Serie A

9ª rodada: Ah, a arbitragem

Vidal marca gol irregular para a Juventus. Erros crassos da arbitragem contra o Catania determinaram o resultado (Reuters)

Em uma rodada de poucos gols – apenas 19 -, acabou se sobressaindo a arbitragem. Claro, de forma negativa. Os erros em Catania-Juventus foram grotescos e acabaram influenciando diretamente no resultado da partida. Em Fiorentina-Lazio, um erro semelhante (um impedimento mal marcado), também manchou a vitória viola. Os responsáveis pela comissão de arbitragem, diferentemente do que acontece no Brasil, tiveram de ir à TV dar explicações. Arbitragem à parte, a rodada teve a continuidade da Juve no topo da tabela, e o crescimento da Inter, que agora é terceira, um ponto a menos que o Napoli. A Fiorentina, por sua vez, começa a se aproximar um pouco mais do pelotão de cima, e ocupa a quinta colocação.

Catania 0-1 Juventus
Em partida na qual a arbitragem influiu diretamente no resultado, a Juventus manteve a liderança. Nos últimos anos, o Catania tem sido um adversário complicado para a Velha Senhora e mostrou isso mais uma vez, frente às 25 mil pessoas que lotaram o estádio Angelo Massimino. Logo nos primeiros minutos, os sicilianos tiveram gol muito mal anulado de Bergessio, por pressão do banco da Juventus sobre o bandeira – quase três minutos se passaram até a decisão do árbitro Paolo Gervasoni. O mesmo bandeira que errou, em lance semelhante na segunda etapa, e não marcou impedimento de Bendtner no lance que deu origem ao gol decisivo de Vidal.

Depois do gol, a Juventus cresceu e obrigou Andújar a fazer uma série de defesas que mantinham o Catania no jogo. Porém, depois de ficar atrás no placar, os rossoazzurri pouco assustaram a Juve, que dominou até o fim e poderia ter até ampliado. Com o resultado, a Juve vai forte para enfrentar a Inter, em Turim – antes, na quarta, recebe o Bologna, que está em má fase e não terá Diamanti. Já o Catania segue com 11 pontos, no meio da tabela.

Bologna 1-3 Inter
Na semana anterior ao jogo-chave contra a Juventus, a Inter mais sólida da temporada foi vista no Renato Dall’Ara, neste domingo chuvoso em Bolonha. Contra os felsinei, a equipe de Milão chegou a oito vitórias consecutivas fora de casa, recorde histórico, e viu Andrea Stramaccioni igualar a série de sete sucessos consecutivos do ídolo Helenio Herrera, que conseguiu o feito 40 anos atrás, justamente na cidade em que ele apareceu para o futebol.

Os destaques da partida foram Cambiasso, que mostrou uma forma não vista nos últimos tempos, e Palacio, que tem se mostrado uma contratação cirúrgica. O primeiro fez um bonito gol, após receber assistência do ex-Genoa, deu assistência para gol de Ranocchia, e comandou o meio-campo, na ausência de um armador de origem. Palacio também deu outra assistência, para o gol de Milito, e se movimentou bastante no ataque. A nota negativa na Inter foi o gol sofrido após jogada de bola parada – o primeiro gol sofrido fora de casa na temporada -, marcado por Cherubin após cruzamento de Diamanti. O Bologna, inclusive, não contará com seu capitão, que jogou mal neste domingo, para o jogo da quarta, contra a Juve.

Napoli 1-0 Chievo

Com uma vitória magra, o Napoli continua a perseguição à Juve pela
liderança do campeonato. Apesar do placar curto, os três pontos valem
muito porque o time jogou sem seu artilheiro Cavani, machucado, e
cometeu muitos erros. No primeiro tempo, os donos da casa até criaram
algumas boas oportundiades, mas sentiram falta exatamente de um matador,
para finalizar melhor a jogada. O gol de Hamsík saiu logo no início da
etapa final e depois disso o time diminuiu o ritmo. Antes, a melhor chance havia sido com um chute de Inler que explodiu na trave, nas costas de Sorrentino e por pouco não entrou.
Ainda assim, o resultado foi justo, uma vez que o
Chievo não conseguiu se aproveitar dos erros napolitanos e permaneceu
apático em boa parte do jogo. No meio da semana, o Napol tem difícil
compromisso contra a Atalanta, para tentar permanecer na cola da Juve.
Já o Chievo joga com o Pescara, em seus domínios, precisando da vitória
para sair da zona de rebaixamento. (Rodrigo Antonelli)

Milan 1-0 Genoa
Na estreia de Luigi Del Neri no
comando do Genoa, a equipe rossoblù não conseguiu manter a série
negativa do Milan, que não ganhava havia três partidas, e garantiu uma
sobrevida ao técnico Allegri. E o grande responsável pelo resultado
positivo da equipe de Milão, como tem sido rotina, foi El Shaarawy. Em
jogo que o Milan teve maior posse e amplo domínio territorial, mas não
conseguia chegar com perigo, Il Faraone apareceu de novo para resolver,
marcando o único gol da partida. Foi a sexta vez que o egípcio balançou
as redes no campeonato, marca que o coloca como artilheiro, ao lado de
Cavani e Klose. Outra prova da importância de El Shaarawy para o Milan é
que ele é responsável por 60% dos gol da equipe até aqui (fez seis dos
10 gol marcados pelo time). 
No sábado, ele jogou ao lado de Pato, que voltou a
iniciar uma partida após oito meses. O brasileiro sofreu com a falta de
ritmo e errou jogadas simples, mas mostrou vontade e pode ser importante
para a equipe, caso não volte a se machucar. Do lado genovês, o jogo
foi marcado por muita defesa. Del Neri escalou a equipe em um 4-5-1 que
às vezes virava um 6-3-1, com o objetivo de anular todas as jogadas do
adversário. E foi bem sucedida até o momento do gol. Com os três pontos,
o Milan chega a 10 e Allegri conquista alguns dias de paz. Mas poucos,
porque amanhã já tem duelo contra o Palermo, na Sicília. (RA)

Roma 2-3 Udinese

Mais uma vez, a Roma proporcionou um grande jogo para quem gosta de
assistir futebol. Os torcedores giallorossi, porém, com certeza não
estão satisfeitos com isso. Após estar vencendo por 2 a 0, a equipe
de Zdenek Zeman, que cada vez mais mostra ter a sua cara, tomou a
virada. Foi a segunda vez na temporada que isso aconteceu. Na 3ª rodada,
contra o Bologna, a equipe também vencia por 2 a 0 e saiu derrotada de
campo. Com placares assim, os jogos da equipe da capital têm média de
4,125 gols por partida. Em seu blog, Leonardo Bertozzi lembra bem das montanhas russas que foram os times de Zeman. Neste campeonato, a Roma já tem o melhor ataque e a pior defesa da competição.
O que falta é regularidade. Nos primeiros trinta
minutos, os donos da casa foram muito superiores e jogaram ótimo
futebol, digno de quem almeja o título. Lamela marcou duas vezes e
poderia ter deixado a equipe em situação tranquila. Logo depois, porém, a
equipe caiu muito de rendimento e deu espaço para que a Udinese atacar.
Domizzi, ainda no primeiro tempo, diminuiu. Di Natale, aos cinco e aos
42 do segundo tempo, virou. O segundo gol foi em cobrança de pênalti cometido por Leandro Castán. O capitão bateu de
cavadinha, da maneira que Totti gosta de bater. Com a derrota, a Roma
deixa a zona de classificação para ligas europeias. A Udinese conquista a
segunda vitória seguida e tenta engatar na competição. (RA)



Fiorentina 2-0 Lazio
Em um dos melhores jogos da rodada, a Fiorentina foi superior, mas contou com erros de arbitragem para vencer a Lazio. No início do primeiro tempo, Pasqual obrigou Bizzarri a fazer uma defesaça, em cobrança de falta, e pouco depois sofreu pênalti de Konko. Na cobrança, Matías Fernández acertou a trave, e, no rebote, Ljajic converteu. Porém o gol foi bem anulado, já que o chileno tocou novamente na bola antes de o sérvio completar. Ljajic, no entanto, marcaria um golaço de fora da área pouco depois.

No segundo tempo, Klose perdeu chance clara e, depois, Mauri teve gol anulado por impedimento mal marcado. A Lazio sucumbiu pouco depois, quando Ledesma foi expulso por fazer falta em Cuadrado e levar o segundo amarelo. O mesmo Cuadrado acabou agredido por Hernanes, e Bergonzi expulsou bem o Profeta, deixando os aquilotti com 9 em campo. Sem poder de reação, a Lazio apenas observou Aquilani cruzar bem para Toni girar sobre Biava e dar números finais ao jogo, com seu segundo gol na temporada. Com o resultado a Lazio perdeu a terceira posição para a Inter, permanecendo com 18 pontos. A Fiorentina chegou à quinta posição, com 15, e se aproxima.


Sampdoria 0-1 Cagliari
Após um início excelente de campeonato, a Sampdoria empacou. Desde as três vitórias e dois empates nas primeiras cinco rodadas, a equipe só faz perder e chegou à quarta derrota consecutiva, se mantendo com 10 pontos. O Cagliari, por sua vez, vive situação oposta e, ao chegar aos 11 pontos, com três vitórias em sequência, ultrapassou a equipe de Gênova. Tudo mudou depois da chegada da dupla Ivo Pulga e Diego López à equipe, o que fez a defesa se arrumar e a equipe jogar com mais tranquilidade. Cínico, o Cagliari aproveitou uma das poucas chances que teve para, no início do segundo tempo, definir o resultado com um gol de cabeça de Desenna. Curiosamente, todas as vitórias sardas aconteceram com placar magro: sempre 1 a 0.

Torino 1-3 Parma
Apesar do alto número de gols, a partida em Turim não foi primorosa e se decidiu apenas no segundo tempo, quando o Parma ficou com um a mais, graças à expulsão de Sansone. Os parmenses, que também tinham seu Sansone, abriram o placar justamente com ele, após boa incursão de Parolo, e chegaram com terceiro com velocidade, graças a dois cruzamentos e gols de Amauri e Rosi. O Torino ainda diminuiu, pouco depois, com Basha, mas acabaram sentindo os fortes golpes. As duas equipes estavam empatadas, com 9 pontos, mas agora o Parma subiu para 12, na oitava colocação.

Pescara 0-0 Atalanta
Apesar do 0 a 0, a partida no estádio Adriatico foi bem movimentada. Precisando vencer sua primeira partida fora de casa, a Atalanta foi para cima e desperdiçou algumas chances, seja por falta de pontaria ou por boa atuação do goleiro Perin, que fez boas defesas frente a Bonaventura – melhor em campo – e Cigarini. No segundo tempo, Peluso acabou sendo expulso e colocou o Pescara no jogo. Com Abbruscato e Quintero, os biancoazzurri tiveram as melhores chances, mas levaram azar. Primeiro, Manfredini desarmou o atacante na cara do gol, e, em seguida, a cobrança de falta do colombiano tirou tinta da trave. Consigli ainda fez defesaça frente a Abbruscato e a Atalanta acertou a trave, com Brivio. Apesar de o jogo ter terminado sem gols, o empate ficou de bom tamanho, e manteve as equipes na parte de baixo da tabela, com 8 e 9 pontos, respectivamente.

Siena 0-0 Palermo
Provavelmente no pior duelo do
fim de semana, Siena e Palermo empataram sem gols, resultado ruim para
os dois, que continuam na zona de rebaixamento. A primeira etapa não
reservou nada de bom. Em jogo feio, as equipes pouco produziram e nenhum
dos goleiros teve que trabalhar. No segundo tempo, o jogo melhorou e o
Palermo se mostrou um pouco melhor que o adverário. Na melhor chance do
jogo, porém, Miccoli não conseguiu superar Pegolo e o placar permaneceu
mesmo no 0 a 0. O resultado só não é pior para o Siena, último
colocado, porque havia três jogos que o time não pontuava. Mas a
situação continua crítica e o técnico Cosmi já começa a se desesperar:
com apenas três pontos marcados, a equipe está quatro distante do
primeiro time fora da zona da degola. Na próxima rodada, o time vai
ao Sant’Elia enfrentar o Cagliari. O Palermo, por sua vez, recebe o
Milan, em difícil jogo. (RA)

Relembre a 8ª rodada aqui

Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Andújar (Catania); Zanetti (Inter), Barzagli (Juventus), Paletta (Parma), Pasqual (Fiorentina); Inler (Napoli), Cambiasso (Inter), Dessena (Cagliari); Ljajic (Fiorentina), Di Natale (Udinese), Palacio (Inter). Técnico: Andrea Stramaccioni (Inter).

Deixe um comentário