Serie A

2ª rodada: Gols para todo lado

Pirlo se adaptou bem em campo e foi o maestro na goleada da Juve (Getty Images)

Quem acha o campeonato italiano chato se surpreendeu com a primeira rodada. O número de gols (foram 35, no total) impressionou até os maiores apreciadores do futebol da Bota. Também, pudera, desde 1955 não se registrava uma média de gols tão alta em uma primeira rodada da Serie A. Jogos abertos, como os da sexta e do sábado, mas também como Palermo e Inter contribuíram para isso. A expectativa é de que a média continue surpreendendo, já que boa parte das equipes da elite do futebol italiano promete um futebol vistoso. Acompanhe o resumo dos jogos da 2ª rodada.

Palermo 4-3 Inter
Quando a Inter recebe quatro gols de uma equipe que atingia o auge de uma crise profunda há dez dias, é porque tem algo muito errado. Sobre os problemas – principalmente defensivos, embora o ataque tenha funcionado mal, à parte Milito, que parece renovado – da Inter e das escolhas de Gasperini, já falamos exaustivamente neste texto. Se as estreias de Forlán e Zárate, perdidos no esquema nerazzurro, foram decepcionantes, a do técnico palermitano Devis Mangia, que treinava a equipe Primavera do Varese até três meses atrás e dava pinta de ser apenas interino, foi muito boa. Mangia conseguiu dar padrão de jogo e, principalmente, motivação a uma equipe que parecia destroçada e sem rumo após tantas saídas. Maurizio Zamparini, um sujeito temperamental em matéria de treinadores de futebol, já afirmou que ele será mantido e que espera iniciar um longo ciclo com o treinador. Embora, como conhecemos Zamparini, a frase foi falada da boca para fora, para a afirmação de Mangia, o capitão Miccoli será fundamental. Contra a Inter, o Romário do Salento fez excelente partida e seus dois gols só reafirmaram o quanto ele pretende continuar no centro do projeto rosanero.

Juventus 4-1 Parma
A estreia oficial no novo estádio dificilmente poeria ser mais positiva para a Juve. A goleada sobre o Parma foi uma pequena vingança bianconera sobre os visitantes, que na última ida a Turim aplicaram o mesmo placar. Desta vez, a equipe crociata jogou muito mal e colaborou muito para que a Juventus chegasse a um placar tão elástico. Outro responsável direto pelo resultado foi Pirlo, maestro do meio-campo juventino e autor de duas belíssimas assistências – além de outros 106 passes. Haviam muitas dúvidas de como o ex-milanista iria se encaixar no time de Conte e se elas ainda não podem ser totalmente dissipadas, Pirlo deu ao menos uma bela resposta. A entrada de Vidal, no segundo tempo, fez bem à equipe e é provável que o chileno ganhe uma posição entre os titulares. Ao contrário das mudanças de Gasperini, as de Conte parecem ter um futuro interessante em Turim.

Roma 1-2 Cagliari
Quer ganhar uma aposta fácil? Aposte que Daniele Conti marcará contra a Roma. Como de costume, o filho do ídolo Bruno Conti, que deixou a capital logo após se tornar profissional, decidiu a partida em favor dos visitantes, que conseguiram fazer impor, contra uma Roma absolutamente renovada, o fato de serem um conjunto que se conhece muito bem. Apesar da derrota, a Roma pressionou muito. O goleiro Agazzi foi muito exigido e, embora costume errar em lances mais fáceis – como no gol de De Rossi, no último segundo -, fez boa partida. Na Roma, destaque para as boas partidas de De Rossi e Pjanic e também para a entrada de Borini, nos minutos finais, que colocou a equipe para frente. Por outro lado, José Ángel se demonstrou nervoso e acabou deixando o time com dez, quando fez falta dura depois de falhar no gol de Conti; o Bojan que chegou à Trigoria está longe de convencer e Osvaldo fez uma má partida. Tutto da rivedere para Luis Enrique, diriam os italianos. Para os visitantes, muito boa a impressão deixada pelo atacante El Kabir, que entrou no final e fez um gol de quem conhece. Larga na frente de Thiago Ribeiro, que foi titular e não jogou bem.

Fiorentina 2-0 Bologna
Crise? Que crise? A Fiorentina deu uma boa mostra de que a crise de motivação da qual a imprensa (inclusive nós, aqui no blog) tem comentado não parece tão séria assim. No dérbi do Appennino, a Fiorentina contou com uma boa atuação de Montolivo e teve um Gilardino dedicado, bem longe do que diziam as más línguas. A equipe de Florença também contou com um presentão de Pierpaolo Bisoli, técnico bolonhês: ele improvisou Pulzetti na lateral direita e colocou Raggi na esquerda, quando tinha Morleo no banco. Com isso, Cerci e Jovetic tiveram facilidade para jogar e, juntamente com Pasqual, foram as grandes válvulas de escape florentinas e participaram dos dois gols, que surgiram em jogadas sobre Pulzetti. Na segunda rodada, o desafio da Fiorentina é mostrar que o grupo continua coeso, como a direção e Mihajlovic tem afirmado. Já o Bologna vai ter que corrigir a defesa. O meio-campo, ao menos, funcionou bem e Diamanti, que até acertou a trave – assim como Krhin – mostrou estar adaptado.

Genoa 2-2 Atalanta
A trajetória de recuperação da Atalanta nesta Serie A começou bem. Além de somar um importante ponto para deixar para trás os 6 que perdeu no tribunal, a equipe de Bérgamo jogou bem. O destaque do jogo foi o estreante Maxi Moralez, provável peça-chave no esquema nerazzurro, que deve ser ofensivo por causa da punição. O baixinho mostrou grande velocidade e utilizou essa característica a seu favor nos dois gols que marcou. Para o Genoa, o resultado não chegou a ser desastroso, mas um primeiro tempo tão ruim não pode ser repetido. Malesani ainda tem muito o que acertar no time. Ironicamente, ele pode comemorar a expulsão do trequartista Birsa, que teve de fazer uma falta de último homem no final do jogo para evitar que a Atalanta chegasse ao terceiro.

Chievo 2-2 Novara
Em sua reestreia na elite após 55 anos, o Novara conseguiu um bom ponto fora de casa. Os azzurri chegaram a estar perdendo por 2 a 0, depois que Pellissier e Théréau marcaram, ainda no primeiro tempo, mas mostraram um bom poder de reação, sobretudo pela boa partida de Pinardi. O Novara ainda contou com a ajuda de alguns jogadores do Chievo. Primeiro Sardo, que fez duas faltas bobas e acabou sendo expulso no início do segundo tempo, o que permitiu ao Novara ganhar muito espaço no campo adversário, mesmo que o forte calor não permitisse uma blitz. Pior mesmo foi Moscardelli, que após a expulsão do lateral poderia ter matado o jogo, mas perdeu mais um gol incrível em sua carreira. Menos mal para o Chievo que Jeda perdeu ótima chance no final. As lamentações poderiam ser maiores.

Lecce 0-2 Udinese
Jogando sob um sol escaldante e com 37 graus de temperatura, a Udinese da normalmente gélida Údine definiu a partida nos minutos iniciais, com gols do lateral Basta e do capitão Di Natale. Mesmo sem os três pilares que deixaram o time no verão (Sánchez, Inler e Zapata) e sem dois que restaram, Isla e Armero, lesionados, a Udinese foi extremamente superior a um time que ainda terá de trabalhar muito para deixar de ter pinta de rebaixado. Na Udinese, estreia muito positiva de Torje, que chegou para substituir Sánchez e embora tenha perdido alguns gols, fez boas jogadas e participou do segundo gol bianconero. Olho nele.

Catania 0-0 Siena
Na partida mais chata da rodada, o calor do verão siciliano atrapalhou bastante, é verdade, mas as equipes pouco se esforçaram para jogar bem. O destaque da partida acabou sendo o zagueiro catanês Bellusci, que demonstrou segurança, enquanto do lado do Siena, D’Agostino foi o melhor em campo e acabou sendo inexplicavelmente substituído pelo estreante Giuseppe Sannino. Melhor para ele que o ponto conseguido fora de casa contra uma concorrente direta na luta pela salvezza foi um bom resultado.

Veja todos os gols da rodada.
Para saber como foram os jogos da sexta e do sábado, clique aqui e aqui.
Para resultados, escalações e estatísticas da 2ª rodada, clique aqui.

Seleção da 2ª rodada
Agazzi (Cagliari); Lichtsteiner (Juventus), Bellusci (Catania), Campagnaro (Napoli), Pasqual (Fiorentina); Pirlo (Juventus), Inler (Napoli), Mauri (Lazio); Hamsík (Napoli), Moralez (Atalanta); Miccoli (Palermo). Técnico: Devis Mangia (Palermo).

Deixe um comentário