Serie A

Parada de inverno: Siena

Destro agarra Sannino após marcar contra o Chievo. Técnico faz cara feia, mas é o máximo que pode fazer com o que tem em mãos (Getty Images)

Campanha

17ª posição. 16 jogos, 15 pontos. 3 vitórias, 6 empates, 7 derrotas. 14 gols marcados, 16 sofridos.

Maior sequência de vitórias: –

Maior sequência de derrotas: 4, da 13ª à 16ª rodada

Maior sequência de invencibilidade: 4, da 7ª à 10ª rodada

Maior sequência sem vencer: 5, da 13ª à 1ª rodada (adiada)

Artilheiro: Emanuele Calaiò, 5 gols

Fair play: 41 amarelos, 1 vermelho

Time-base

Brkic; Vitiello, Rossettini, Terzi, Del Grosso; Mannini (Angelo), D’Agostino, Bolzoni, Gazzi; Brienza (Destro), Calaiò.

Treinador

Giuseppe Sannino. O treinador da Campânia é adepto do 4-4-2 e costuma montar suas equipes assim, mesmo que as peças não encaixem muito bem. Assim sendo, o time esboçado no início da temporada já sofreu algumas mudanças por falta de adaptação de alguns jogadores às posições. Belmonte, que vinha endo adaptado no Bari à lateral direita não teve boas atuações na Toscana e o treinador optou por colocar Vitiello, também ex-Bari, em seu lugar. Na zaga, Terzi roubou a posição de Contini, que não começou bem. Os dois jogadores que foram contratados junto ao Varese, antiga equipe de Sannino, também não conseguiram se firmar: apesar das boas atuações, Pesoli ainda é reserva da defesa, e Paolo Grossi, meio-campista, às vezes nem suplente é.

Destaque

Mattia Destro. O atacante emprestado pelo Genoa é a principal promessa do Siena para esta temporada. Ele tem aproveitado as chances dadas por Sannino: foram três gols em nove partidas. Formado pela Inter, o jogador sempre fez boas atuações nos times de base, mas nunca teve chances nas equipes principais pelas quais passou. Esta temporada, portanto, é a primeira em que Destro joga entre profissionais. O jovem de Ascoli foi artilheiro nos Giovanissimi e Primavera, além de ser o vice-goleador dos Allevi. Calaiò é outro que se destaca no Siena. O atacante fez 35% dos gols bianconeri – e tem mais: sempre que marcou, seu time nunca perdeu.

Decepção

Pablo González. O atacante, ex-Novara, contratado junto ao Palermo para fazer parceria a Calaiò tem feito exibições bem abaixo do esperado. Tanto é que até Brienza tem sido improvisado com mais frequência no setor, devido à inoperância do argentino. Simone Vergassola, capitão, tem ficado mais no banco do que em campo e também figura como decepção, uma vez que antes do início da temporada era considerado o principal jogador do time. No meio-campo, Bolzoni melhorou seu futebol e conseguiu uma vaga ao lado de D’Agostino, que ainda está devendo as boas atuações de outros tempos.

Perspectiva

Continuar lutando para não voltar à Serie B. Recém-promovido após temporada sensacional na segunda divisão, o Siena luta para não cair novamente. Por sua sorte, os três últimos – Novara, Cesena e Lecce – têm equipes piores. Com 15 pontos em 16 jogos, o que o Siena pode melhorar é o ataque. A defesa, apesar dos 16 gol sofridos, aparenta melhoras. O sistema ofensivo, no entanto, depende em demasia de atuações quase impecáveis de D’Agostino e Brienza, na armação, e Calaiò, na finalização. Os bianconeri marcaram apenas 15 gols até aqui.

Deixe um comentário