Jogadores

Fernando Couto foi um dos tantos portugueses vitoriosos no futebol italiano

A geração de ouro do futebol português tem tudo a ver com o futebol italiano. Entre os bons jogadores revelados pelo futebol luso no final da década de 1980 e no início da década seguinte, alguns dos melhores atuaram no futebol italiano: o primeiro, Rui Costa, deu espaço para que outros, como Nuno Gomes, Paulo Sousa e Sérgio Conceição – e, anos mais tarde, um já consagrado Figo – passassem pelos campos do país. No entanto, o futebol de Portugal não revelava só meio-campistas, mas também zagueiros de nível internacional, como Fernando Couto, que teve carreira vitoriosa por Parma e Lazio.

No fim da década de 1980, Fernando Couto integrava as categorias de base do Porto. Para ganhar experiência, foi emprestado para o Famalicão, da terceira divisão, em 1988. Ele começou a chamar atenção quando mudou-se para o Acadêmica de Coimbra, um ano depois. Titular da equipe da divisão de acesso, o zagueiro também foi campeão mundial sub-20 na Arábia Saudita. Voltou ao Porto para fazer grande sucesso entre 1990-94, na época de ouro do futebol português.

Depois de conquistar dois campeonatos nacionais e uma Copa de Portugal, migrou para a Itália com o intuito de jogar na melhor liga da Europa, segundo ele. O seu primeiro clube foi o Parma, em 1994. Debutou no dia 4 de setembro contra a Cremonese, com vitória por 2 a 0. Foram 27 jogos disputados naquela temporada, impressionando a crítica devido ao seu ótimo temperamento e carisma, além de sua característica de se doar em prol da equipe. Afora sua marcação firme, o zagueiro se mostrava um bom ginasta – sua famosa comemoração com um mortal para frente foi vista quatro vezes. Logo na primeira época, Fernando Couto conquistou o título europeu ao lado de Dino Baggio, Zola e Sensini. Na final, o Parma bateu a Juventus de Roberto Baggio.

Português marca Vialli em sua primeira passagem pelo Parma (Soccer Nostalgia)

A temporada seguinte foi irregular e Fernando Couto participou de apenas 12 jogos. Entretanto, como teve uma boa atuação na Euro 96, na primeira competição internacional de prestígio disputada pela sua geração portuguesa, conseguiu uma transferência para o Barcelona. Juntamente com seu conterrâneo Figo e com Ronaldo (apenas no primeiro ano), conseguiu o título europeu sobre o Paris Saint-Germain de Leonardo, em 1997, além de duas Copas do Rei, uma Supercopa espanhola e um campeonato nacional. Fernando Couto, no entanto, não correspondeu às expectativas e acabou relegado ao banco da equipe catalã.

Mesmo com a passagem ruim pelo futebol espanhol, o prestígio do zagueiro continuava intacto na Itália. Dessa forma, foi contratado pela Lazio por 6 bilhões de liras, depois que Sven-Göran Eriksson requisitou sua contratação, bancada pela Cirio, do presidente Sergio Cragnotti – que ainda gastaria muito com craques do quilate de Verón, Nedved, Salas, Vieri, Simeone, Mihajlovic e Mancini. Na sua primeira temporada vestindo biancoceleste, Fernando Couto venceu a Supercopa Italiana, além da Recopa Europeia. Na Serie A, a Lazio acabou amargando o vice-campeonato na última rodada, quando o Milan de Zaccheroni, Maldini, Costacurta, Albertini, Leonardo, Boban, Weah e Bierhoff acabou lhe ultrapassando.

Fernando Couto, porém, era reserva de Nesta e Mihajlovic. Do banco, assistiu, na temporada 1999-2000, o ano mais prodigioso da história do clube: título da Supercopa Europeia, da Coppa Italia e o segundo scudetto laziale. Pela seleção portuguesa, no entanto, era titular, e foi peça-chave na campanha de sua seleção na Eurocopa 2000. Portugal caiu nas semifinais para a França e ficou com o terceiro lugar, mas havia encantado o continente e se credenciava como uma das melhores seleções do mundo.

Na temporada 2000-01, Fernando Couto passou por uma de suas piores fases na carreira, após jogo contra a Fiorentina, em janeiro. Seu exame antidoping acusou nandrolona, um estimulador de massa muscular que aumenta o índice de competitividade, mas que pode ser produzida de forma natural, pelo próprio corpo. O médico do clube, Andrea Campi, disse que os únicos produtos ingeridos pelo jogador foram os ricos em sais minerais e vitaminas – precisamente dois componentes que estimulam a produção de nandrolona. A justificativa não foi aceita e Fernando Couto passou quatro meses sem poder atuar, voltando a jogar apenas no ano seguinte.

Com a saída de Cragnotti da presidência do clube, a Lazio viveu um período de estagnação, causado pelas imensas dívidas deixadas pela gestão irresponsável de seu ex-mandatário. Após a venda de Nesta, em 2002, Fernando Couto assumiu a titularidade do time, que ainda continuava competitivo: em três temporadas como titular na capital, o português brilhou em duas.

Foi importante para fazer uma das melhores defesas da Serie A, ao lado de Mihajlovic, e ajudou a Lazio a ganhar uma Coppa Italia, além de chegar às semifinais da copa em outra oportunidade. Também ajudou a equipe da capital a chegar às semifinais da Copa Uefa e a classificar-se para a Liga dos Campeões. Na Euro 2004, perdeu a titularidade após a estreia ruim, com derrota para a Grécia, e acabou na reserva da equipe treinada por Luiz Felipe Scolari, embora ainda tenha entrado em campo durante algumas partidas na competição. Após a derrota para a Grécia na final, aposentou-se da seleção.

Na última temporada como titular pela Lazio, a diretoria não iniciou conversas para renovação de seu contrato, pois começava a cortar despesas, na gestão do atual presidente Claudio Lotito. O zagueiro, de 36 anos, passou três meses sem vínculo e teve conversas com clubes da Premier League inglesa, mas retornou ao Parma para encerrar a carreira. Fernando Couto foi titular da equipe nas suas últimas três temporadas e, após duas campanhas regulares com a equipe crociata, não conseguiu salvar o Parma do rebaixamento, em 2007-08. O português não teve seu contrato renovado e optou por encerrar a carreira.

Fora dos gramados, Fernando Couto foi membro da Federação Portuguesa em 2009 e, atualmente, é diretor esportivo do Sporting Braga, vice-campeão da Liga Europa desta temporada.

Fernando Manuel Silva Couto
Nascimento: 2 de agosto de 1969, em Espinho, Portugal
Posição: zagueiro
Clubes: Porto (1987-88, 1990-94), Famalicão (1988-89), Acadêmica (1989-90), Parma (1994-96 e 2005-08), Barcelona (1996-98) e Lazio (1998-05)
Títulos: Mundial Interclubes (1987), 2 Campeonatos Portugueses (1991-93), 2 Copas de Portugal (1990-91, 1993-94), 3 Supercopas de Portugal (1991, 93, 94), Copa Uefa (1994-95), 2 Recopas Europeias (1996-97, 1998-99), Campeonato Espanhol (1997-98), 2 Copas da Espanha (1996-98), 3 Supercopas da Uefa (1987, 1997, 1999), Serie A (1999-00), 2 Coppa Italia (1999-00, 2003-04) e 2 Supercopas Italianas (1998, 2000)
Seleção portuguesa: 110 jogos e 8 gols

Deixe um comentário