Serie A

Agnelli, o insensível

Mãos dadas só para a foto. Presidente da Juventus anunciou a saída de Del Piero no fim da temporada e surpreendeu torcida e imprensa (Juventus.it)

Logo mais, às 16h45 de Brasília, Juventus e Fiorentina entram em campo para abrir a 9ª rodada da Serie A e tentar voltar a vencer no campeonato – a Juve não ganha há duas rodadas e o jejum da Fiorentina já é de quatro jogos. O duelo já rendeu jogos históricos e gols antológicos, como o de Del Piero em 1994, que ficou marcado como um dos mais bonitos de sua carreira (vídeo abaixo). Lembro especificamente deste lance, porque o capitão juventino foi protagonista de uma polêmica na semana passada e este post será exatamente sobre ela.


Na última terça-feira, durante uma assembleia de acionistas da Juventus, o presidente Andrea Agnelli anunciou que “o único elo entre as diversas casas da Juve é Del Piero, que quis permanecer conosco por mais um ano para aquele que será o seu último em bianconero. A ele dedicamos um grande aplauso”. Assim, Agnelli comunicou, de forma “sutil”, a saída do maior ídolo da história do clube, ao lado de Michel Platini e Giampiero Boniperti. Del Piero é o jogador que mais gols marcou com a camisa da Juventus (285). Del Piero ajudou o time a ser um dos maiores do mundo na década de 1990, ao levantar taças da Itália, da Europa e do mundo. Del Piero foi aplaudido de pé por torcidas de todo o continente. Entre elas, as de Real Madrid e Manchester United. Enfim, Del Piero merecia mais respeito.

Não importa se a decisão foi tomada pelo próprio capitão, por Agnelli ou em conjunto. O anúncio deveria ter sido feito pelo próprio jogador, de outra maneira. A atitude do presidente não caiu bem nem entre os torcedores da Velha Senhora nem entre os jornalistas. Em seus editoriais, alguns jornais italianos criticaram a postura de Agnelli e cobraram maior respeito ao ídolo. Del Piero defende as cores do clube de Turim há 18 anos, venceu 17 competições e sempre foi um capitão exemplar. Nas últimas três temporadas, esteve mais no banco de reservas do que em campo e nem por isso procurou encrenca.

Claramente política, uma vez que parte da diretoria pressiona pela saída de Del Piero há pelo menos duas temporadas, a decisão e, principalmente, o modo como ela foi anunciada, foi precipitada. Agora, o temor que a torcida tem de ver seu grande ídolo usando a camisa de um rival pode se tornar realidade. Rumores já colocam que o Milan estaria interessado em levar o atacante. 

O destino mais provável, claro, não é esse, e sim que ele vá jogar em um centro menor, para ganhar dinheiro e divertir países que não têm muita tradição no futebol – ou que o Padova, de sua cidade natal, o contrate para disputar a Serie A, caso suba. Mas tudo isso poderia ter sido evitado com uma simples proposta da Juventus, como aconteceu com Gianluca Pessotto e Pavel Nedved, por exemplo, que foram trabalhar nos bastidores do clube. O jeito vai ser a torcida juventina aproveitar ao máximo a última temporada de Del Piero em Turim e torcer para que ele entre em campo mais vezes.

Os números de Del Piero na Juventus
682 – Número de partidas que ele jogou desde que chegou ao clube, em 1993.
285 – Total de gols festejados pelo atacante, maior artilheiro da história da Juventus.
19 – Número de temporadas que ele jogou pela Juve, um recorde.
17 – É o número de títulos que ele acumulou neste 18 anos, incluindo 5 scudetti, 1 Liga dos Campeões e 1 Mundial de Clubes.
10 – Temporadas em que ele foi o capitão do time. Outro recorde.

3 comentários

Deixe um comentário