Serie A

10ª rodada: Vitória à francesa

Rocchi completa para fazer seu 100º gol pela Lazio: o time da capital vence, convence e se fixa entre os líderes da Serie A (Getty Images)

Se, no sábado, a Juventus reafirmou que voltou a colocar medo nos times grandes da Itália e está em busca de reocupar seu lugar, Lazio e Udinese não deixam por menos: as duas equipes, que já fizeram ótima temporada em 2010-11, continuam fortes e mostram que a classificação para a Europa, no ano passado, não foi à toa. Vice-líderes, um ponto atrás da própria Juve, as equipes foram o eestaque do domingo. Acompanhe o resumo da rodada.


Cagliari 0-3 Lazio
Se de um lado estava a maior surpresa do início da temporada italiana, do outro estava uma equipe que vem consolidando o trabalho bem feito por seu treinador e soma, agora, cinco vitórias e dois empates nas últimas sete partidas disputadas. O ótimo resultado veio contra um Cagliari que não havia sido derrotado até então no Sant’Elia e só tinha levado um gol nos confrontos em que fora mandante. Com Cissè  dividindo a armação de jogadas com o brasileiro Hernanes, os laziale dominaram toda a partida e não tardaram para chegar ao primeiro gol. O francês fez bela jogada pela esquerda e colocou ótima bola para Lulic abrir o placar. Poucos minutos depois, o atacante desceu novamente com qualidade e cruzou com precisão para Klose ampliar. 

A etapa final foi marcada por alguma pressão dos sardos, principalmente pelos pés de Cossu, melhor rossoblù em campo. Mas as poucas chances foram brecadas na falta de pontaria do Caglari, que ainda viu, aos 43 minutos, Rocchi sair do banco e aproveitar um rebote para marcar seu centésimo gol com a camisa laziale e o terceiro da equipe na partida. Mais uma ótima atuação dos comandados de Eddy Reja, que se consolidam cada vez mais como uma das forças da parte de cima da tabela nesta temporada.

Udinese 1-0 Palermo

Mais uma vez a força do Friuli fez a diferença para a Udinese. A quarta vitória em quatro jogos atuando em casa deu ainda mais respaldo para o time de Guidolin, que mesmo contra algumas previsões, faz uma Serie A irretocável e já se desenha como grande candidato ao título. Com a proposta de futebol rápido e ofensivo que se tornou característico do treinador, a Udinese partiu para o ataque e, apesar de não jogar bem, contou com a sorte e o faro de gol de Di Natale para vencer. Atacando muito, mas sem efetividade, os  bianconeri paravam em suas finalizações ruins e não chegavam ao primeiro gol. Mais do que isso, abriam espaço para que o Palermo conseguisse concretizar seu objetivo: contra-atacar. 

E foi assim que, após alguns sustos da defesa friulana, o time da casa abriu o placar. Di Natale, estragando a linha de impedimento do Palermo, finalizou depois da marca do pênalti para deixar a Udinese na frente. A vitória deixou o time do Friuli na segunda colocação da Serie A, com a mesma pontuação da Lazio, mas melhor nos critérios de desempate. Com apenas um ponto de distância da líder Juventus, a Udinese, cada vez mais, começa a sonhar com voos mais altos nesta temporada.


Parma 2-0 Cesena
Atuando em casa e contra o único time da Serie A que não venceu uma partida sequer, o Parma trazia consigo todo o favoritismo para enfrentar o Cesena. E se não transformou a vantagem teórica em muitos gols, os gialloblù ao menos conseguiram uma boa vitória e deixaram para trás a parte debaixo da tabela. Muito melhor em campo, o Parma começou bem e teve sua maior chance de abrir o placar com Giovinco, aos 35 minutos. O atacante, principal arma ofensiva do time, bateu pênalti que foi defendido por Antonioli e desperdiçou a oportunidade de colocar o Parma em vantagem. Mas não foi a penalidade perdida que desanimou os crociati. Muito superior ao adversário, a equipe da casa não perdeu muito tempo e, ainda na primeira etapa, chegou ao seu primeiro gol. Em jogada muito confusa dentro da área do Cesena, Paletta aproveitou o bate e rebate para marcar pela primeira vez na temporada e deixar seu time na frente. Se quando a igualdade aparecia no placar o Parma já era muito melhor, com a vantagem a desparidade só cresceu. 

Sem sofrer nenhuma ameaça do inoperante ataque bianconero, os gialloblù sequer tiveram tempo para se preocupar com sua defesa, a mais vazada da Serie A, ao lado da do Novara. O segundo gol aconteceu na metade da segunda etapa, com Lucarelli, que apenas completou boa jogada de Zaccardo. Com resultado obtido sem maiores dificuldades, o Parma começa a abrir uma distância segura da zona do rebaixamento, enquanto o Cesena continua nela, em último colocado, sem uma vitória sequer e com elenco razoável. Marco Giampaolo acabou demitido e deve ser substituído por Luigi De Canio, autor de belo trabalho no Lecce.


Bologna 3-1 Atalanta
Duas partidas dentro de uma só. Assim pode ser definido o duelo entre Bologna e Atalanta. Em um dos jogos mais emocionantes da rodada, os bolonheses aproveitaram o mando de campo, não se intimidaram com a pressão do adversário e obtiveram uma boa e importante virada no Renato Dall’Ara. Logo com 7 minutos de jogo os visitantes deram seu cartão de visitas e abriram o placar com gol do argentino Germán Denis. Desorganizado taticamente, os donos da casa demoraram para se organizar em campo e só após os 25 minutos começaram a equilibrar a partida. Aos poucos, porém, foram dominando todas as ações ofensivas e passaram a pressionar o adversário, que sucumbiu apenas nos momentos finais da primeira etapa: de pênalti o artilheiro Di Vaio garantiu a igualdade, marcando seu primeiro gol na temporada, depois de longo jejum.

Na volta dos vestiários, uma partida completamente diferente. Agressivos e apostando na velocidade, os rossoblù partiram para cima e não demoraram para chegar à virada. Um dos melhores em campo, Gastón Ramirez desempatou e colocou fogo no duelo. Os bolognesi, porém, não deixaram de dominar mesmo com a vantagem no placar. E foram recompensados com Loria, que marcou o terceiro e deu números finais à partida. Sem reação, coube à Atalanta se fechar para não levar mais gols e apostar apenas nos contra-ataques – tática falha e que não surtiu resultados.

Fiorentina 1-0 Genoa
Mesmo sem atuar bem e ainda demonstrando algumas falhas recorrentes das últimas partidas, a Fiorentina soube fazer valer seu mando de campo, bateu o Genoa pelo placar mínimo e chegou aos 12 pontos na tabela, fixando-se no bloco intermediário e não deixando os primeiros colocados escaparem muito. Em jogo que começou muito ruim tecnicamente, a Viola aproveitou sua melhor chance para sacramentar o placar e se fechar, contentando-se com os três pontos conquistados de maneira simples. Lazzari, articulador e melhor em campo, cumpriu bem seu papel e, escalado como trequartista, brilhou ao anotar o único gol do jogo, aos 41 minutos da primeira etapa. 

Depois de abrir o placar, porém, os donos da casa recuaram e mantiveram essa postura até o final do duelo. O Genoa, por sua vez, se recolheu à falta de qualidade técnica e, desorganizado em campo, não ofereceu perigo aos toscanos. O triunfo ainda garantiu mais do que a manutenção da Fiorentina no meio da tabela: confirmou um início de reação após um começo de Serie A ruim e manteve intacto o cargo do treinador Sinisa Mihajlovic, que vinha balançando e sendo contestado por torcedores nas últimas rodadas – inclusive ontem, quando venceu e foi ofendido até mesmo por cânticos racistas.

Siena 4-1 Chievo
A equipe do técnico Giuseppe Sannino soube fazer valer seu mando de campo e não deu chances ao Chievo na partida que abriu o domingo de jogos na Serie A. Com marcação muito forte no meio-campo, o Siena jogou na base da pressão e não teve muito trabalho para conseguir a boa vitória. A goleada começou a ser construída já no primeiro tempo, quando Mattia Destro abriu o placar aos 25 minutos. 

Após o gol inaugural, os bianconeri recuaram e seguraram o ímpeto, diminuindo o ritmo da partida. Não demorou, porém, para a pressão retornar com o começo do segundo tempo. E com mais um gol de Destro e outro de D’Agostino, o Siena já tinha confortável vantagem antes mesmo dos 20 minutos da etapa final. Relaxou e ainda viu Moscardelli descontar, em tento que não mudou nada no decorrer do duelo. Para coroar o bom começo de Serie A do time de Sannino, Calaiò ainda fez mais um e deu números finais ao jogo que deixou os toscanos em posição confortável no meio da tabela.

Lecce 1-1 Novara
Em jogo de desesperados, o Lecce perdeu grande chance de somar pontos para começar sua luta contra o rebaixamento e, diante de um adversário direto, não conseguiu vencer, em casa. Como esperado em um duelo entre dois dos últimos colocados, o nível técnico foi baixo e as poucas chances claras de gol e aconteceram ainda na primeira etapa. Mesmo sendo o pior mandante da Serie A, sem nenhuma vitória em casa até aqui, o Lecce começou animando seu torcedor e, principalmente através das bolas paradas, dominou as primeiras ações da partida. Oportunidade clara, porém, apenas aos 32 minutos. E Strasser não desperdiçou: abriu o placar e deu aos torcedores a esperança de que a primeira vitória em casa aconteceria. 

A postura da equipe, porém, passou a ser cada vez mais defensiva, à medida que o goleiro Fontana, quase impenetrável naquela tarde, evitava que o Novara sofresse mais gols, e não tardou para que o desfalcado time novarês conseguisse chegar à igualdade. Ainda no primeiro tempo Rigoni deixou tudo igual ao cobrar pênalti e viu a partida praticamente terminar ali, aos 44 minutos da etapa inicial. Na metade final do jogo, só o que se viu foram jogadas mal trabalhadas e mais sofrimento para os torcedores de duas equipes que já se candidatam muito ao rebaixamento.

Clique aqui e veja todos os gols da rodada.
Para ler sobre os jogos de sábado, clique aqui.
Para relembrar a 9ª rodada, clique aqui.

Seleção da 10ª rodada
Fontana (Novara); Lichtsteiner (Juventus), Barzagli (Juventus), Nesta (Milan), Lulic (Lazio); Asamoah (Udinese), Aquilani (Milan), Marchisio (Juventus); Ramírez (Bologna); Ibrahimovic (Milan), Destro (Siena). Técnico: Antonio Conte (Juventus).

Deixe um comentário