Serie A

8ª rodada: Das mortes e ressurreições

Ninguém segura o homem! Boateng entrou em campo após o intervalo e virou o jogo para o Milan, que encosta no pelotão de cima da tabela (Reuters)

Vida e ironia são duas palavras inseparáveis. O domingo de futebol na Itália começava com uma péssima notícia para o esporte local: em Sepang, na Malásia, o jovem motociclista Marco Simoncelli, uma das grandes promessas da Moto GP havia morrido em um grave acidente, depois que caiu e foi atropelado por Colin Edwards e Valentino Rossi, seu grande amigo. Todos os jogos da rodada tiveram um minuto de silêncio e o Sic, milanista de coração, foi homenageado em todos os estádios da Itália. Seu Milan parecia que não honraria sua morte e ia sendo goleado pelo Lecce, até que Boateng mudou a história do jogo no segundo tempo e fez o Milan ressurgir. A Inter de Valentino Rossi também se recuperou, assim como a Roma. Udinese e Atalanta continuam fazendo campanhas excepcionais. Sem mais delongas, acompanhe o resumo da rodada, antes que a 9ª jornada comece, nesta terça, com Juventus-Fiorentina. (Nelson Oliveira)

Lecce 3-4 Milan
Como podem dois times trocarem de alma após um simples intervalo? Tudo bem, na primeira etapa o Lecce não foi bem um rolo compressor, mas soube se aproveitar bem da péssima partida rossonera. No meio-campo, Ambrosini deu tanto espaço quanto Giacomazzi precisava para ser o nome do Lecce na primeira etapa, participando de dois gols. Allegri tirou o capitão Ambrosini e Robinho na segunda etapa, fazendo entrar Boateng e Aquilani, o que mudou o jogo. O ganês foi o grande nome da partida, marcando três gols – dois com tiros fortes de fora da área, quando o meio-campo salentino o deixou livre para jogar em sua posição. Quem também cresceu foi Cassano, irreconhecível na primeira etapa, mas ativo na segunda, participando de um dos gols de Boateng e do de Yepes, que definiu a partida. O Milan, agora, tem 11 pontos, quatro menos que a líder Udinese, mas com uma virada espetacular dessas, a primeira vez que o Diavolo virou um 3-0 em sua história, ganha moral para as próximas rodadas. (NO)

Inter 1-0 Chievo
A Inter conseguiu uma proeza – e não foi vencer o Chievo, que fez partida sólida. Pela primeira vez em todo o ano solar de 2011, a equipe conseguiu passar duas partidas consecutivas sem sofrer um gol e saiu da zona de rebaixamento, ao chegar a 7 pontos. Méritos para Claudio Ranieri, que pouco a pouco vai acertando o time defensivamente, curiosamente sem Ranocchia e Samuel, mas com Chivu no centro da defesa, ao lado de Lúcio. Jogando como zagueiro, o romeno recupera sua melhor fase, vivida no Ajax, na Roma e na própria Inter, quando fez dupla com Samuel antes da chegada do ex-capitão da seleção brasileira. Contra o Chievo, ele foi um dos melhores em campo, ao lado de um incisivo Maicon e de Sneijder, que deu organização e segurança ao time. Sneijder, assim como Thiago Motta – autor do gol interista, depois de cobrança de escanteio do holandês – eram desfalques importantes e agora que Ranocchia, Samuel e Poli estão prontos para voltar, a tendência é que o time cresça de produção. E precisará, já que enfrenta a Juventus no sábado. (NO)

Cagliari 0-0 Napoli 
O jogo zerado da rodada aconteceu no Sant’Elia. Aberto, ele foi: o Cagliari fez uma exibição melhor do que a do modorrento empate sem gols com o Siena, na rodada passada, e o Napoli também jogou para frente, mesmo poupando Inler, Maggio e Hamsík. Na equipe dona da casa, se Thiago Ribeiro jogou aquém do esperado, Nenê infernizou os três defensores napolitanos – Campagnaro, Fernández e Aronica -, mas De Sanctis fez o seu trabalho com louvor. A irritação de Lavezzi, que jogou as caneleiras contra à parede quando foi substituído por Hamsík, mostra bastante a frustração do Napoli, que não tem conseguido decolar na Serie A e permanece na 5ª colocação, com 11 pontos. O Cagliari, com um surpreendente trabalho de Ficcadenti, está uma posição acima.

Roma 1-0 Palermo
23. É o número de jogadores utilizados por Luis Enrique desde que chegou a Roma. E, neste domingo, foi um estreante que definiu a partida. Um erro de Migliaccio, mais uma vez improvisado na defesa, deixou Lamela em posição para marcar o gol do jogo, com um chute, de esquerda, que não deu chance para Tzorvas. A superioridade do mandante foi visto apenas aí. Tzorvas foi pouquíssimo exigido; Stekelenburg, não. Zahavi e Hernández infernizaram Juan, que voltava de lesão, e também Burdisso, e o holandês salvou a Roma. Sem competições internacionais na temporada, Mangia parece que ainda não decidiu qual o time perfeito do Palermo. No meio-campo, ora joga Acquah, ora Bertolo ou Ilicic, mais recuado. A força de vontade do técnico parece emperrar um sistema que o presidente Mauricio Zamparini não aprecia e já contesta.

Udinese 3-0 Novara 
Com dois gols e uma assistência de Di Natale, a Udinese não teve problemas para passar pelo Novara, mostrar sua força e assumir a liderança do campeonato. Isso tudo em menos de 50 minutos de jogo, uma vez que ídolo bianconero marcou o terceiro gol da partida ainda aos quatro minutos da etapa final e deu a tranquilidade necessária para sua equipe poder diminuir o ritmo e esperar o tempo passar. Sempre no 3-5-1-1, o time de Guidolin é muito equilibrado e não à toa tem o melhor saldo de gols da competição: até aqui, balançou as redes adversárias dez vezes e sofreu apenas um gol. Contra o Novara, não foi diferente. O trio Benatia-Danilo-Domizzi cercou muito bem a área de Handanovic e coube aos rápidos Armero e Asamoah lançar o time ao ataque. Com o preciso (e agora artilheiro) Di Natale no ataque, o trabalho fica completo. A Udinese é merecidamente líder e o Novara vê a zona de rebaixamento ficar cada vez mais perto. (Rodrigo Antonelli)

Bologna 0-2 Lazio
Quem também aproveitou o tropeço da Juventus foi a Lazio, que foi a Bolonha e voltou para a capital com três pontos e a vice-liderança na mala. Desfalcado de Mauri, Brocchi e González, Reja escalou o bósnio Lulic na meia esquerda e não se arrependeu. Lateral de origem, Lulic fez ótima partida, contribuiu nas investidas ofensivas da Lazio e ainda deixou o seu, após rebote do goleiro. O outro gol foi contra, de Acquafresca, que desviou a bola após cobrança de escanteio de Hernanes. O brasileiro, inclusive, saiu de campo machucado e não deve jogar contra o Catania, nesta quarta-feira. Mesma situação de Matuzalém. Para o Bologna, a partida serviu como lição para Pioli, que venceu na estreia, mas que tem que abrir os olhos e trabalhar duro, pois o time que tem em mãos não tem muito a oferecer. A primeira missão é tentar vencer em casa depois de oito meses. Para isso, Di Vaio precisará terminar seu jejum. (RA)

Parma 1-2 Atalanta
Jogando fora, a Atalanta deu continuidade a sua grande campanha e venceu o Parma. Se não fossem os seis pontos descontados por conta da punição, o time de Colantuono já teria 14 pontos no campeonato e ocuparia a segunda colocação na tabela, ao lado da Lazio. O argentino Maxi Moralez foi o nome do jogo, marcando os dois gols da equipe bergamasca. No primeiro, iniciou e completou um contra-ataque veloz dos visitantes e no segundo finalizou boa troca de passes do ataque nerazzurro. O Parma ainda descontou com o ex-jogador da Atalanta, Valdés, mas nada adiantou. Assim, os gialloblù, que vinham de duas boas vitórias contra Genoa e Napoli, dão uma freada e têm missão difícil na próxima rodada, contra o Milan, no San Siro. (RA)

Siena 2-0 Cesena
Na briga entre os candidatos ao rebaixamento, o Siena se deu bem: fez a lição de casa no Artemio Franchi e bateu o Cesena por 2 a 0. Os mandantes marcaram um gol em cada etapa: saíram na frente com um gol de Pablo González, aos 10 minutos, e Calaiò marcou o segundo logo após o intervalo. Aliás, o atacante italiano marcou três dos últimos quatro gols bianconeri. Apesar da colocação (13º), Giuseppe Sannino formou um sólido sistema defensivo: Brkic foi vazado quatro vezes nesta Serie A – somente a Udinese sofreu menos gols. Do lado dos cesenáticos, Giampaolo pode culpar os desfalques. Ele não pode escalar Colucci, Comotto, Martínez, Martinho e Mutu – este último, suspenso. O ponto forte foi a atuação de Antonio Candreva, que apesar do erro no gol de Calaiò, foi o único jogador com lampejos no sonolento Cesena.

Seleção da 8ª rodada
Marchetti (Lazio); Maicon (Inter), Danilo (Udinese), Chivu (Inter), Lulic (Lazio); Schelotto (Atalanta), Boateng (Milan), Merkel (Genoa); Moralez (Atalanta), Jovetic (Fiorentina); Di Natale (Udinese). Técnico: Alberto Malesani (Genoa).

Deixe um comentário