Serie A

Emilianos e romanholos em baixa

Saco de pancadas: é assim que Bologna, Cesena e Parma têm se sentido nesta temporada (CesenaCalcio.it)

Se a zona de rebaixamento pudesse ser representada por alguma região da Itália, ela seria a Emília-Romanha. Três semanas e quatro rodadas após o início do Campeonato, os três times da região somam, juntos, apenas quatro pontos e ocupam a zona da degola. Enquanto o Parma agradece Giovinco pelos únicos três pontos conquistados pelo time, o Cesena é quem está em pior situação: a equipe é a única que ainda não pontuou na competição e segura a lanterna. O Bologna, por sua vez, conquistou seu ponto solitário quando menos esperava, contra a Juventus. Veja breves análises sobre a situação de cada um dos times:

Cesena, 20º colocado (4 jogos e 4 derrotas)
Quando, no início da temporada, a diretoria do Cesena anunciou a contratação do treinador Marco Giampaolo e de jogadores como Mutu, Candreva, Martínez e Éder, a torcida bianconera se empolgou e achou que a atual temporada não seria tão conturbada como a passada, quando a equipe só escapou do rebaixamento nas últimas rodadas. Se tomarmos como base as três primeiras partidas do time em 2011-12, porém, a perspectiva é bem desanimadora – mesmo com a tabela um tanto desfavorável. Com apenas dois gols marcados e uma defesa muito fraca (7 gols sofridos), o time ainda não conseguiu incomodar nenhum adversário e já vê Giampaolo pressionado a conseguir resultados nos próximos jogos.

A ausência do experiente goleiro Antonioli (machucado) deixa a defesa sem um ponto de referência e a zaga parece perdida em campo. Na linha de frente, Parolo, Candreva, Mutu, Martínez e Éder ainda não se entendem e a equipe pouco produz. Em certos momentos, o time parece jogar em função de Mutu, que, contudo, não vem fazendo boas partidas e não merece, nem deve receber essa responsabilidade. Nas próximas rodadas, o time enfrenta Chievo, em casa, e Fiorentina, fora, para tentar seus primeiros pontos na competição e salvar o emprego de Giampaolo.

Bologna, 19º colocado (4 jogos, 1 empate e 3 derrotas)
Com as contratações de Gillet, Diamanti e Acquafresca, todos esperavam um Bologna mais consistente para esta temporada. Com uma defesa muito vulnerável (9 gols sofridos) e o fracasso momentâneo da dupla Acqcuafresca-Di Vaio, no entanto, o time é muito irregular até aqui e conta com o pior saldo de gols da competição. Para piorar, a fase do capitão do time, que carrega os rossoblù nas costas há algum tempo, não é nada boa e ele já foi parar até no banco de reservas, episódio que aumentou o descontentamento da torcida com o técnico Pierpaolo Bisoli.

A imagem do treinador nunca foi das melhores diante da torcida e a paciência da diretoria também parece estar chegando ao fim. Com resultados muito ruins, incluindo derrota por 2 a 0 para o Lecce, em casa, Bisoli tem jogo chave para sua permanência em Bolonha, neste final de semana. O duelo contra a Udinese, fora de casa, pode ser seu último à frente do time, caso não consiga vencer. Para tentar os três pontos, ele deve escalar o time em um 4-2-3-1 com Giménez, Diamanti e Koné tentando dar volume de jogo à equipe e só Di Vaio no ataque.

Parma, 18º colocado (4 jogos, 1 vitória e 3 derrotas)
No final da temporada passada, Franco Colomba teve um grande rendimento com o Parma, somando quatro vitórias e dois empates nos últimos sete jogos, e salvou os crociati do rebaixamento. Nesta temporada, então, a ideia era que o treinador, já conhecendo o elenco e com alguns reforços em mãos, conseguisse manter o bom aproveitamento e deixasse os gialloblù em boas condições na tabela, sem correr muitos riscos. O plano, porém, não vem dando nada certo e o time se mostra extremamente dependente de Giovinco neste início de campeonato. Ele marcou os três gols da equipe até aqui e sua ausência é muito sentida dentro de campo, como aconteceu contra a Fiorentina, quando ele estava suspenso.

Apesar disso, o nome de Franco Colomba parece protegido e ainda não figura nos noticiários por conta de uma possível demissão. Os dois próximos desafios da equipe, todavia, podem abalar essa tranquilidade. Neste final de semana, a equipe recebe o equilibrado Genoa e uma derrota em casa, no jogo que coloca frente a frente o melhor ataque com a pior defesa da competição, não seria tão surpreendente. Na outra rodada, então, é hora de ir ao San Paolo enfrentar o embalado Napoli. Caso não conquiste mais pontos, Colomba pode começar a se preocupar.

Deixe um comentário