Serie A

38ª rodada: Dolorosas despedidas

A imagem do ano: em seu último jogo pela Juventus, Del Piero ergue a taça de campeão italiano (Getty Images)

Na rodada que encerrou o campeonato, nenhuma mudança na tabela: a Udinese garantiu sua vaga na Liga dos Campeões, enquanto Lazio, Napoli e Inter jogarão a Liga Europa. Na parte baixa da tabela, o Lecce é o último rebaixado. Em uma rodada morna, pelos resultados, o calor ficou por conta das muitas despedidas, que aconteceram principalmente na Juventus e no Milan. Na Velha Senhora, Del Piero fez sua última partida pelo clube na Serie A e levantou a taça de campeã italiana, protagonizando um dos momentos mais emocionantes da temporada – ele terá a chance de levanntar outro troféu na semana que vem, quando a Juve enfrenta o Napoli na final da Coppa Italia. No Milan, por sua vez, Nesta, Seedorf, Gattuso e Inzaghi se despediram do time, sinalizando o fim de uma era – dos mais antigos, apenas Ambrosini e Abbiati permanecem. Confira o resumo da rodada.

Juventus 3-1 Atalanta

Difícil imaginar um final mais feliz para os torcedores da Velha Senhora. Com o título já garantido, os 40.944 presentes ocuparam as cadeiras do Juventus Stadium pela última vez na temporada “apenas” para ver a taça sendo levantada, fazer a festa do título e se despedir de um dos maiores (se não o maior) ídolos da história do clube, Alessandro Del Piero. E foi ele mesmo quem pôs abaixo o estádio aos 28 minutos da etapa inicial, marcando o segundo gol da partida bem ao seu estilo: chute colocado de fora da área. Foi seu 289º gol na carreira e um daqueles que vão ficar para a história. Não por sua beleza, mas porque foi seu último dentro de casa. Seu último na cidade que lhe acolheu durante 19 anos. No início da primeira etapa, então, com sua missão já cumprida, Del Piero foi substituído para ser aplaudido de pé e dar a volta olímpica no estádio, agradecendo a torcida em momento de muita emoção.

Antes disso, o jovem Marrone já tinha aberto o placar, em boa jogada de Borriello. Como escreveu Riccardo Pratesi, da Gazzetta, “os gols de Marrone e Del Piero simbolizam a passagem do bastão de uma geração para outra.” Aos 22 anos, Marrone era o único jogador formado na base da Juve em campo. Já no segundo tempo, Lichtsteiner marcou contra e Barzagli completou o placar. O zagueiro era o único do time titular que ainda não tinha balançado as redes na temporada e, por isso, foi o escolhido para bater o pênalti sofrido por Borriello. Assim, a Juve garantiu o título de forma invicta e igualou a marca do Milan de 1992, que também levantou o scudetto sem perder nenhuma partida. Para a temporada terminar de forma perfeita para o time de Turim, falta só vencer o Napoli, no estádio Olímpico de Roma, no próximo domingo, e garantir também o título da Coppa Italia. (Rodrigo Antonelli)

Milan 2-1 Novara
Em Milão também foi dia de despedida. E por isso todos os 45 mil lugares do San Siro estavam ocupados para uma partida que não valia nada em termos de tabela. Os torcedores rossoneri foram ao estádio para dar adeus a quatro de seus grandes ídolos recentes: Nesta, Gattuso, Seedorf e Inzaghi (Zambrotta se despediu também, mas sua história no clube não é tão grande quanto a dos outros). No início, parecia que o Novara ia estragar a despedida das bandeiras, jogando bem e criando algumas boas oportundiades. O time visitante, inclusive, saiu na frente, com gol de García. No segundo tempo, porém, Flamini empatou e Inzaghi, como não poderia deixar de ser, virou o jogo, após matar no peito com lançamento de Seedorf e fuzilar, marcando seu único gol nesta temporada. A comemoração, por incrível que pareça, foi ainda mais efusiva que todas as outras de sua carreira. No fim, outro belo final para uma rodada de muitas lágrimas. (RA)

Catania 0-2 Udinese

Pelo segundo ano consecutivo, a Udinese está classificada à Liga dos Campeões. Contra o Catania, sem motivações, o esforço seria mínimo, já que apenas um empate garantiria a vaga aos friulanos. Di Natale perdeu grande chance logo no início, mas se redimiu depois, abrindo o placar. O Catania teve a chance de empatar, mas Gómez desperdiçou penalidade no início do segundo tempo. Pouco depois, Fabbrini recebeu passe de Asamoah para definir o placar e garantir a equipe de Údinese na maior competição de clubes do mundo novamente. Francesco Guidolin chegou a afirmar que estava bastante cansado e que gostaria de ter uma experiência no exterior após sair da Udinese, provocando incertezas sobre seu futuro. Porém, hoje ele afirmou que fica no clube, com o objetivo de conduzir a equipe a mais um milagre.

Lazio 3-1 Inter

Em um jogo que poderia valer férias maiores para o vencedor – o perdedor iniciará a próxima mais cedo temporada mais cedo -, a Lazio se deu bem e, com a quarta colocação no campeonato, só entrará em campo novamente em setembro, pela Liga Europa. Já a Inter permitiu a virada da equipe romana e, com a sexta colocação, terá de jogar a terceira eliminatória preliminar do torneio. Os nerazzurri saíram na frente, com gol de pênalti de Milito – 24º dele, vice-artilheiro da Serie A -, mas a Lazio voltou motivada para o segundo tempo e, em menos de cinco minutos, virou o jogo, com Kozák e Candreva. O time de Stramaccioni tentou reagir, partindo para o ataque com três avantes, mas não deu certo. No fim, Mauri ainda marcou o gol que definiu a partida.

Napoli 2-1 Siena

Na despedida ao San Paolo na temporada, a vitória sobre o Siena não adiantou muita coisa para o Napoli. Com as vitórias de Udinese e Lazio, a equipe napolitana permaneceu na quinta colocação do campeonato e jogará a Liga Europa na próxima temporada. Resta, agora, tentar fechar 2011-12 com o título da Coppa Italia sobre a Juventus, no próximo fim de semana. Os azzurri venceram com uma improvável doppietta do ala Dossena e viram parte da torcida perseguir Lavezzi, que deve deixar a equipe na janela de transferências do verão europeu – muito provavelmente para a Inter. Quem também deve ter baixas para a próxima temporada é o Siena. O diretor esportivo Giorgio Perinetti foi para o Palermo e deve levar consigo o bom técnico Giuseppe Sannino, que montou uma das melhores defesas da Serie A. Quem também sairá é Destro, autor de 12 gols na Serie A. O jovem atacante de 21 anos foi pré-convocado para a Euro 2012 e, como estava emprestado pelo Genoa, não permanece na Toscana. Deve seguir para voos maiores: está na mira de Inter e Juventus.

Genoa 2-0 Palermo

Jogando mais uma vez em campo neutro e sem público, o Genoa garantiu sua permanência na elite ao bater o Palermo – na verdade, com a derrota do Lecce, nem precisaria ter vencido. A equipe da Ligúria enfrentava uma equipe sem motivações e garantiu o resultado apenas no segundo tempo. O destaque da partida foi Gilardino, autor de um gol e de uma assistência, para o gol de Sculli. Na próxima temporada, a tendência é que algumas peças importantes, como os jogadores supracitados, sejam mantidas, assim como o técnico Luigi De Canio, que pode fazer o time render mais. Porém, como o presidente Enrico Preziosi não é dos mais pacientes, dificilmente ele terá a oportunidade de iniciar um projeto de médio prazo. O mesmo acontece com o Palermo, que deve ter Giuseppe Sannino como novo treinador, guiando um elenco bastante reformulado.

Chievo 1-0 Lecce

O Lecce bem tentou, no primeiro tempo, mas não conseguiu: está rebaixado para a Serie B do campeonato italiano. Mesmo se tivesse superado Puggioni – aos 31 anos, o goleiro estreava na elite -, com a vitória do Genoa em Brescia os salentinos estariam rebaixados. Porém, encerrar o campeonato com uma vitória faria jus a reação que a equipe de Serse Cosmi ensaiou na última parte do campeonato. Caso não tivesse reagido e tivesse apresentado um futebol dos mais agradáveis do Belpaese, o Lecce teria sido rebaixado com a mesma antecedência que Cesena e Novara. Já o Chievo, por sua vez, chegou à quinta temporada consecutiva na elite, pela segunda vez graças a Domenico Di Carlo. Agora, os clivensi buscam a renovação com o técnico, que até hoje só apresentou bons trabalhos pelo time de Verona.

Cesena 2-3 Roma

No Dino Manuzzi, o Cesena e o técnico Luis Enrique fizeram suas últimas partidas na Serie A. Os donos da casa porque já haviam sido rebaixados e jogarão a Serie B na temporada que vem. O espanhol porque se despediu da Roma, após uma campanha mediana, e ainda não tem destino definido. Foram 16 vitórias, 8 empates e 14 derrotas no comando da equipe da capital. deixando-a na sétima colocação. Del Nero foi quem marcou primeiro, para a equipe da casa. Mas Bojan e Lamela não demoraram para fazer os seus e viraram a partida ainda na etapa inicial. De Rossi ampliou e Santana diminuiu, já no segundo tempo. Se a temporada foi decepcionante para os dois times, ao menos o último jogo levou um pouco de diversão aos torcedores, com boa movimentação e muitas chances de gol. Agora é hora de novos projetos. (RA)

Parma 1-0 Bologna

Em mais um jogo apenas para cumprir tabela, o Parma venceu a sétima partida consecutiva e alcançou seu recorde de vitórias consecutivas em uma edição do campeonato: ao todo, foram sete. O clássico marcou também outra despedida de ídolo. O artilheiro Marco Di Vaio, que nessa temporada não foi decisivo como nas últimas, entrou em campo pela última vez com a camisa rossoblù, antes de se tranferir para o futebol canadense. Com 63 gols em 128 partidas pelo Bologna, o atacante recebeu aplausos merecidos quando foi substituído, aos 26 minutos do segundo tempo. O resultado final, porém, foi positivo para o Parma, que terminou melhor também na tabela. Biabiany marcou o gol solitário da partida. À torcida do Parma, resta torcer para que Giovinco permaneça no time, para que o clube continue surpreendendo. (RA)

Fiorentina 0-0 Cagliari

A Fiorentina encerrou sua campanha com um jogo que pode ser visto como reflexo da temporada: sem emoção, pouco criativa e decepcionante. Aliás, as características servem para o Cagliari também, que surpreendeu negativamente, após boa campanha na temporada passada. Sob os olhares de poucos torcedores e sem motivações extratabela como as despedidas citadas anteriormente (ao menos, para os brasileiros, Neto estreava na Serie A, no gol viola), as equipes se arrastaram em campo e esperaram pelo apito final, som que queriam ter ouvido bem antes, se lembrarmos que os dois times já fazem papel de figurante no campeonato há algum tempo, apenas esperando pelo começo de um novo campeonato. Revoluções são esperadas dos dois lados. (RA)

Para estatísticas, escalações e resultados da 38ª rodada, clique aqui.
Confira a classificação completa e a tabela de artilheiros do campeonato aqui.
Para relembrar a rodada anterior, clique aqui.

Seleção da 38ª rodada

Puggioni (Chievo); Rossi (Genoa), Domizzi (Udinese), Paletta (Parma), Dossena (Napoli); Gattuso (Milan), Candreva (Lazio), Asamoah (Udinese); Fabbrini (Udinese), Biabiany (Parma); Gilardino (Genoa). Técnico: Francesco Guidolin (Udinese).

1 comentário

  • Alguns dos poucos motivos que me faziam gostar do Milan infelizmente sairão do clube: Gattuso e Inzaghi, e Galliani prefere Robinho "Pedala e nada", Pato que nunca sai do estaleiro, Maxi "Barbie" Lopez… Vai acabar ficando mais tempo sem ganhar nada tanto dentro como fora da Itália…

Deixe um comentário