Coppa Italia

Coppa Italia: começando a esquentar

Juve segue em frente na Coppa, mas perdeu Vidal (foto), Giaccherini e Bendtner por lesão (Juventiknows)

Nesta semana, começaram as oitavas de final da Coppa Italia, tradicional competição que dá uma vaga na Liga Europa. Embora desvalorizada pela grande parte dos clubes, uns por a considerarem supérflua e ter jogos que só atrapalham objetivos de títulos em outras competições, outros porque não veem chance de abocanhá-la e preferem se concentrar em não ser rebaixado. Mesmo assim, a partir desta fase, a competição começa a ganhar alguma importância, porque, de uma forma ou de outra, é uma chance de título para equipes que já começam a imaginar seu próprio futuro na Serie A. Acompanhe os resumos.

Juventus 1-0 Cagliari

Difícil começar o texto sem citar que, no
dia 12/12/12, Giovinco, o camisa 12 da Juve, marcou seu 12º gol vestindo
bianconero, aos 12 minutos do segundo tempo, e colocou a Velha Senhora
nas quartas de final da Coppa Italia. E essas coincidências foram as
únicas coisas que deixaram o jogo interessante, acredite. Atuando com
time misto, a equipe de Antonio Conte dominou toda a partida sem muitas
dificuldades, mas sem conseguir chances claras de gol, e derrotou pelo
placar mínimo um Cagliari também recheado de reservas.

No inverno congelante de Turim, a Juve ainda ficou no prejuízo:
perdeu Giaccherini, Vidal e Bendtner, todos lesionados. De positivo, a
Juve pode anotar a marca de quatro jogos consecutivos sem levar gol. A
mais grave é a do atacante dinamarquês, que deve ficar parado pelos
próximos três meses. Pelas quartas, a Juve enfrentará o Milan. (Rodrigo Antonelli) 

Milan 3-0 Reggina

Tal como os outros gigantes da Serie A, o Milan não teve
dificuldades em avançar na Coppa Italia e, assim como Juventus e Roma, não deu
chance para o azar e escalou boa parte do time titular para encarar a modesta
Reggina, no San Siro. As únicas novidades foram as presenças do jovem Strasser,
que agora terá mais chances na equipe com a lesão de De Jong, Antonini, que
volta aos poucos de lesão e de Pazzini, que tem nova chance entre os titulares.

O jogo em si foi muito fraco,  como muitos da equipe milanista durante a
temporada. Sabendo da fragilidade do time amaranto nem Robinho, nem Pazzini e
muito menos Bojan se esforçaram tanto para marcar, tanto que a melhor chance veio
de uma cabeçada à queima-roupa de Yepes, defendida pelo bom goleiro Facchin,
cria milanista.
A volta para o segundo tempo deu outro ritmo ao jogo e logo
nos primeiros minutos, Yepes acertou nova cabeçada e abriu o placar. Daí em
diante, os milanistas controlaram o jogo e não viram a Reggina assustar,
tamanha a falta de qualidade do 17º colocado da segunda divisão. Já no final da
partida, Niang, jovem promessa de 17 anos que é tratado como um “novo Balotelli”
(no estilo e no temperamento) marcou seu primeiro gol pelo time do Milan,
aproveitando bela jogada de Emanuelson. Dois minutos depois, Pazzini completou
o placar em uma jogada oportunista, para definir a classificação para as quartas de finais, na qual o Milan terá de encarar
ninguém menos que a Juventus. E terá de jogar muito mais do
que apresentou até aqui se ainda quiser sonhar com o título. (Caio Dellagiustina)

Roma 3-0 Atalanta
Menos de dez mil pagantes presenciaram a
quinta vitória consecutiva da Roma na temporada, incluídas partidas da
Serie A e da Coppa Italia. Na terça-feira, no Estádio Olímpico, os
giallorossi derrotaram, tranqüilamente, a Atalanta por 3 a 0 e avançaram
às quartas-de-final da Copa, aguardando o vencedor do confronto entre
Udinese e Fiorentina, que se enfrentam na quarta-feira que vem, em
Údine.

Zeman se deu ao luxo de deixar no banco de reservas alguns de seus
titulares, como Goicochea, Marquinhos, Leandro Castán, Tachtsidis e o
capitão Totti. O time da casa dominou os primeiros minutos de jogo, com a
Atalanta levando perigo em poucos contra-ataques. Aos 21 minutos, a
insistência romanista deu resultado e Pjanic, com um chute de fora da
área e uma falha de Consigli, abriu o placar. Dez minutos mais tarde, em
outra falha de Consigli, que saiu errado nos pés de Osvaldo, o
argentino ficou com a bola e empurrou para o gol. Aos 6 do segundo
tempo, Pjanic lançou Destro dentro da área, que abteu rasteiro e fechou a
contagem. (Thiéres Rabelo)

Parma 1 (3)-(4) 1 Catania

No outro jogo de quarta-feira,
um pouco mais de emoção: depois de um empate com boas ocasiões no tempo
regulamentar, os times decidiram a vaga nas cobranças de pênaltis. O
colombiano Dorlan Pabón foi o destaque do jogo, em sua primeira grande
atuação em solo italiano, mas não foi suficiente para o Parma sair com a
vitória. Menos de 10 minutos após seu gol, o Catania já havia
conseguido empatar a partida, com Lodi.

Depois dos dois gols, porém, a partida perdeu muito em qualidade e
foi jogada sempre em ritmo baixo. O segundo tempo não reservou nenhuma
jogada mais perigosa e até o juiz quis acabar logo com aquilo,
terminando a partida exatamente aos 45 minutos. Na prorrogação, uma bela
defesa do goleiro Frison entrou para os melhores momentos. Nas
penalidades, Barrientos errou para o Catania e Parolo e Paletta para o
Parma. Com o resultado, o Catania garante uma vaga nas quartas de final
contra Lazio ou Siena, que se enfrentam no próximo dia 19. (RA)

Deixe um comentário