Serie A

9ª rodada: Recuperando a grandeza

Palmas para Matri e para a Juventus: o matador faz gols, cresce na competição e leva a Velha Senhora à liderança da Serie A (Getty Images)

Desde antes o Calciocaos, a Juventus não era líder isolada da Serie A. Hoje, com 16 pontos, a Velha Senhora voltou ao topo da Itália graças ao bom trabalho de Antonio Conte, mas também às grandes prestações de Pirlo, Marchisio e Matri. Contra a Fiorentina, nesta terça, a Juve fez seus 45 melhores minutos na temporada e mostrou, talvez de uma vez por todas, que é candidatíssima ao título. Quem também vem forte é o Napoli, que espantou a má fase ao vencer a Udinese e mostrar vocação para jogos entre protagonistas: foi a terceira vitória no terceiro confronto entre cachorros grandes. Olho também no Milan, que recuperou terreno e vem embalado por um Cassano de pés certeiros: já são sete assistências nesta temporada. Confira o resumo da rodada.

Juventus 2-1 Fiorentina
A Arena Juventus estava cheia para empurrar o time bianconero rumo à vitória – resultado que não era conseguido há duas rodadas – num dos jogos de maior rivalidade na Bota. Antonio Conte espelhou a Juve no 4-3-3 da Fiorentina, que não vencia há quatro partidas. O retorno de VIdal foi essencial para um primeiro tempo quase impecável taticamente. Mais recuado, o chileno ajudou na saída de bola com Pirlo e Marchisio e a Juve pressionava demais na marcação. Bonucci aproveitou a zaga mal posicionada para fazer 1 a 0, e, se os desarranjos da Fiorentina prosseguiram, a Juventus, dona da etapa inicial, não conseguiu matar o jogo. 

No segundo tempo, Gilardino entrou em campo e Jovetic, que passou a atuar fora da área, cresceu e empatou no segundo tempo, após excelente jogada. A Fiorentina crescia, mas Matri acabou com a farra viola ao decretar a vitória com passe de Pepe. Na próxima rodada, Mihajlovic terá de vencer o Genoa para manter seu cargo, já que os Della Valle já cogitam substitui-lo com Rossi ou Delneri. Já a Juventus, líder isolada, viaja para Milão para pegar a Inter, no Derby d’Italia. (Murillo Moret)

Napoli 2-0 Udinese
Em uma das poucas partidas da rodada que não terminou com igualdade no placar, o Napoli mostrou, novamente, força nos jogos grandes: bateu a Udinese, que só havia sofrido um gol no campeonato, brecou o adversário e se manteve a dois pontos da Juventus. Sem poder contar com seu artilheiro e capitão Antonio Di Natale, os friulanos foram ao San Paolo para não perder. Melhor nas articulações, os azzurri não demoraram muito para abrir o placar. Após boa jogada de Cavani, Lavezzi não teve trabalho para estufar as redes de Handanovic, voltando a marcar no San Paolo após quase um ano. Os napolitanos ainda conseguiram ampliar antes do intervalo, tornando o segundo tempo bastante monótono. Quem marcou foi Maggio, que venceu o duelo com Armero não só no gol, mas em todo o jogo. Amortecida pelo empate da Lazio, a queda da Udinese deixou o time do Friuli com 15 pontos e na vice-liderança. (Leonardo Sacco)

Milan 4-1 Parma
Depois da boa apresentação contra o Lecce, no final de semana, o atual campeão conseguiu mais uma boa vitória, contra o Parma, e parece ter entrado de vez na disputa. Com 14 pontos, o Milan fica apenas dois atrás da líder Juventus e começa a assustar. O nome do jogo foi Nocerino, que marcou três gols e fez boa partida. No time titular só porque Allegri decidiu fazer um rodízio nesta rodada, o ex-jogador do Palermo surpreendeu com atuação acima da média e boas inserções ofensivas – estas, uma marca da gestão Allegri, bem aproveitadas com uma das principais qualidades do meio-campista. O outro gol rossonero foi de Ibrahimovic, que está em grande forma. Do lado do Parma, o gol de honra foi, claro, de Giovinco. Neste jogo, o técnico Colomba escalou um time sem centroavante (só com Giovinco e Valdés na frente) e não teve sucesso. Assim, os gialloblù sentem dificuldade para engrenar na competição. (Rodrigo Antonelli)

Lazio 1-1 Catania
Um vacilo que custou a liderança. Assim pode ser definido o empate entre Lazio e Catania, em Roma. Atuando em casa e podendo assumir a liderança da Serie A, os laziale fizeram, mesmo com Hernanes no banco, um bom primeiro tempo. Logo aos 17 minutos abriram o placar com o artilheiro Klose e passaram para sua torcida a impressão de que a primeira colocação poderia ser obtida e com goleada. Mas o Catania cresceu no jogo e obrigou Marchetti a fazer duas ótimas defesas. No segundo tempo, já com Hernanes em campo, a Lazio continuou rateando, assim cono Stankevicius, que falhou feio e permitiu que Bergessio empatasse. Depois, a Lazio até melhorou com a entrada de seu principal articulador, mas não finalizou com qualidade e jogou fora a chance de ser líder. Com os mesmos 15 pontos da Udinese, o time da capital fica a um da Juve e da liderança, que ficou para outra rodada, talvez quando se comporte com um pouco menos de inconstância. (LS)

Atalanta 1-1 Inter
Se passaram apenas oito rodadas e a Inter reclama muito: foram cinco pênaltis contra os nerazzurri – quatro deles bastante duvidosos. Ontem, contra a Atalanta, o bandeira Ghiandai assinalou penalidade após um corpo a corpo entre Chivu e Marilungo, mas a defesa de Castellazzi (que substituiu Júlio César, machucado) na cobrança de Denis deu números mais justos ao placar. As reclamações da Inter, porém, não podem apagar o fato de que Chivu, após duas ótimas partidas como zagueiro, foi o pior em campo em Bérgamo (falhou no gol de empate de Denis), e que Ranieri não mexeu bem no time ao tirar Sneijder, autor do gol, e colocar Pazzini. Dessa forma, a equipe perdeu a armação e ficou limitada a jogadas de Zárate e cruzamentos de Maicon – num deles, Milito perdeu gol incrível. O empate, todavia, só deve ser mal visto em perspectiva à partida de sábado, contra a Juventus. A Atalanta sempre dificulta contra sua rival lombarda jogando em casa e vive boa fase. Não fossem os seis pontos deduzidos pela punição por participação no escândalo de apostas ilegais, os bergamascos seriam vice-líderes, com 15 pontos.

Genoa 2-1 Roma
Jogando em casa, o Genoa voltou a vencer depois de quatro jogos e conseguiu ultrapassar a própria Roma na tabela, alcançando os 12 pontos e a sétima colocação. Com o time organizado em campo, o Genoa conseguiu equilibrar a partida e dividir a posse de bola com a Roma, sobretudo no segundo tempo. Aos 38 minutos de jogo, quando a Roma chegara a ter quase 70% da posse e era melhor em campo, o ataque genovês fez boa troca de passes e Jankovic abriu o placar. Foi a primeira vez na temporada que a Roma levou um gol ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, o time de Luís Enrique se lançou ao ataque e levou perigo ao gol de Frey algumas vezes, mas o goleiro estava em noite inspirada. O gol de empate romanista saiu a sete minutos do fim, com Borini. Nos acréscimos, porém, em desatenção defensiva, principalmente de Stekelenburg, o time da capital sofreu o gol que deu números finais ao jogo: Veloso cruzou, Merkel cabeceou e Kucka desviou para o fundo das redes. Presente para Malesani, que atingiu as 200 vitórias em sua carreira como técnico. (RA)

Chievo 0-1 Bologna
Atuando fora de casa, o Bologna é forte: todos os pontos dos emilianos foram conquistados fora de seus domínios. No Bentegodi, não foi diferente: conseguiu vencer o Chievo e deixou para trás a zona de rebaixamento. Se não fez uma partida brilhante, a equipe de Stefano Pioli, que fez bom trabalho em Verona na última temporada, resistiu a um adversário que criou muito, mas estava com a mira ruim. Após segurar o Chievo por 45 minutos, o Bologna se lançou ao ataque no começo da segunda etapa e foi recompensado com gol do artilheiro Acquafresca. Com a inesperada e importante vantagem no placar, os visitantes se fecharam ainda mais e conviveram por quase 40 minutos com a pressão dos donos da casa, que tiveram na falta de pontaria e de qualidade no passe fator decisivo para a derrota. Fora da zona de degola, o Bologna respira e vai mais aliviado para as próximas partidas. Derrotado, o Chievo não marca um golzinho há quatro partidas… (LS)
Cesena 1-1 Cagliari
Na tentativa de se manter como uma das surpresas desta Serie A, o Cagliari visitou o Cesena e voltou para casa com um empate amargo e injusto. Melhor em campo, o time da Sardenha não apresentou o bom futebol das últimas rodadas, até pela fraca partida de Nainggolan, mas mesmo assim se postou de maneira mais incisiva mesmo atuando longe de seus domínios. Com a proposta de apenas se defender, o Cesena viu o adversário abrir o placar logo aos 20 minutos da primeira etapa, com Nenê, de pênalti. E apesar de continuar melhor após abrir o placar, o rossoblù viu Candreva deixar tudo igual após outra cobrança de penalidade – essa muito mais discutível. Mesmo sem a vitória, o Cagliari se manteve no pelotão de frente e chegou aos 13 pontos na tabela – apenas três a menos do que a líder Juventus. Ótimo trabalho de Ficcadenti, o que deve fazer a família Campedelli, dona do Cesena, se perguntar porque o liberou no fim do campeonato e contratou um decepcionante Giampaolo, que não tem feito o time deixar a lahterna. O suíço foi expulso e não estará no banco na visita a Parma. (LS)

Novara 1-1 Siena
A partida entre dois dos caulas desta Serie A acabou com um placar injusto: o Siena impôs seu jogo e dominou quase toda a partida, até que o gol de Gemiti, nos minutos finais, deu sobrevida a um Novara que mostra suas claras limitações e vai iniciando uma queda de produção. Depois de abrir o placar logo no início, com um gol de Calaiò, que enfim vai fazendo gols na Serie A, em sua quarta temporada na elite do futebol italiano, os toscanos apenas administraram o jogo, com a experiência de quem passou seis temporadas na primeira divisão. O empate não foi de todo mal para o Siena, que está no meio da tabela com 10 pontos. Já o Novara abre a zona de rebaixamento, com 6. Attilio Tesser pensa em alternativas, mas não tem muitas opções para mudar a situação do time. Vai ter que se contentar com a garra demonstrada nessa quarta.

Palermo 2-0 Lecce
Nem parecia o Palermo que fora derrotado por Milan. Nem parecia também o Lecce do primeiro tempo impecável contra a equipe de Milão. No Renzo Barbera, o time rosanero fez uma de suas melhores apresentações na Serie A. O primeiro gol saiu com Pinilla, de pênalti, depois que Tomovic derrubou Abel Hernández na área. O uruguaio, melhor em campo, também marcou o segundo na etapa final. O resultado foi pouco para o que o Palermo criou. Com Cetto recuperado de lesão, Migliaccio voltou ao meio-campo e atuou ao lado de Acquah e Barreto no setor – o paraguaio, aliás, voltou a jogar bem após uma série de partidas irregulares -, que tinha Ilicic na armação. Na função, o esloveno foi bem, assim como seu compatriota, Bacinovic, que não vinha sendo aproveitado por Mangia. Ele estreou na temporada hoje e foi responsável tanto por segurar o Lecce no momento em que a equipe do Salento era mais perigosa e quase chegava ao empate quanto para iniciar a jogada do segundo gol. Na próxima rodada, o Palermo tem confronto difícil no Friuli contra a Udinese, enquanto o Lecce pega o Novara, em casa. (MM)

Seleção da 9ª rodada

Castellazzi (Inter); Maggio (Napoli), Barzagli (Juventus), Campagnaro (Napoli), Balzaretti (Palermo); Nocerino (Milan), Marchisio (Juventus); Lavezzi (Napoli), Cassano (Milan), Hernández (Palermo); Matri (Juventus). Técnico: Antonio Conte (Juventus).

Deixe um comentário