Serie A

7ª rodada: Vitória no primeiro turno

Samuel cumprimenta Juan: o argentino venceu todos os dérbis de Milão que disputou e, neste domingo, marcou o gol da vitória, além de ter sido muito sólido na defesa (Reuters)

Em um domingo de eleições por todo o Brasil, a Serie A poderia até estar ofuscada. Não fosse, claro, o dérbi de Milão, entre Milan e Inter, um dos principais clássicos do futebol mundial. Tal qual um candidato que começou bem nas pesquisas e sofreu alguns baques no meio da campanha, mas não o suficiente para fazê-lo perder, a Inter venceu o Milan neste primeiro turno. Uma vitória importante, pelo modo como o jogo se desenvolveu, e porque deixa a Inter ainda próxima de Juventus e Napoli. Confira o resumo do dérbi e das outras partidas da rodada.

Milan 0-1 Inter

Logo no início do jogo, o placar acabou por se definir. Aos 3 minutos, após uma cobrança de falta, Abbiati saiu mal e Samuel, de cabeça, abriu uma tarde de bons presságios para os torcedores nerazzurri. Sempre que jogou o dérbi de Milão, o zagueiro argentino venceu – com esta, do domingo, foram 10 partidas. Abbiati, que fez uma partidaça na quarta, contra o Zenit, entregou o ouro mais uma vez, aos 6, quando errou passe e deixou Milito cara a cara com ele. O Príncipe, que já tem seis gols contra os rossoneri, desperdiçou a chance, de maneira incrível. Depois, sobretudo com Montolivo, o Milan melhorou, e Paolo Valeri apareceu de forma negativa.

Primeiro, o árbitro marcou falta inexistente de Emauelson sobre Handanovic, em lance no qual Montolivo marcaria um golaço, na sequência. E, no segundo tempo, aplicou um segundo cartão amarelo muito rigoroso por toque de mão de Nagatomo, deixando a Inter com 10 por 43 minutos. Desde então, Stramaccioni fechou a Inter, taticamente perfeita no jogo, e viu Handanovic, Ranocchia e Samuel terem uma ótima atuação, suficiente para segurar o resultado. Na próxima rodada, a Inter recebe o Catania, 8º colocado, e o Milan visita a Lazio, 3ª, frente à Inter por critérios de desempate.

Siena 1-2 Juventus
O que mais chamou a atenção na partida
realizada no Artemio Franchi foi a atuação de Paolo Mazzoleni. O
árbitro, confuso, inverteu algumas faltas, beneficiou a Juventus em
algumas decisões e não expulsou Chiellini. Pirlo, no começo do jogo, deu
a vantagem aos bianconeri de Turim. Os jogadores do Siena provavelmente
não assistiram o jogo contra a Roma, pois o gol do volante foi
idêntico: falta na entrada da área e cobrança por debaixo da barreira.
Na sequência, Giovinco errou o alvo por duas vezes. Ainda no primeiro
tempo, Chiellin deveria ter sido expulso. Com a arbitragem confusa,
Serse Cosmi ficou irritado e ele acabou levando o cartão vermelho.

De Ceglie saiu no intervalo, pois deixou um corredor na ala
esquerda. Corredor, esse, pelo qual saiu o gol de empate de Calaiò, após
cruzamento de Ângelo, minutos antes. Com Asamoah, a Juventus fez pressão
a segunda etapa inteira, mas a rede só balançou quando Marchisio, sem
marcação na grande área, chutou forte para vencer Pegolo. Giovinco errou
finalizações, mas apresentou um futebol melhor do que nos últimos jogos, se
movimentando bastante e dando trabalho para Neto, Felipe e Paci. Na próxima
rodada, o Siena viaja para jogar contra a Atalanta; a equipe de Turim
recebe o também invicto Napoli, na Arena.  (Murillo Moret)

Napoli 2-1 Udinese
O Napoli mais uma vez não foi brilhante, mas contou com um Hamsík inspirado para continuar na empatado n liderança com a Juventus. Na próxima rodada, em duas semanas, as duas equipes entram em campo para o confronto direto que pode valer a liderança isolada. Neste domingo, a partida acabou decidida em favor dos azzurri no primeiro tempo. Aos 30, após boa triangulação entre Maggio e Cavani, Hamsík completou para as redes.

A Udinese, que não demonstrou cansaço após a ótima vitória de quinta, na Liga Europa, contra o Liverpool, mostrou seu grande poder de reação e empatou, aos 43, mas Pandev respondeu em seguida, dando números finais ao jogo. No segundo tempo, o duelo tático levou a uma partida equilibrada, mas sem grandes chances para ambas as equipes. Na próxima rodada, se os napolitanos tem vida difícil contra a Juve, a Udinese, 14ª colocada, pode se redimir em casa diante do Pescara, 13º.

Pescara 0-3 Lazio

Contra um Pescara mais uma vez confuso, a Lazio precisou de muito pouco para vencer. Logo no início, com uma excelente cobrança de falta de Hernanes, a equipe celeste abriu o placar, podendo se impor. Nem mesmo o ódio dos torcedores pescareses frente à Lazio, sua maior rival – que não enfrentava há 20 anos -, conseguiu deter os visitantes. Muito desorganizado, o Pescara viu Klose decidir a partida, com um gol após infilitração de Candreva e outro após cobrança de escanteio, na qual Terlizzi o deixou desmarcado. No segundo tempo, a Lazio apenas administrou, e o Pescara, embora tenha melhorado, não conseguiu diminuir o placar.

Muito bem na tabela, na terceira colocação, por critérios de desempate em relação à Inter, a Lazio até agora enfrentou apenas adversários bastante acessíveis. O primeiro jogo mais complicado será em duas semanas, contra o Milan, 11º colocado, no Olímpico. Um bom resultado pode dar mais suporte para entender até onde essa Lazio pode chegar. Já o Pescara, 13º, com 7 pontos, visitará a Udinese, em mais uma tarefa complicada. Ao menos, desta vez, Giovanni Stroppa poderá contar com Weiss, que estava suspenso.

Roma 2-0 Atalanta
Desta vez, a sorte estava com a Roma – se é que
existe sorte no futebol. Nos primeiros 20 minutos, a Atalanta soube
como parar os giallorossi de Zdenek Zeman: esperando por uma chance para
contra-atacar. Só que o caminhão de gols perdidos pela equipe visitante
sacramentou o resultado ainda na etapa inicial. Há de ser dito, também,
que Stekelenburg salvou outras várias oportunidades que a Atalanta criou
neste período de tempo, com Denis, Moralez e Schelotto. Quando Cigarini
e Cazzola deram um pouquinho de espaço para Totti, o capitão colocou
Lamela na cara de Consigli. A bola bateu na canela do argentino e
entrou? Sim, gol feio também vale, como diz o ditado.

Na etapa complementar, a Atalanta mal ameaçou Stekelenburg, Castán e
Marquinhos, emulando o segundo tempo da derrota para o Torino na última
rodada. Destro, com um balaço de fora da área, acertou o travessão. No
lance seguinte, o camisa 22 chutou novamente de longe, Consigli deu
rebote e Bradley, que fez boa partida ao lado de Tachtsidis – De
Rossi foi barrado -, completou para o gol. Na próxima rodada, a Atalanta
enfrenta o Siena; a Roma vai ao Marassi encarar o Genoa. (MM)

Fiorentina 1-0 Bologna 
O outro dérbi da rodada não tem nem de perto o glamour daquele milanês. E, também, não teve a mesma qualidade, embora o placar tenha sido o mesmo. A Fiorentina foi a dona do jogo e o Bologna levou perigo a Viviano, ex-goleiro do clube, uma vez sequer, em cobrança de falta de Diamanti. “Autoritária”, a equipe viola marcou logo no primeiro tempo, depois que um cobrança de escanteio desviou em Roger Carvalho e sobrou para Jovetic marcar seu primeiro gol após três rodadas.

Dali para frente, a Fiorentina teve um volume de jogo muito alto, mas muitas chances desperdiçadas, seja pela boa partida de Agliardi, seja pela falta de mira de seus jogadores. Toni também teve um gol bem anulado, na segunda etapa. Na próxima rodada, a Fiorentina, 5ª colocada, com 11 pontos, visitará o Chievo, ciente de que terá de ser mais objetiva em suas finalizações, para não desperdiçar pontos. Já o Bologna, 12º, visita o Cagliari, 17º.


Chievo 2-1 Sampdoria

Na estreia de Eugenio Corini à frente do time, o Chievo voltou a vencer, após cinco derrotas seguidas, e conquistou três pontos importantes para sair da zona de rebaixamento. Mas os méritos não são todos do técnico, claro. Aliás, sequer são do conjunto do Chievo. Afinal, a Sampdoria jogou muito mal, em ritmo lento e sem criatividade, não podendo servir de comparação para avaliar a evolução do futebol do Chievo.

O time da casa, inclusive, poderia nem ter vencido a partida se não fosse a falha de Romero no final do jogo, que deu um gol de presente para Di Michele, em chute de longe. Théréau havia aberto o placar e Maresca empatado a partida, antes. De qulquer forma, a vitória serve para elevar o moral do time, que agora marca 6 pontos e está um à frente da zona da degola. Pelo lado da Samp, o momento é outro. A equipe perdeu a segunda partida seguida e já está a quatro sem vencer. (Rodrigo Antonelli)

Genoa 1-1 Palermo

Em bom jogo no Marassi, o empate foi o resultado mais justo. As duas equipes foram ao ataque e procuraram o gol durante todo o tempo. Mesmo jogando em casa, o Genoa começou a partida muito recuado e deu espaço para o Palermo produzir, tentando evitar a vitória de Gian Piero Gasperini, hoje no Palermo, em sua primeira visita ao Marassi desde que deixou o Genoa, dois anos atrás. Não demorou para os visitantes abrirem o placar, então: Ilicic curzou da esquerda e Giorgi cabeceou para os fundos da rede de Frey.

Na segunda etapa, o Genoa voltou melhor e logo no início alcançou o empate, com Borriello, também de cabeça. O empate, porém, não foi bom para o time genovês, que chega a sua terceira rodada sem vencer (foram três empates) e fica estagnado na parte do meio da tabela. O Palermo, por outro lado, pode comemorar. Depois de péssimas partidas fora de casa, o time finalmente conseguiu jogar bem longe de seus domínios e marcou o primeiro ponto e o primeiro gol longe no Barbera. (RA)

Catania 2-0 Parma
Jogando em casa, o Catania é letal: já são três vitórias no Massimino. Desta vez, sobre o Parma, o resultado começou a ser definido desde cedo, quando, aos 2 minutos, Barrientos fez boa jogada e tocou para Gómez abrir o placar. Com a vantagem, os etnei se recolheram, apostando em contra-ataques puxados pela veloz dupla argentina e pelo capitão Izco. Os parmiggianos conseguiram oito escanteios na primeira etapa, mas em nenhum deles levaram perigo a Andújar. No segundo tempo, Benalouane foi expulso por uma falta boba em Gómez e, logo depois, o Catania chegou ao segundo, com Bergessio, decretando a vitória siciliana. Na próxima rodada, o Catania, 7º colocado, com 11 pontos, visita a Inter, enquanto o Parma, 15º, com 6 pontos, recebe a Sampdoria, 8ª colocada.

Torino 0-1 Cagliari
Na primeira partida de Diego López e Ivo Pulga no comando do Cagliari, a equipe enfim conseguiu vencer. A primeira vitória da temporada chegou graças a pênalti polêmico, e convertido pelo brasileiro Nenê. Contra um Torino ultraofensivo, a equipe sarda pode comemorar o fato de a defesa ter contido muito bem o 4-2-4 de Gian Piero Ventura e, pela primeira vez na temporada, não ter sofrido gols – nas outras rodadas, foram oito sofridos. Um recomeço importante, que coloca o time com 5 pontos, uma posição acima da zona de rebaixamento, duas semanas antes de um importante jogo, contra o Bologna, 12º colocado. Já o Torino segue com 8 pontos, na 10ª posição, e na próxima rodada visita o Palermo, 17º.

Relembre a 6ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada

Handanovic (Inter); Astori (Cagliari), Ranocchia (Inter), Samuel (Inter); Izco (Catania), Hernanes (Lazio), Borja Valero (Fiorentina), Hamsík (Napoli); Totti (Roma), Klose (Lazio), Théréau (Chievo). Técnico: Andrea Stramaccioni (Inter).

1 comentário

Deixe um comentário