Serie A

Parada de Inverno: Catania

Com grupo unido, Catania vem fazendo bom campeonato e, dependendo das movimentações no mercado de inverno, pode surpreender (Getty Images)

Campanha
8ª posição. 16 jogos, 22 pontos. 5 vitórias, 7 empates, 4 derrotas. 20 gols marcados, 23 sofridos.
Maior sequência de vitórias: –
Maior sequência de derrotas: 2, da 11ª à 12ª rodada
Maior sequência de invencibilidade: 4, da 7ª à 10ª rodada
Maior sequência sem vencer: 3, da 4ª à 6ª rodada
Artilheiro: Francesco Lodi, 4 gols
Fair play: 41 amarelos, 1 vermelho

Time-base
Andújar; Bellusci, Legrottaglie, Spolli; Gómez, Almirón, Delvecchio, Lodi, Marchese; Maxi López, Bergessio.

Treinador
Vicenzo Montella. Após passagem mediana pela Roma, na temporada passada, Montella chegou ao Catania sob desconfiança, mas rapidamente conquistou o apoio da torcida. Sob seu comando, o Catania joga em um 3-5-2 que diverte. Nos 16 jogos até aqui, só em dois a equipe não marcou gols. Com o sólido grupo formado pelo treinador, a oitava posição não é uma surpresa. O time tem personalidade e, não à toa, venceu jogos contra Napoli e Inter, por exemplo. O meio de campo que marca e sai para o jogo com qualidade é o ponto alto. Méritos de Montella, que tem usado bem as peças que tem em mãos e está se revelando um dos melhores técnicos da nova geração. O grande problema dos rossazzurri até aqui é o alto número de empates: foram sete, o que o torna o time que mais empatou na competição, ao lado da Juventus. 

Destaque
Francesco Lodi. Além de artilheiro do time, Lodi é o homem de referência no meio de campo etneo. O jogador é muito importante nas chegadas ao ataque: com classe, ele não é um mediano que apenas protege a zaga. Seu bom toque de bola ajuda o time a sair jogando com qualidade e, além disso, é fulminante nas bolas paradas – dois de seus gols foram em cobranças de falta perfeitas. Ao seu lado, Almirón também vem fazendo bom campeonato. Mais à frente, o argentino Alejandro Gómez surpreende e já é tido como uma das grandes promessas para a próxima temporada, caso continue no clube. Menção honrosa para os atacantes Bergessio e Maxi López também.

Decepção
Mariano Andújar. Apesar do bom momento do trio defensivo, composto por Bellusci, Legrottaglie e Spolli, o Catania sofre muitos gols (23 até aqui). Muito disso pode ser colocado na conta do goleiro Andújar, que está longe de seus melhores momentos e não passa segurança aos companheiros. Suas falhas já comprometeram importantes pontos à equipe. Lanzafame e Ledesma, que também já passaram por momentos melhores na carreira, figuram como decepções pelo pouco tempo que estiveram em campo até aqui (275 e 112 minutos, respectivamente). Os dois podem estar de saída neste mercado de meio de temporada. Além deles, Suazo continua em decadência e só entrou em campo em três partidas neste campeonato.

Perspectiva
Tudo depende muito do que vai acontecer neste mercado de janeiro. Maxi López é o mais assediado e sua permanência é muito importante para Montella conseguir continuar o bom trabalho. Milan, Fiorentina e Atlético de Madrid são alguns dos interessados em sua contratação. Bons jogadores que compõem o elenco também têm seus nomes ligados à transferências de inverno. Paglialunga, Ricchiuti e Sciacca, que tem jogado pouco, por exemplo, podem deixar o clube. Assim sendo, a atuação da diretoria neste período vai ser essencial para definir quais as ambições do Catania para o resto da temporada. Com a manutenção da maioria dos jogadores, a torcida pode esperar um time rondando a zona de classificação para a Liga Europa até o final. Caso contrário, não pode esperar nada mais que uma posição intermediária na tabela. Ultrapassar os 46 pontos e a 13ª colocação, no entanto, já significaria o melhor campeonato da história do clube.

Deixe um comentário