimado e deixou os comandados de Massimo Allegri em situação um tanto quanto embaraçosa. Jogando com time misto – o principal foi poupado para a disputa do Italiano – os rossoneri empataram em 2 a 2 com os rosanero e, para piorar o fato de não ter vencido, saiu do San Siro com dois gols do adversário na bagagem, fato que pode decidir a classificação.

Suspenso na Serie A, Ibrahimovic foi a principal estrela milanista em campo. Basicamente todas as jogadas do time de Milão passavam ou terminavam nos pés do sueco, referência para seus companheiros. A tática não demorou para dar certo e, logo aos 4 minutos do primeiro tempo, o atacante aproveitou cruzamento de Oddo para abrir o placar. Com a vantagem no marcador o time da casa relaxou e logo passou a ser dominado pelo adversário, que sem maiores aspirações na Serie A, foi a campo com o que tinha de melhor.

Na base da insistência, aproveitando as falhas de um Milan misto, o Palermo conseguiu chegar ao empate do mesmo modo que os donos da casa: através de sua principal estrela. O argentino Pastore recebeu ótimo lançamento e, já dentro da área, bateu com a bola a meia altura para empatar o duelo. E com a igualdade no placar, o Palermo continuou tomando as rédeas do jogo, atrás de uma virada que inverteria o aparente favoritismo do duelo, mas que confirmaria um retrospecto recente favorável ao time palermitano. Contando com o jogo de quarta, são 13 partidas disputadas entre as duas equipes nos últimos seis anos, com apenas quatro vitórias do Milan.

A iniciativa dos rosanero, mesmo jogando fora de casa, foi crucial para o desenvolvimento do restante da partida. Logo aos oito minutos da etapa final o domínio do Palermo foi premiado com a virada, que veio com um golaço do uruguaio Abel Hernández. O jogador sul-americano recebeu bola quase na linha de fundo, dentro da área, e, surpreendendo a todos, bateu direto para o gol rossonero, acertando um belo chute do ângulo milanista. A virada sofrida acendeu o Milan, que desde que abrira o placar era dominado pelo adversário.

A desvantagem no placar fez com que Allegri abrisse mão de poupar algumas de suas estrelas. Com o adversário na frente, o treinador colocou em campo Robinho e Emanuelson, dando muito mais velocidade e posse de bola ao Milan. A tática proposta pelo técnico toscano funcionou e, mesmo com certa demora, o empate veio. O tento que igualou o marcador, inclusive, veio pelos pés do holândes, que apenas teve o trabalho de finalizar uma bela jogada de Ibrahimovic, melhor em campo pelos milanistas, e dar números finais ao duelo.

Ao Milan sobram duas considerações após o empate em 2 a 2 com o Palermo: se na Serie A a vida está fácil, a situação é contrária com a obrigação da vitória na semifinal da Coppa Italia; também é destaque a diferença que Ibra faz para o time, dando ainda mais esperanças aos torcedores para quando a suspensão do jogador terminar. Aos rosanero sobra a esperança de ter jogado melhor do que um adversário que parece mais interessado em outra competição, além de uma vantagem considerável já conquistada.

Deixe um comentário