Serie A

Parada de inverno: Napoli

Muito mais do que um artilheiro: Cavani tem sido tão decisivo para o Napoli que começa a ser santificado pela fanática torcida (Uefa.com)

Campanha
6ª posição. 16 jogos,  24 pontos. 6 vitórias,   6 empates,  4 derrotas.  29 gols marcados, 18 sofridos.
Maior sequência de vitórias: 2, da 2ª à 3ª rodada
Maior sequência de derrotas: –
Maior sequência de invencibilidade: 4, da 11ª à 14ª rodada
Maior sequência sem vencer: 4, da 10ª à 13ª rodada
Artilheiro: Edinson Cavani, 9 gols
Fair play: 28 amarelos, 1 vermelho

Time-base 
De Sanctis; Campagnaro, Cannavaro, Aronica; Maggio, Gargano (Dzemaili), Inler, Zúñiga (Dossena); Hamsík, Lavezzi; Cavani.

Treinador
Walter Mazzarri. Um dos principais responsáveis pela formação do elenco, o técnico tem esquema tático definido e sabe fazer o time render mesmo quando alguns de seus principais jogadores não possuem condições de jogo ou estão sendo poupados. Com isso, Mazzarri tem conseguido manter o time no pelotão de frente da Serie A ao mesmo tempo em que faz campanha histórica na Liga dos Campeões. Sempre com um atacante isolado e com meio-campistas que alternam perfeitamente entre a marcação e os avanços, o treinador fez do Napoli um time bastante eficiente e que dificilmente é batido – principalmente quando atua no San Paolo – e que joga muito bem nos grandes jogos. Garantido no cargo, não deve sofrer nenhum tipo de ameaça mesmo com uma eventual queda na Liga dos Campeões, uma vez que tem créditos de sobra com o presidente Aurelio De Laurentiis.

Destaque
Edinson Cavani. Se na última temporada o jogador já havia caído nas graças da torcida, devido aos (muitos) gols marcados, neste ano as coisas estão ainda melhores para o uruguaio. Com uma precisão impressionante na hora de balançar as redes, tem se destacado agora não só pela quantidade de vezes que marca, mas pela importância de seus gols. Com eles, levou o Napoli à fase de mata-mata da Liga dos Campeões e passou a ser venerado pelos torcedores. Na Serie A, apesar de ter sido poupado em alguns jogos do time, já tem nove tentos marcados e, como era esperado, briga pela artilharia. Sua importância para os partenopei é tão grande que Cavani é responsável por nada menos do que um terço dos gols marcados pelo time no Italiano. Logo atrás dele, o “Pocho” Lavezzi continua fazendo grandes atuações e contrabalanceia um Hamsík um pouco menos brilhante. Ademais, Inler e Pandev tem se mostrado duas contratações acertadas.
 
Decepção
Salvatore Aronica. Um dos jogadores que mais comete faltas dentro do elenco napolitano, o zagueiro não tem passado segurança para os seus companheiros e tem sido vítima de constantes falhas. Se nunca foi um primor técnico como jogador, compensava sua falta de habilidade com muita raça. Nesta temporada, porém, as coisas tem sido um pouco mais difíceis para Aronica: suas falhas estão aumentando em ritmo gradual e são responsáveis pela maioria dos gols sofridos pelo time. Reflexo desta situação é o fato de que o jogador, em algumas vezes, foi deixado no banco de reservas por Mazzarri.
 
Perspectiva
Vaga na Liga dos Campeões. O elenco do Napoli tem qualidade suficiente para brigar pelo scudetto. A chegada do chileno Vargas, destaque da Universidad de Chile, só fortalece uma equipe que já vinha se destacando tanto na Itália quanto na Europa. O título, porém, é difícil porque o time já vê os líderes a uma distância considerável. Além disso, todas as atenções napolitanas estão voltadas para os duelos contra o Chelsea, pela Liga dos Campeões. Assim, fica dificil colocar o time na briga pelo troféu, apesar da significativa melhora de elenco que a equipe passou desde a última temporada, quando se destacou, mas não teve fôlego suficiente para chegar ao final da Serie A na briga pelo scudetto.

Deixe um comentário