Serie A

13ª rodada: Niilismo futebolístico

Nos últimos anos, a Inter comemorou três scudetti ao bater o Siena. No domingo, após jogo tão horrendo, a vitória no último minuto até pareceu valer título… (Getty Images)

O domingo de Serie A não teve surpresa alguma. A única partida que saiu um pouco dos conformes aconteceu em Cesena, onde Adrian Mutu desencantou e fez o que a torcida bianconera esperava dele: gols e decisão. O Milan continua jogando bem e a Inter se arrasta, com péssimo futebol. Sem mais delongas, o resumo da rodada.

Siena 0-1 Inter

Niilismo é um conceito filosófico que, grosso modo, consiste na descrença absoluta. Em não acreditar em nada. A Inter desta temporada é claramente niilista: parece não acreditar em nenhum sistema de jogo ou modelo futebolístico. O time não tem ideias, joga muito mal e não sai do lugar. A partida contra o Siena é muito difícil de ser resumida porque praticamente nada aconteceu e os poucos lances de perigo pareceram surgir por acaso. Não houve uma única jogada de linha de fundo em toda a partida para que Pazzini ou Calaiò, este no Siena, pudessem aproveitar sua boa capacidade de cabeceio. A Inter teve 66% de posse de bola e, basicamente, tentou ataques centrais durante todo o jogo, mesmo atuando em um 4-1-4-1, com meias abertos. Para piorar, só chutou, com perigo, duas vezes no gol de Brkic. Em uma cobrança de falta frontal de Thiago Motta, e no último minuto, quando o jovem Castaignos, sumido do jogo, recebeu de Motta na entrada da área e chutou rasteiro no canto. Literalmente, uma vitória que caiu no colo e levou a equipe aos 14 pontos, com um jogo a menos, e para a 16ª colocação. O Siena segue com a mesma pontuação, em 13º.

Milan 4-0 Chievo
Zlatan Ibrahimovic e Antonio Nocerino deram um show para fechar a 13ª rodada. O trio tão elogiado do Chievo (Bradley, Rigoni e Luciano) não teve como parar o ímpeto rossonero no San Siro. Após um excelente espetáculo contra o Barcelona pela Liga dos Campeões, o que foi visto em Milão foi uma equipe em ótima forma para se credenciar à disputa pelo título, e que decidiu o jogo logono primeiro tempo. A vitória coloca o Milan na terceira posição do campeonato. Foi tudo muito rápido. E perfeito. Com menos de um minuto, Ibrahimovic já tinha acertado a trave. Aos 8, Thiago Silva marcou o primeiro e abriu a contagem. Ibra, duas vezes, e Pato fizeram a festa na Lombardia. O sueco, aliás, passou dos cem gols marcados na Serie A: são 101 em 196 partidas. Pellissier também procurava seu tento centenário, mas Amelia, substituindo Abbiati (machucado), não permitiu que outra façanha fosse realizada em San Siro. (Murillo Moret)

Palermo 2-0 Fiorentina
Futebol e matemática combinam? A seguinte equação, aqui, define: Palermo + Renzo Barbera = vitória. Os rosanero, juntamente com a Udinese, são os únicos times que conquistaram todos os pontos possíveis jogando em casa. Apenas um ponto do Palermo nesta Serie A foi conquistado longe de casa. A partida marcou o retorno de Delio Rossi à Florença – ele foi demitido pelo presidente Zamparini antes de a temporada começar. As baixas, porém, eram pesadas: Jovetic, Kroldrup, Kharja e Cassani não puderam jogar pela viola; Abel Hernández continua machucado e Balzaretti cumpriu suspensão. Nem a mudança técnica de Devis Mangia foi sentida no Renzo Barbera. O treinador tirou Tzorvas e Cetto do time. Benussi voltou a ganhar chance no gol, Migliaccio foi improvisado novamente na zaga e Acquah entrou no meio-campo. Se Mangia fez apostas incertas na defesa, provou “novo” ataque: puxou Ilicic para armar junto com Zahavi e liberou Miccoli entre os zagueiros. O esloveno deu boa assistência para o atacante marcar o primeiro e definiu o resultado final da partida no segundo tempo, de falta. A Fiorentina, que parou nas traves de Benussi, beira a zona do descenso e tenta se recuperar contra a Roma. O Palermo joga fora de casa, então as expectativas não são as melhores. (MM)

Cagliari 1-1 Bologna
Roberto Donadoni ganhou um “até logo!” do presidente Massimo Cellino. Massimo Ficcadenti também já foi demitido. Davide Ballardini chegou, mas o Cagliari piorou. O empate com o Bologna em 1 a 1 aumentou o jejum de vitórias para oito partidas – além da eliminação da Coppa Italia para o Siena, em casa. E foi no Sant’Elia que o técnico, sem Nenê e Biondini, viu o time melhorar um pouco com o retorno de Andrea Cossu. Gols só no segundo tempo: o primeiro, no entanto, foi de Marco Di Vaio, com contribuição de Conti. O atacante não marcava fora de casa há 18 jogos – ou oito meses, se preferir. O capitão cagliaritano se redimiu logo depois: sofreu pênalti de Cherubin, e ele próprio converteu. No fim, Ramírez teve a chance de decidir para o Bologna, mas desperdiçou e Ibarbo perdeu gol feito do outro lado. O resultado mantém as equipes nas 15ª e 17ª posições, respectivamente. No próximo domingo, o Bologna encara o Siena em casa, que também luta na parte de baixo da tabela. (MM)

Cesena 2-0 Genoa
O dérbi da Emília-Romanha ainda ecoa no Cesena. Os frutos colhidos na partida contra o Bologna ajudaram a conquistar a segunda vitória na Serie A. A missão, no entanto, era complicada: os cavalos marinhos começaram a rodada na última posição e enfrentariam o Genoa de Alberto Malesani, que havia se classificado às oitavas da Coppa Italia no meio da semana. O treinador, sem a presença de Antonelli (suspenso), mudou o sistema tático para 3-5-2 e apostou em Mesto e Rossi pelas alas. O que Malesani não contava era com Antonioli e Von Bergen em excelente forma na defesa. O goleiro de 42 anos, aliás, defendeu um lindo voleio de Merkel. Daniele Arrigoni apostou no mesmo time da última rodada, pois novamente via Ghezzal, Martínez, Colucci e Candreva indisponíveis. Com a zaga protegida, restou a Mutu fazer sua parte lá na frente, para surpreender. Só no segundo tempo, depois que Bogdani ganhou um pênalti na malandragem sobre Moretti, o romeno converteu com cavadinha – e abraçou o ex-companheiro Frey para se desculpar. O Genoa, impotente, nada fez e ainda levou mais um: Parolo carregou pela direita e achou Mutu, que de fora da área acertou um lindo chute no ângulo. Para um time no qual os atacantes não resolvia, foi uma bela reação. No Dino Manuzzi é só festa, mas próxima rodada tem jogo contra a Juventus, em Turim. O Genoa encara o Milan, na sexta-feira. (MM)

Para resultados, escalações e estatísticas da 13ª rodada, clique aqui.
Para relembrar os jogos de sábado, clique aqui.
Para relembrar a 12ª rodada, clique aqui.

Seleção da 13ª rodada

Buffon (Juventus); Thiago Silva (Milan), Silvestre (Palermo), Von Bergen (Cesena); Isla (Udinese), Vidal (Juventus), van Bommel (Milan), Ilicic (Palermo), Pepe (Juventus); Mutu (Cesena), Ibrahimovic (Milan). Técnico: Antonio Conte (Juventus).

2 comentários

Deixe um comentário