Seleção italiana

Paixão in loco

Quando analisamos futebol, muitas vezes tentamos deixar de lado o lado passional do esporte. Dessa vez, abrimos espaço para que Alberto Santini, torcedor e apaixonado pela seleção italiana, relate sua experiência de ter visto a Squadra Azzurra ao vivo, em Bari.

***

Eu, Alberto, desde que me entendo por gente, amo o futebol. E quando me mudei para o Brasil – nasci na Itália -, essa paixão só aumentou, afinal de contas estamos falando de dois países em que o futebol é unânime. Por não morar mais lá, os jogos da Nazionale ficaram só na televisão mesmo. Porém, o amor por ela só cresceu. E esse ano, de férias na velha bota, tive a oportunidade de ir a um amistoso, que de amistoso só teve o nome. Com as duas últimas campeãs do mundo em campo, como poderia ser um amistoso? Foi inesquecível, desde o primeiro minuto dentro do Estádio San Nicola, em Bari.

Mesmo com todos os escândalos envolvendo manipulação de resultados aqui na Italia, o futebol não morreu. “La gente ancora respira il calcio“. E prova disso foi a apaixonada torcida italiana – 50 mil pessoas – comparecendo em peso nesse grande jogo de luxo. O hino nacional é algo de se ARREPIAR: isso mesmo, em letras maiúsculas. E a cada momento da partida parecia que havia um relógio ao meu lado, dando a entender que o fim estava próximo.

Queria que ele parasse naquele momento, de preferência na hora em que a bola delicadamente tocada por Montolivo beijou a trave de Casillas e levou “i tifosi azzurri” ao delírio. Comemorei o gol como uma criança. Energia incrível naquele momento. A Itália estava apresentando um bom futebol e infelizmente a Espanha veio a empatar. Intervalo de jogo com música e festa, parecia que a torcida estava sentindo que a vitória logo chegaria.

E, após sofrer muito no segundo tempo, chegou. Curiosamente, quem me presenteou com essa vitória foi o Alberto. Tinha que ser o Aquilani pra me dar essa satisfação: tinha que ser o Alberto pra dar ao Alberto a emoção de assistir à primeira vitória de perto de sua tão amada Squadra Azzurra.

Deixe um comentário