Liga Europa

Liga Europa: Inter e Lazio ok, Napoli e Udinese não

Napoli perde a segunda na Liga Europa e tem altas chances de eleiminação (Ansa)

Mais uma vez, a rodada da Liga Europa foi de emoções mistas para as equipes italianas. O Napoli vacilou mais uma vez e só não complicou muito suas chances no grupo porque o PSV tropeçou contra o AIK e não abriu vantagem. Com dois jogos em casa no returno, a equipe tem que aproveitar o mando de campo para seguir em frente.

A Udinese também perdeu, mas está em um grupo muito embolado. Apenas dois pontos separam Liverpool e Young Boys de Anzhi e Udinese. Com dois jogos em casa, também dá para crer na classificação bianconera. Lazio e Inter, por sua vez, lideram seus grupos, e conseguiram resultados positivos nesta quinta. A equipe de Milão, inclusive, já pode garantir sua vaga no mata-mata na próxima rodada.

Dnipro 3-1 Napoli

Walter Mazzarri disse um dia após a derrota para o Dnipro, na Ucrânia:
“temos de fazer escolhas”. Para ele, é simples: ou o Napoli prioriza a Liga
Europa, ou vai com tudo na Serie A. A escolha napolitana é a competição
nacional, pois levou outra surra no jogo em Dnipropetrovsk: 3 a 1, pelo Grupo F
do torneio europeu.

 

A equipe titular parecia demais com aquela que perdeu para o PSV, na
Holanda, há duas semanas. Rosati assumia o gol, enquanto De Sanctis foi poupado;
Férnandez pegou a posição de Cannavaro; Dzemaili ganhou vaga no meio de campo; e
Pandev e Cavani cederam espaço para Insigne e Vargas. Contra a Juventus, no fim
de semana, o Napoli sofreu o primeiro tento em jogada de bola parada, definida
por Cáceres na etapa complementar. Em Dnipropetrovsk, Fedetskiy deu vantagem aos
ucranianos ao escorar cruzamento do ambidestro Rotan, logo após o apito inicial.
Os partenopei sofrem demais com este tipo de jogada. Minutos depois, quase
Seleznyov aumentou a vantagem quando o Napoli, ainda, mal havia conseguido
trocar muitos passes. No segundo tempo, Fernández foi driblado por Matheus e observou todo o lance que resultou
na rede napolitana balançando, em chute de Giuliano.

 

O Napoli só mudou com a entrada de Cavani. Cabeçada potente, após
cruzamento de Aronica, que Lastuvka defendeu e a bola bateu na trave; o pênalti
convertido dos 3 a 1 – em lance que Mazuch derrubou o uruguaio dentro da área –;
e uma falta perigosíssima cobrada nos minutos finais. Os partenopei jogaram
de forma extremamente diferente, e positivamente, com Cavani. Com três pontos
conquistados na Liga Europa, o Napoli vê o Dnipro bem afastado aos demais, com
9, e o PSV na vice-liderança, com 4. Ainda há três confrontos para ser
disputados. O desafio não é difícil. Mas a rotação do elenco nos jogos
continentais e o pensamento “ah, dane-se a Uefa, pois o que importa é a Serie A”
pode culminar com o vexatório e prematuro abandono dos azzurri no
campeonato. (Murillo Moret)

Inter 1-0 Partizan

No Giuseppe Meazza, a Inter enfim venceu pela primeira vez em seus
domínios pela Europa League, porém com uma apresentação abaixo da média, marcada pelo
excesso de cautela na postura dos nerazzurri, frente a uma equipe
bem postada.
Como de costume, Andrea Stramaccioni mandou a campo um time em boa
parte formado por reservas – casos de Silvestre, Mudingayi, Jonathan,
Pereira, Coutinho e Livaja -, contudo, mantendo o esquema tático já habitual, o
3-4-1-2. Diante o Partizan, a equipe sofreu com os mesmos problemas
apresentados no último domingo, na vitória sobre o Catania: minoria numérica
pelos flancos, fazendo os “zagueiros-laterais” e volantes se
desdobrarem no auxílio aos alas, prejudicando o combate pelo centro e a saída
de bola.
Pereira e Coutinho foram os principais destaques ofensivos da equipe na
primeira etapa, contudo, suas jogadas não se transformaram em gols. Com a saída
do brasileiro por lesão aos 31′, e a efetivação do 4-4-2, a Inter se acomodou,
assim como o Partizan, que já não pressionava com a mesma intensidade dos 10
primeiros minutos, e parecia conformado com o resultado.
A tônica do segundo tempo não mudou muito, a não ser pela postura
inicial que a Beneamata teve até a entrada de Zanetti, que deu equilíbrio ao 4-4-2. No entanto, a
equipe voltou à acomodação de antes. Somente a partir da entrada de Milito aos
76′, que os donos da casa voltaram a buscar mais o ataque, agora, porém, na
base do “abafa”. Ao menos, isso mostrou mais uma vez que os nerazzurri dão atenção ao torneio.
O gol reflete bem isso: aos 86′, Lazar
Markovic perdeu boa chance frente a Handanovic, que saiu bem do gol e o desarmou. Na
sequência, já com a equipe postada no ataque, Milito abriu na direita puxando a
marcação consigo e, após passe de Guarín, levantou a bola na área para o
cabeceio de Palacio, livre entre dois defensores sérvios, que garantiu
os três pontos.

Com a vitória, a Inter passou o Rubin Kazan, com os mesmos 7
pontos, na liderança devido à vantagem no número de gols marcados. Com
apenas 1 ponto, Neftchi e Partizan ocupam as últimas colocações. A Beneamata, que nos últimos 6 jogos (desde que o 3-5-2 foi efetivado) venceu todos
seus compromissos, e não sofre gols há 3 jogos, voltará a jogar no domingo,
contra o Bologna, na Emília-Romanha. Pela Europa League, joga novamente com o
Partizan no dia 8 de novembro, em Belgrado, Sérvia, podendo garantir sua classificação com grande antecedência. (Arthur Barcelos)

Panathinaikos 1-1 Lazio

Jogando fora de casa, a Lazio deixou escapar uma vitória importante contra o Panathinaikos. O time de Petkovic mostrou pouco futebol, e pagou pela falta de agressividade no segundo tempo, sofrendo o empate no final do jogo. O resultado, porém, mantém a equipe romana na liderança do grupo.

O clima antes do jogo foi de muita tensão. Alguns ônibus da Lazio foram apedrejados por torcedores gregos. Houve confronto entre os ultras das duas equipes, e a polícia teve que ser acionada. Dentro de campo, o que se viu foi um jogo morno, com poucas chances de gol. Tanto que o gol da Lazio saiu num lance bizarro, quando Seitaridis tentou recuar para o goleiro, que estava fora do gol, e acabou marcando um gol contra inacreditável.

Depois do gol, a Lazio, que já era melhor, passou a controlar a partida, até o final do primeiro tempo. Na segunda etapa, a equipe biancoceleste foi despretensiosa, mostrando satisfação com o 1 a 0. O Panathinaikos pressionava, mas os italianos se defendiam bem. A Lazio abriu mão de atacar e, como aconeceu contra o Milan, pôs o resultando em risco. Só que, ao contrário da partida de domingo, o time de Petkovic tinha apenas um gol de vantagem e, aos 45 do segundo tempo, Toché, meio desajeitado, empatou para os gregos, após confusão na área.

O resultado não foi tão ruim para a Lazio, já que, no outro jogo do Grupo J, Maribor e Tottenham também empataram. O clube romano segue na liderança do grupo, com cinco pontos, um a mais que os eslovenos, que surpreendem e estão na segunda colocação. Os Spurs estão em terceiro, com três pontos ganhos, e o Panathinaikos tem dois. (Cleber Gordiano)

Young Boys 3-1 Udinese

Depois de vencer o Pescara na última rodada da Serie A, a
Udinese entrava em campo pela Liga Europa com a possibilidade de assumir a
ponta de um grupo complicado, afinal, enfrentava o lanterna Young Boys, equipe mais frágil da chave. A
chance da primeira doppietta da temporada era mais que clara e poderia ajudar o
time bianconeri a engrenar de vez.
Quando se esperava força máxima como na épica vitória ante o
Liverpool, Guidolin, que já não podia contar com Basta, Pinzi, Pasquale e Muriel,
ainda deixou Di Natale e Pereyra no banco, resolvendo dar mais uma oportunidade
para a promissora dupla Fabbrini e Ranegie.
Porém, bastaram quatro minutos para o planejamento ir por
água abaixo. Bobadilla não desperdiçou a chance deixou os suíços na frente.
Como vem sendo em quase toda a temporada, ainda mais quando não conta com Di
Natale, o time friuliano não joga bem. Sem qualidade e criatividade, dependeu
demais de alguma jogada isolada, que não aconteceu.
Para o segundo tempo, Di Natale e Pereyra vieram a campo,
mas pouco mudou. Desesperada em busca do resultado, a Udinese deixou a defesa
aberta, e Bobadilla aproveitou novamente. Recebeu em profundidade, ganhou de
Danilo no corpo e não deu chances à Brkic. Minutos depois, Coda ainda deu um pouco de esperança com um gol de
cabeça, mas já no final novamente Bobadilla sacramentou a derrota italiana, com seu terceiro gol.
O resultado ainda deixa a Udinese com reais chances com a
vitória do Liverpool, mas ressucitou o Young Boys que já estava condenado e
terá de brigar com o Anzhi para não dar mais um vexame europeu nessa temporada. (Caio Dellagiustina)

Deixe um comentário