Serie A

3ª rodada: Virada de campeã

Vucinic, fundamental para a virada da Juventus sobre o Genoa, dança (AP Photo)

Na terceira rodada, uma Juventus que poupava titulares para a estreia na Liga dos Campeoões, frente ao atual detentor do título, o Chelsea, teve seu poder de campeã italiana afrontado pelo Genoa. Jogando bem, a equipe genovesa quase colocou fim à hegemonia juventina (a equipe continua invicta, desde o último campeonato), e por incompetência no ataque, desperdiçou chances que poderiam ter definido a partida em seu favor. Fortíssima, a Juve cresceu no segundo tempo e virou um dos jogos mais aparentemente perdidos de sua sequência de 42 partidas de invencibilidade na Serie A. A rodada ainda confirmou os 100% de aproveitamento também para Lazio, Napoli e Sampdoria, e teve mais uma autêntica romada da Roma, um bom sinal de recuperação da Inter e uma Udinese que continua a preocupar seus torcedores. Confira a análise.


Genoa 1-3 Juventus

Seja por sorte ou competência, Carrera foi fundamental para a vitória da Juventus neste domingo. O placar, com certeza, não reflete o que foi o jogo. O Genoa surpreendeu a atual campeã e fez uma ótima partida, principalmente a dupla de volantes, mas perdeu muitas chances de garantir a vitória no Marassi. Incubido de marcar Pirlo, Bertolacci desempenhou muito bem o seu papel, e, um pouco mais recuado, Seymour jogou praticamente como um zagueiro e também foi bem. Sendo assim, a Juve teve que esquecer um pouco as jogadas centralizadas e insistiu bastante pelo lado esquerdo, com a dupla De Ceglie e Giaccherini, mas os cruzamentos não foram muito aproveitados.

Quem deu muito trabalho à defesa comandada por Buffon foi o atacante Immobile, revelado na base do time piemontês e autor do gol que abriu o placar. Antes, ele já havia perdido chances incríveis – tônica do jogo, inclusive. Matri e Giovinco tiveram duas excelentes chances para a Juve, enquanto Borriello, Bertolacci e o próprio Immobile também desperdiçaram para o Genoa. Foi um jogo muito corrido. No início da segunda etapa, Carrara trocou De Ceglie e Matri por Asamoah e Vucinic, e não poderia ter sido mais feliz em suas alterações. O montenegrino colocou fogo no jogo e participou dos três gols da Velha Senhora. Deu um passe açuacarado para Giaccherini bater de primeira e empatar o jogo, marcou ele mesmo o segundo gol, convertendo pênalti discutivel, sofrido por Asamoah, e cruzou para o mesmo Asamoah fechar o placar, com um gol de carrinho. Com isso, a Juve segue com cem por cento de aproveitamento, com três vitórias e três jogos. (Anderson Moura)

Napoli 3-1 Parma

O Napoli é outro que se mantém com 100% de aproveitamento nesse campeonato. No 300º jogo de Mazzarri no comando do time, os atacantes napolitanos foram muito bem e decidiram. Pandev foi o melhor do dia no San Paolo (que já está com a grama em boas condições novamente), com um pênalti sofrido, um gol marcado e uma assistência na sua conta. Cavani, claro, também deixou o seu. E o garoto Insigne mostrou estrela e também balançou as redes após sair do banco de reservas. Parolo descontou para o Parma, ainda no primeiro tempo, mas não foi suficiente. A equipe gialloblù mostra sentir muita falta de Giovinco, motorzinho do clube na temporada passada, e precisa se adaptar.
 

O Napoli ainda teve outras chances de ampliar o placar na etapa final, mas esbarrou em boas defesas do goleiro Mirante, que já havia cometido um pênalti antes. Mazzarri gostou da atuação do time, mas ressaltou que seus jogadores desperdiçaram muitas chances quando o jogo ainda estava 2 a 1. Contra um time mais forte, isso pode significara perda de pontos. Apesar disso, a equipe da casa mereceu o resultado e agora começa a se preparar para a estreia na Liga Europa, que será na sexta-feira, contra o AIK. (Rodrigo Antonelli)


Torino 0-2 Inter

No jogo que fechava a rodada, uma Inter preguiçosa precisou de pouco para vencer o Torino, no Olímpico de Turim. Logo no início, Milito acertou uma bomba de fora da área, colocando a Inter na frente e tornando a partida muito morna. Os nerazzurri, postados em um 4-4-1-1, montado por Stramaccioni para espelhar e tentar marcar melhor o 4-4-2 de Ventura, jogaram de maneira prudente – e receberam muitas críticas pela escolha: de acordo com os detratores, a Inter jogou como time pequeno diante do Torino, um dos caçulas desta Serie A. De fato, o Torino mandou no jogo, e teve boas chances, mas Handanovic, e, principalmente, Ranocchia fizeram boa partida, afastando os riscos. Surpreendeu, também, a solidez do brasileiro Juan, em sua primeira partida como titular no campeonato – havia jogado como titular na Liga Europa, contra o Vaslui.

Com força na defesa, e um jogo quase controlado, a Inter pouco fez ofensivamente. Até porque Sneijder foi o único armador do time e teve dificuldades de jogar sozinho, já que os outros meias apoiaram pouco. Substituído por Cassano, no segundo tempo, o holandês saiu nervoso, diretamente para os vestiários. Álvarez, que retornava de lesão após quatro meses sem jogar, assumiu a armação de jogadas, após a saída do holandês, e, no fim do jogo, começou a jogada que terminaria no decisivo gol de Cassano. Contra o Rubin Kazan, pela Liga Europa, na quinta-feira, e contra o Siena, no domingo, a Inter precisará mostrar mais. Já o Torino visitará a invicta Sampdoria também no domingo, e terá vida dura. Ao menos, o time tem sido adversário duro (esta foi sua primeira derrota) e pode sonhar com pontos. (Nelson Oliveira)

Chievo 1-3 Lazio

Os puxados treinos táticos de Domenico Di Carlo após a derrota para o Parma não foram suficientes para vencer a organizada Lazio. Sob comando de Vladimir Petkovic, o time da capital ainda não perdeu nesta temporada e, no Marc’Antonio Bentegodi, bateu os gialloblù por 3 a 1. Logo no início, Hernanes colocou a equipe laziale na frente com um belo chute de fora da área, que bateu na trave e entrou. Com a vitória parcial, a Lazio recuou o suficiente para o Chievo procurar o empate. Em uma das investidas que não resultou em gol, Hernanes, em contra-ataque, saiu da marcação e chutou forte; Sorrentino deu rebote e Klose, sempre ele, conferiu.

Na segunda etapa, Petkovic tirou Konko e Candreva para as entradas de Scaloni e Ederson. O Chievo melhorou ainda mais, sobretudo após a entrada de Moscardelli, mas sofreu o terceiro – de Hernanes, em ótima jogada. Os donos da casa conseguiram marcar o primeiro após pênalti de Biava, bem batido por Pellissier. Na próxima rodada, os gialloblù tem confronto difícil contra a Juventus, em Turim. Já a Lazio, surpreendentemente com 100% de aproveitamento, retorna a Roma para confrontar o Genoa. Antes, estreia na Liga Europa, quinta-feira, contra o Tottenham. O poder de fogo da equipe (Hernanes e Klose já tem, cada um, três gols no campeonato), funcionará contra os ingleses? (Murillo Moret)

Roma 2-3 Bologna

Após uma excelente vitória sobre a Inter, a Roma conseguiu perder para o Bologna em meia hora, no Olímpico, de virada. O primeiro tempo foi excelente. A defesa, sólida, não deu espaço para Gilardino, isolado entre os zagueiros. Tachtsidis, na cabeça de área, conseguia frear ora Diamanti, ora Kone – que fez primeira etapa horrorosa. O ataque, então… Totti achou um chutaço na trave que resultou em gol de Florenzi, logo aos 6 minutos. Aos 15′, Lamela finalizou colocado da entrada da área, a bola novamente explodiu na trave e entrou. No lance seguinte, Totti assustou Agliardi com um balaço de longe. A Roma jogava bem, bonito e com eficiência. Tudo o que Zeman queria.

O segundo tempo veio, assim como a já tradicional “romada”. Nos 30 minutos finais, os giallorossi já eram pressionados. Kone cruzou e Piris só observou Gilardino cabecear no contrapé de Stekelenburg. Na sequência, pouco mais de um minuto depois, Gila fez o pivô e tocou para Diamanti empatar. Zeman tirou Piris, colocou Marquinhos e continua no seu ofensivo 4-3-3. Foi punido. Em cruzamento de Kone, Burdisso trombou com Stekelenburg e Gilardino aproveitou a sobra para, com o gol aberto, balançar a rede. Pela quarta rodada, a Roma visita o Cagliari na Is Arenas e o Bologna encara o fraco Pescara, em casa. (Murillo Moret)

Fiorentina 2-0 Catania

Com um Jovetic em grande forma, a Fiorentina parece cada vez mais pronta para lutar por posições na parte de cima da tabela. Na partida deste domingo, contra o Catania, o montenegrino foi decisivo mais uma vez, com um gol e uma assistência, e ajudou o time a chegar aos seis pontos na competição. Diferentemente da temporada passada, porém, Jovetic não é o exclusivo salvador do time. E sim a cereja no bolo. Sob o comando de Montella e construído em um 3-5-2 bem postado, o time de Florença mostra força em todos os setores do campo e ocupa bem os espaços.

Quando o jogo estava mais difícil, com o Catania marcando bem e deixando pouco espaço para a Fiorentina produzir, a velocidade e o talento da dupla Ljajic-Jovetic resolveu: o primeiro ganhou jogada na linha de fundo e tocou bem para o segundo acertar chute colocado no canto do goleiro Andújar. Já no segundo tempo, com um Catania mais aberto, Jovetic fez outra boa jogada e cruzou para Luca Toni (ele mesmo!) fazer 2 a 0, em sua reestreia com a camisa viola. A organização tática da Fiorentina mostra mais um bom trabalho de Montella, que já teve ótima passagem pelo próprio Catania, na temporada passada. O fato de ter trabalhado no clube siciliano, e de a base etena ter sido mantida, facilitou muito a leitura do jogo por parte do treinador. O Catania perdeu sua primeira no campeonato e permanece com quatro pontos, na oitava colocação. (Rodrigo Antonelli)

Pescara 2-3 Sampdoria

O Pescara foi a campo cheio de mudanças, mas o resultado foi o mesmo: derrota. E já são três consecutivas, sem muitas esperanças de recuperação – até porque a equipe biancazzurra já enfrentou as outras duas equipes que subiram da Serie B juntamente a ela e acabou dominada. O técnico Stroppa, de acordo com a diretoria, não corre risco de ser demitido, mas urge uma mudança de postura na equipe. Desta vez, o time até jogou melhor, em um 4-2-3-1 que teve no colombiano Quintero a referência na armação das jogadas. Porém, a Sampdoria precisou de apenas duas chances para quase matar o jogo. Na primeira, Éder teve boa participação no gol de Maxi López, enquanto na segunda Krsticic deu passe açucarado para Estigarribia marcar o segundo.

Após a entrada de Celik no lugar de Weiss, o Pescara cresceu um pouco e diminuiu, com o p’roprio atacante sueco. Mas não demorou muito para que Maxi López fizesse o terceiro da Samp no jogo e seu terceiro no campeonato. Caprari diminuiu novamente, no fim, mas não evitou que a equipe de Gênova chegasse à terceira vitória consecutiva e mantivesse os 100% de aproveitamento. os blucerchiati não lideram o campeonato ao lado de Juve, Lazio e Napoli por causa da penalização por envolvimento no escândalo de apostas. O Pescara, por sua vez, continua com -1 ponto. (Nelson Oliveira)

Siena 2-2 Udinese

Aos 8 minutos, a Udinese já vencia por 2 a 0 e parecia encaminhar uma vitória simples contra o lanterna Siena. Porém, depois da expulsão de Lazzari, o Siena cresceu e, com um jogador a mais, conseguiu empatar a partida. O ótimo início da equipe de Údine tem uma causa: Basta, lateral que marcou um golaço e depois cruzou na cabeça de Di Natale, que marcou seu primeiro na temporada. Mal em campo, o Siena se chacoalhou após a saída de D’Agostino para a entrada de Zé Eduardo, ainda no primeiro tempo. Pouco depois, o técnico Guidolin, da Udinese, foi expulso por reclamação e nem imaginaria que, no início da segunda etapa, uma outra expulsão, desta vez de Lazzari, mudaria o rumo do jogo.

Inesperada, também, a participação de Zé Eduardo (e também do limitado Sestu) no crescimento senese a partir do segundo tempo. Primeiro, o brasileiro mandou uma bola na trave e, depois, o italiano cruzou na cabeça de Calaiò, que descontava. Zé Eduardo ainda achou Ângelo na grande área, e viu o compatriota ser derrubado e sofrer o pênalti que ele, Zé Love, converteria. Primeiro gol dele na Itália, o que pode ser um alento para o Siena. Afinal, a equipe tem jogado mal e continua com -4 pontos, por causa da penalização pelo envolvimento no escândalo de apostas ilegais. Devagar como a Udinese, que terá duas partidas no Friuli, em sequência: primeiro, estreia na Liga Europa contra o Anzhi, de Eto’o, quinta-feira, e depois, no domingo, enfrenta o Milan. Jogos difíeis, mas boas oportunidades para colocar a equipe nos eixos. (Nelson Oliveira)

Relembre a 2ª rodada aqui.

Relembre os jogos do sábado aqui.

Confira estatísticas, escalações, artilharia e da 3ª rodada, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Agliardi (Bologna); Basta (Udinese), Biava (Lazio), Ranocchia (Inter), Juan (Inter); Hernanes (Lazio), Pizarro (Fiorentina); Vucinic (Juventus), Pandev (Napoli), Maxi López (Sampdoria); Gilardino (Bologna). Técnico: Vladimir Petkovic (Lazio).

1 comentário

Deixe um comentário