Serie A

O presidente é rock and roll

Chapéu de pescador, camisa dos Ramones e guitarra empunhada. Quando não está fazendo loucuras à frente do Cagliari, Massimo Cellino lidera os Maurilios (Quadrimensalmente)

Publicado também no Lado B do Futebol.

O Cagliari pode até ter começado bem a atual Serie A, com duas vitórias e um empate em quatro jogos, mas quem sempre é notícia é seu presidente, Massimo Cellino. Cellino é um presidente folclórico, acostumado a dar declarações polêmicas e a demitir treinadores a atacado – antes mesmo do início desta temporada, exonerou Roberto Donadoni por divergências em relação ao mercado, e chegou à 33ª troca de treinadores em 19 anos na presidência do clube.

Apesar da demissão do ex-jogador do Milan, ultimamente, Cellino tem ficado afastado das polêmicas, já que o time da Sardenha tem feito boas campanhas e caminha para uma estabilidade. Enquanto o ambiente cagliaritano vive momentos de tranquilidade e a tarefa mais urgente do presidente é a de proporcionar ao clube um novo estádio, particular, para abandonar o peculiar Sant’Elia – o “estádio dentro de outro estádio”, segundo o jornalista Silvio Lancellotti -, Cellino tem tempo para se dedicar a sua maior paixão: a música.

O milionário sardo, como tantos outros cinquentões, é apaixonado por rock dos anos 70. Cellino é guitarrista e líder da banda I Maurilios, que faz covers de toda a sorte de rock que fez sucesso na década do rock de arena e dos experimentalismos. O repertório é uma espécie de best of de festa de casamento de um homem de meia idade roqueiro: tem Pink Floyd, Rolling Stones, David Bowie, Joe Cocker, Bob Dylan, Jimi Hendrix e, claro, uma versão de Hotel California, dos Eagles. No Youtube, dá para ver uma série de covers deles, como este, de Comfortably Numb, do Pink Floyd.

Normalmente, a banda se reúne para concernos beneficientes, como o do início do mês de setembro, quando Massimo Cellino convidou integrantes de algumas bandas de rock para tocarem na Sardenha. O presidente cagliaritano teve a seu lado gente do calibre de Don Airey e Ian Paice (respectivamente, tecladista e baterista do Deep Purple), Chris Salde (baterista do AC/DC) , Michael Schenker (ex-guitarrista dos Scorpions), Kee Marcello (guitarrista do Europe), Neil Murray (baixista do Whitesnake), entre outros músicos. Será que algum deles sequer imaginaria que um dia tocaria ao lado de um presidente de um time de futebol?

Cellino voltou a virar notícia na Itália nesta semana. Ele é a capa da revista Sport Week, publicada pelo mesmo grupo da Gazzetta dello Sport. No site do Cagliari dá para ver uma prévia da capa. Canastrão, hein?

Lado B
The Rolling Stones – Paint it black (Aftermath, 1966)Link

Deixe um comentário