Serie A

Review da temporada: Novara

O Novara deu adeus à Serie A um ano após subir da segundona. Rigoni (foto), com 11 gols, foi um dos únicos destaques piemonteses e deve trocar de time (Getty Images)

A campanha: Rebaixado. 19ª colocação, 32 pontos. 7 vitórias, 11 empates e 20 derrotas
Ao final de 2011: 18ª colocação
Fora da Serie A: Eliminado nas oitavas-de-final da Coppa Italia pelo Milan
O ataque: 35 gols, o segundo pior
A defesa: 65 gols, a segunda pior
Time-base: Ujkani (Fontana); Morganella, Lisuzzo (Dellafiore), Paci, García (Centurioni), Gemiti; Rigoni, Radovanovic, Porcari; Mascara (Morimoto), Jeda (Caracciolo)
Os artilheiros: Marco Rigoni (11 gols) e Takayuki Morimoto (4)
Os onipresentes: Marco Rigoni (35 jogos), Filippo Porcari (35) e Giuseppe Gemiti (34)
O técnico: Attilio Tesser, da 2ª à 18ª rodada e da 25ª em diante; e Emiliano Mondonico, da 19ª à 24ª
O decisivo: Marco Rigoni
A decepção: Andrea Caracciolo
A revelação:
O sumido: Gabriel Silva
Melhor contratação: Giuseppe Mascara
Pior contratação: Takayuki Morimoto
Nota da temporada: 4

Convenhamos, apenas os torcedores mais confiantes do Novara imaginariam que a equipe permaneceria na Serie A por mais de uma temporada. Depois de emplacar o segundo acesso consecutivo – dois anos antes, o time havia subido da Lega Pro para a Serie B -, os azzurri não se reforçaram devidamente para a disputa da elite. A confiança no bom trabalho de Attilio Tesser foi mantida (apesar de ele ter sido demitido, voltou cinco rodadas depois), mas não foi suficiente, já que o nível da primeira divisão é outro.

Os primeiros erros do mercado novarês aconteceram no mercado, quando apenas em janeiro chegaram alguns nomes razoáveis, como Caracciolo – que acabou fracassando – e Mascara. Tesser escalaria uma linha de cinco defensores ao longo de todo o campeonato, mas apenas Paci e Dellafiore tinham experiência de Serie A dentre os nomes no setor.As dificuldades ao longo da temporada foram muito grandes e a lesão na face de Ujkani, que afastou o goleiro por três meses dificultou ainda mais as coisas. Não surpreendeu que o Novara terminasse o campeonato com a segunda defesa mais vazada da Itália mesmo jogando de forma defensiva. Quem também foi mal foi Gabriel Silva, que não conseguiu se firmar no caçula e entrou em campo em apenas três jogos.

No ataque, depender de Rubino, Granoche, Jeda e Morimoto na primeira parte do campeonato era uma aposta arriscadíssima, o que veio a se confirmar com o título de segundo pior ataque da primeira divisão. O artilheiro do time acabou sendo o meia Rigoni, autor de 11 gols – seis deles de pênalti. Rigoni foi um dos poucos destaques positivos do time – ao lado de Ujkani e Porcari – e deve conseguir uma transferência para um time melhor.

1 comentário

  • Olha, não concordei muito com a escolha do Caracciolo na categoria "decepção".

    O cara chegou em Janeiro e já vinha jogando mal no Genoa, na minha humilde opinião o Jeda ou até mesmo o próprio Morimoto (de quem se esperava bastante e vinha como status de "reforço da temporada"), mereciam mais esse posto.

    Com relação ao mercado, acho que o Novara não tinha muito o que fazer, a grana dos caras era curta e contrataram até, vamos dizer, bem, o único porem foi que os reforços não corresponderam, como foi o caso dos dois sujeitos mencionados no paragrafo acima e de mais uns 3 outros.

    Concluindo, fizeram um campeonato razoável pra fraco, como era esperado e acabaram não conseguindo fazer o que o Cesena fez na temporada passada, mas por todas as circunstancias citadas, ficou de bom tamanho.

    Ah, já ia me esquecendo, parabéns pelo texto!

Deixe um comentário