Serie A

Parada de Inverno: Bologna

O jovem Ramírez roubou o papel de protagonista de Marco Di Vaio e é o principal jogador do Bologna na temporada até aqui (Getty Images)

Campanha
17ª posição. 16 jogos, 15 pontos. 4 vitórias, 3 empates, 9 derrotas. 14 gols marcados, 24 sofridos.
Maior sequência de vitórias: 2, da 9ª à 10ª rodada
Maior sequência de derrotas: 2, três vezes, da 2ª à 3ª rodada, da 5ª à 6ª rodada e da 11ª à 12ª rodada
Maior sequência de invencibilidade: 3, da 13ª à 15ª rodada
Maior sequência sem vencer: 5, da 2ª à 6ª rodada
Artilheiro: Marco Di Vaio e Gastón Ramírez, 4 gols cada
Fair play: 45 amarelos, 2 vermelhos

Time-base
Gillet; Crespo, Portanova, Raggi, Morleo; Pulzetti, Mundigayi, Kone; Diamanti (Acquafresca), Ramírez; Di Vaio.

Treinador
Pierpaolo Bisoli, da 2ª à 6ª rodada; Stefano Pioli, da 7ª em diante. Quando Bisoli chegou ao Bologna, no final do mês de maio, sua contratação já era contestada por torcedores e pessoas ligadas ao clube, pois sua única passagem pela Serie A foi curta e ruim (Cagliari, em 2010). Desta vez, o cenário se repetiu e Bisoli acrescentou a seu currículo mais uma péssima experiência na elite do futebol italiano. O técnico não conseguiu dar padrão de jogo à equipe e conquistou apenas um ponto nas cinco primeiras rodadas do campeonato, rendimento que resultou em sua demissão. Com a chegada de Stefano Pioli, então, o time melhorou e conseguiu sair da zona de rebaixamento. O time conquistou vitórias importantes, contra adversários diretos na briga pela salvezza, e mesmo nas derrotas mostrou futebol razoável e garra.

Destaque
Gastón Ramírez. Pela primeira vez em muito tempo o destaque do Bologna não é o capitão Marco Di Vaio. Nesta temporada, é o uruguaio Gastón Ramírez que vem fazendo a diferença para os rossoblù. Pelo menos até aqui. O camisa 10 é o líder do meio de campo da equipe e, além de colocar os companheiros em condições de marcar, chega forte ao ataque. Não à toa, é o artilheiro do time ao lado de Di Vaio, com quatro gols. Se não fosse Ramírez, com certeza o Bologna estaria em situação pior, uma vez que jogadores como Acquafreca, Diamanti e o próprio Di Vaio não vêm rendendo bem. Vale mencionar também o goleiro Gillet, que acumula atuações seguras e já salvou o time em diversas oportunidades, fazendo com que a torcida esqueça a patética saída de Viviano.

Decepção
Robert Acquafresca. O ex-jogador do Cagliari chegou ao Bologna para fazer companhia ao ídolo Marco Di Vaio no ataque e aumentar o número de gols do time. Até aqui, porém, ele balançou as redes apenas duas vezes e errou a meta outras muitas, sendo um dos responsáveis pela má campanha ofensiva do time (apenas 14 gols, 5º pior ataque da competição). O mau desempenho de Acquafresca, somado à volta de Diamanti ao time, após lesão, fez com que o técnico Pioli mudasse do 4-3-1-2 para o 4-3-2-1, deixando Di Vaio isolado no ataque, com Diamanti e Ramírez no apoio. Assim, Acquafresca foi parar no banco de reservas. Diamanti também vem atuando abaixo do esperado, mas o jogador está voltando agora e uma sequência de jogos pode lhe fazer bem. E ao Bologna.

Perspectiva

Fugir do rebaixamento. Pelo que apresentou até agora, é difícil imaginar que o Bologna conseguirá se livrar do rebaixamento com antecedência, se é que vai conseguir se livrar. O time deposita suas esperanças em coisas que podem nem ocorrer, como a recuperação do bom futebol de Alessandro Diamanti e do faro de gol de Marco Di Vaio. O técnico Pioli melhorou o time e parece que não tem muito mais o que fazer, uma vez que o elenco não permite grandes mudanças. A chegada de um zagueiro, um meio-campista e um atacante no mercado de janeiro ajudariam o treinador, mas a diretoria não mostra intenções de contratar novos jogadores. Torcedores podem se preparar para sofrer até a última rodada, mas tem a garra do time como um belo alento. Mas não pode ficar apenas na vontade: somar pontos é fundamental.

Deixe um comentário