Serie A

Review da temporada: Milan

Vice-campeonato e fim de geração: ídolos, Inzaghi e Gattuso são saudados saudados pela torcida e se emocionam (acmilan.com)

A campanha: 2º colocado, 80 pontos. 24 vitórias, 8 empates, 6 derrotas. Classificado à Liga dos Campeões
Ao final de 2011:  1ª colocação 
Fora da Serie A: Campeão da Supercoppa italiana contra a Inter, eliminado nas quartas de finais da Classificado à Liga dos Campeões pelo Barcelona e eliminado na semifinal da Coppa Italia pela Juventus
O ataque: 74 gols, o melhor
A defesa: 33 gols, a segunda melhor
Time-base: Abbiati; Abate, Nesta (Mexès), Thiago Silva, Antonini (Mesbah); Van Bommel, Nocerino, Seedorf (Ambrosini, Emanuelson); Boateng; Cassano (Robinho), Ibrahimovic
Os artilheiros: Zlatan Ibrahimovic (28 gols), Antonio Nocerino (10) e Robinho (6)
Os onipresentes: Antonio Nocerino (35 jogos), Zlatan Ibrahimovic (32) e Christian Abbiati (31)
O técnico: Massimiliano Allegri
O decisivo: Zlatan Ibrahimovic
A decepção: Alexandre Pato
A revelação: Stephan El Shaarawy
O sumido: Gennaro Gattuso
Melhor contratação: Antonio Nocerino
Pior contratação: Taye Taiwo
Nota da temporada: 8
Apesar de ter o melhor elenco, considerado por boa parte da imprensa italiana, o Milan novamente sofreu com lesões. Mais uma vez, o MilanLab foi muito criticado e foi considerado por muita gente o fiel da balança na decisão do título, que acabou ficando com a Juventus. O alto número de lesões atrapalhou, muitas vezes, Allegri na hora de escalar a equipe, mas o treinador também não quis muito saber de variar o esquema. Além disso, faltou um parceiro de ataque a Ibrahimovic, já que Cassano (com problemas cardíacos) e Pato (sempre machucado) pouco atuaram. Tudo isso contribuiu para que o bicampeonato não viesse. Líder na virada de ano, o time acabou não resistindo à irrepreensível campanha da Juventus. A derrota na Champions League foi sofrida, porém perder para o Barcelona, não foi nada surpreendente. A lição foi útil e mostrou a evolução da equipe da última temporada para essa.

O problema do Milan foram os confrontos contra os concorrentes. Dos seis primeiros colocados, o Milan só conseguiu vencer a Udinese, no jogo do segundo turno. De resto, uma derrota e um empate contra a Juventus, Lazio e Napoli, um empate com a Udinese, e duas derrotas contra a Inter, no dérbi milanês. Faltou poder de decisão. Peça fundamental no 4-3-1-2 utilizado por Allegri, Boateng passou tempo demais machucado e o Milan não conseguiu encontrar quem suprisse sua falta e tivesse o importante papel de chegar ao ataque. Emanuelson fez bons jogos na função e Ibrahimovic foi letal, com 28 gols, mas nem mesmo ter o melhor ataque do torneio levou o Milan ao título. No meio-campo, Nocerino foi uma das melhores contratações da temporada: substituiu Gattuso à altura, com a diferença de avançar e marcar gols. Problema recorrente de anos, as laterais ainda não tiveram soluções. Na direita, Abate deu certo mas ainda é pouco. Na esquerda, Taiwo foi um fiasco e acabou emprestado. Mesbah chegou do Lecce foi tímido quando jogou. 

Porém, mesmo perdendo o título, a torcida milanista chorou mesmo pela despedida de alguns de seus ídolos. No último jogo da temporada, ante o Novara, os rossoneri lotaram San Siro simplesmente para homenagear Seedorf, Zambrotta, Nesta e Gattuso, que deverão ter seu futuro em outro time. Por outro lado, eles tiveram o privilégio de ver a última partida de Pippo Inzaghi. O “melhor grosso” do futebol deixará saudade não só no Milan. Para encerrar, marcou seu último gol como jogador profissional e comemorou com sempre fez, com toda a emoção de uma final, mesmo que o jogo não valesse nada. Outros que acabaram seu ciclo no Milan foram Van Bommel, Aquilani e Maxi López, mas esses não deixarão tantas saudades. Quem pode estar com o ciclo acabando é Alexandre Pato. A torcida já perdeu a paciência com suas lesões e falta de participação no jogo. Por enquanto, apenas o relacionamento com Barbara Berlusconi o mantém no clube.

1 comentário

  • Acredito que o Milan irá melhorar para a próxima temporada. Não gosto do Gattuso, acho que desagrega a equipe.
    O Pato vive machucado mas tem moral na equipe. O pessoal sabe que se perdê-lo para outra equipe italiana, ele pode complicar num confronto direto. O problema é o Milanlab.

Deixe um comentário