Serie A

Review da Temporada: Fiorentina

Com 22 anos e cada dia mais maduro, Jovetic foi o líder de uma Fiorentina em plena crise durante toda a Serie A 2011-12 (Getty Images)

A campanha: 13ª colocação, 46 pontos. 11 vitórias, 13 empates, 14 derrotas.
Ao final de 2011: 14ª colocação 
Fora da Serie A: Eliminada nas oitavas de final da Coppa Italia pela Roma.
O ataque: 37 gols, o quarto pior.
A defesa: 43 gols, a quarta melhor.
Time-base: Boruc; Gamberini, Natali, Nastasic; Cassani, Behrami, Montolivo, Lazzari, Pasqual (Cerci, Vargas); Jovetic e Amauri (Cerci, Ljajic).
Os artilheiros: Stevan Jovetic (14 gols), Alessio Cerci (5) e Riccardo Montolivo (4).
Os onipresentes: Artur Boruc (36 jogos), Cesare Natali (35) e Andrea Lazzari (31).
O técnico: Sinisa Mihajlovic (2ª à 11ª rodada), Delio Rossi (da 12ª à 36ª rodada) e Vincenzo Guerini (da 36ª à 38ª rodada)
O decisivo: Stevan Jovetic
A decepção: Riccardo Montolivo
A revelação: Matija Nastasic
O sumido: Marco Marchionni
Melhor contratação: Andrea Lazzari
Pior contratação: Santiago Silva
Nota da temporada: 4
Mais uma temporada decepcionante para a Fiorentina. Apostando na base envelhecida, com jogadores como Montolivo, Vargas e Gilardino, que foram protagonistas da mais recente série de bons resultados da equipe, os viola não conseguiram nada além da salvezza na penúltima rodada da Serie A. O técnico Mihajlovic, que iniciou a campanha, recebeu poucos reforços e, nas 11 rodadas em que esteve no comando, só conseguiu três vitórias. A diretoria não teve dúvidas e apostou na mudança no banco de reservas para oxigenar o elenco: Delio Rossi chegou na 12ª rodada, porém, pouca coisa mudou. O treinador de Rimini ainda protagonizou uma cena terrível, onde agrediu o meia-atacante Ljajic, no jogo que garantiu a salvação. 

Com Rossi no banco, a Fiorentina seguiu sendo um time sem criatividade. Montolivo teve muita responsabilidade nisso, pois não conseguiu render e pareceu estar mais focado na próxima temporada, que vai disputar com o Milan, do que na situação que vivia na Toscana e, por isso, foi criticado pela torcida diversas vezes. O ataque lilás sofreu com as poucas chances criadas e foi o quarto pior da Serie A 2011-12, com apenas 37 gols anotados. A situação não foi pior, porque Jovetic conseguiu marcar 14 vezes, mesmo com todos estes problemas criativos da equipe. O montenegrino mostrou maturidade e recuperou o tempo perdido em 2010-11, quando se lesionou e perdeu toda a temporada. 

Além dele, Cerci, apesar da inconstântica, também teve bons desempenhos e fez cinco gols na Serie A, mas confirmou que não se tornará o grande jogador que todos esperavam. O lado esquerdo com Pasqual (e Vargas, quando não estava no departamento médico) também colaborou ofensivamente: o peruano liderou os viola em assistências, com sete passes e o lateral-esquerdo conseguiu cinco passes decisivos. Mas o que segurou os viola na Serie A foi a defesa, que aliou experiência à juventude. O jovem Nastasic, de 19 anos, ganhou muito espaço no setor – Camporese, promessa revelada no ano passado, quase não foi utilizado – que teve os experientes Natali e Gamberini como onipresentes. Renovação é a palavra de ordem em Florença e às saídas de Montolivo, Frey e Gilardino devem se juntar Natali, Pasqual, Marchionni, Vargas e talvez Cerci. Resta saber se Jovetic liderará a equipe nesta nova fase.

Deixe um comentário