Serie A

20ª rodada: Correndo por fora

Petkovic é o dono da bola: com trabalho digno de recorde, conduz a Lazio na briga pelo scudetto (La Repubblica)

Com mais um tropeço da Juventus, a Lazio está cada vez mais perto de um feito improvável: brigar pelo título da Serie A. Com orçamento menor do que as três grandes equipes da Itália – para efeitos de comparação, a equipe romana tem gastos com folha de pagamento do elenco equivalente à metade do que a Juve gasta -, e um técnico que ganha apenas 600 mil euros por ano, a Lazio surpreende não apenas pelos números e pela performance, mas também pela solidez que ganhou desde a chegada do técnico Vladimir Petkovic. Hoje não é absurdo pensar na equipe romana como a grande adversária da Juve na briga pelo scudetto. Acompanhe como o campeonato foi reaberto e o que de melhor aconteceu na 20ª rodada.

Lazio 2-0 Atalanta
Os tropeços da Juventus e as vitórias da Lazio reabriram o campeonato. Ao derrotar a Atalanta por 2 a 0, a equipe da capital diminuiu a vantagem bianconera para apenas três pontos. Durante todo o primeiro tempo, a Lazio não soube atacar a Atalanta, no Olímpico. Candreva estava mal e Lulic fazia péssima partida. Petkovic mudou o esquema ainda nos primeiros 45 minutos, mas não surtiu efeito e os dois times foram ao vestiário sem balançar a rede – e os visitantes, aliás, sequer deram trabalho a Marchetti.

No retorno, com Floccari e Cana nos lugares de Candreva e Lulic, respectivamente, os biancocelesti ganharam novo ânimo e aí, sim, começou a pressão em Roma. O gol, no entanto, saiu apenas aos 22 minutos: Radu fez boa jogada e cruzou rasteiro. Brivio desviou contra e a bola bateu no travessão. Na sequência, ela tocou no braço de Floccari, que empurrou para o fundo do gol. Controverso, discutível e validado. Brivio, em tarde infeliz, desviou o cruzamento de Mauri contra seu próprio patrimônio, tirando Consigli da ação. Com o resultado, a Lazio chegou a 42 pontos em 20 rodadas – o mesmo que conquistou em 1999-2000, quando se sagrou campeã italiana pela última vez. Na próxima rodada, a equipe romana encara o decadente Palermo, vice-lanterna; a Atalanta tenta se reencontrar com as vitórias diante do Cagliari, em Bérgamo. (Murillo Moret)

Parma 1-1 Juventus

Janeiro não está sendo um bom mês para a Juventus. Depois de perder para a Sampdoria no retorno do campeonato, na última semana, a Velha Senhora tropeçou novamente. Em uma partida muito equilibrada, Parma e Juve fizeram jogo morno no primeiro tempo, no qual o goleiro Mirante teve participação importante, nas duas chances criadas pela Velha Senhora. Nas ocasiões, em chutes de Quagliarella e Pirlo, o arqueiro formado na equipe de Turim fez duas defesas difíceis. No restante do jogo, o Parma lutava para manter sua invencibilidade em casa – é a única equipe da Itália que continua sem perder em seus próprios domínios. Méritos para o técnico Donadoni.

No segundo tempo, porém, Mirante não conseguiu defender uma cobrança de falta de Pirlo. Aos 7 minutos, o chute do meia acabou desviando em Biabiany e enganou o goleiro parmense. O organizado time do Parma, porém, reagiu e buscou muito o gol, que saiu depois que Sansone recebeu passe do zagueirão Paletta e bateu forte, sem chances para Buffon. Com o resultado, a Juve continua líder, com 45 pontos. O Parma, por sua vez, está na 9ª posição, com os mesmos 30 pontos da Udinese.

Napoli 3-0 Palermo

O Palermo não vence desde a última semana de novembro. Era difícil mesmo, então, passar pelo 3º colocado Napoli, no San Paolo. O time napolitano bateu o rosanero por 3 a 0 e pasmem: sem gol de Cavani – marcaram Maggio, Inler e Insigne. O Palermo não pode contar com Ilicic, suspenso, mas promoveu a estreia de Aronica e Dossena, ex-Napoli, entre os titulares, além do brasileiro Anselmo, ex-Genoa. Dossena testou De Sanctis após bom passe de Brienza e quase marcou o primeiro gol contra sua antiga equipe. Cavani reclamou de pênalti do ala, porém, Andrea Gervasoni nada marcou. A partida só saiu do zero quando Hamsík venceu a disputa com Barreto e cruzou para Maggio desviar para a rede. Na sequência, Inler aumentou a vantagem do Napoli com um golaço de fora da área.

No segundo tempo, Gasperini promoveu a entrada de Miccoli na vaga de Budan. O atacante só não diminuiu o placar porque Hamsík bloqueou o seu remate. A pressão do Palermo, contudo, sequer existiu. Sem forças para atacar, a equipe foi dominada pelo Napoli e ainda sofreu o terceiro tento, com Insigne, substituindo Pandev. Roberto Insigne, irmão mais novo de Lorenzo, que marcou o gol, fez seu debute na Serie A aos 43 minutos, quando entrou no lugar de Hamsík. Na próxima rodada, os napolitanos encaram a Fiorentina, no Artemio Franchi; o Palermo pega a Lazio. (MM)

Inter 2-0 Pescara
A Inter havia começado 2013 da forma que terminou 2012: perdendo. Contra o frágil Pescara, na abertura do segundo turno da Serie A, a equipe de Milão tinha a chance de se redimir, e conseguiu. Com gols de Palacio e Guarín, a Inter jogou para o gasto e fez 2 a 0 sobre o adversário, e dessa forma voltou a encontrar a vitória após três partidas. Cheia de desfalques, a equipe azul e preta de Milão foi a campo com uma formação nova, promovendo inclusive a entrada do jovem meio-campista Benassi, de 18 anos. A estreia do garoto foi boa e, por causa dele e de Guarín, a Inter ditou o ritmo do jogo, criando muitas chances de gol. Tudo isso sob os olhares de Sneijder, que, em busca da definição do seu futuro, assistia à partida das arquibancadas.

O primeiro gol da Inter surgiu aos 31 minutos de jogo. Chivu buscou passe em profundidade e, depois de corta-luz de Cassano, a bola sobrou para Palacio. O argentino girou bem e bateu no canto de Perin. A Inter ampliou aos 9 minutos do segundo tempo, depois de nova jogada de Palacio. Ele recebeu de Jonathan, driblou bem o zagueiro Terlizzi e ajetou para Guarín finalizar. Os donos da casa poderiam ter ampliado o placar diversas vezes, mas pecaram demais nas finalizações. Com o resultado, a Inter assumiu a 4ª posição. O Pescara se mantém na 16ª posição, com 20 pontos.

Udinese 3-1 Fiorentina
Mesmo em uma temporada aquém dos desempenhos anteriores, a Udinese de Guidolin segue forte no Friuli. Em 2012-13 a equipe bianconera perdeu em casa apenas uma vez, para a Juventus, que enfrentará na próxima rodada. Depois da vitória sobre a Inter, os bianconeri fizeram outra vítima da parte de cima da tabela: a Fiorentina. Quem abriu o placar, porém, foram os visitantes. Em bola levantada na área friulana, Rodríguez testou e a bola acertou na trave, mas Brkic teve azar, e marcou contra, quando a pelota acertou suas costas. Já no último lance da primeira etapa, Domizzi acabou empurrado por Migliaccio dentro da área, e Di Natale igualou o marcador.

Na volta do intervalo, uma Fiorentina mais agressiva e ofensiva pressionava uma Udinese acuada, sem saída, que passou a explorar os contra-ataques acionando os velozes Muriel e Di Natale. Assim, em dois passes de Lazzari, repetindo as duas assistências do último jogo, os atacantes bianconeri ampliaram para os anfitriões em dois minutos. No segundo gol, o goleiro Neto engoliu um frangaço, em chute defensável do colombiano. No fim, mais pressão da Viola, que não conseguiu diminuir a vantagem. Então sensação do campeonato, a equipe toscana chegou ao segundo revés seguido, e agora enfrentará, pela Coppa Italia, uma Roma que também vem em baixa.

Catania 1-0 Roma
Na Sicília, o nome do jogo foi o baixinho Alejandro Gómez, que marcou belo gol em uma das várias falhas defensivas da equipe de Zdenek Zeman. Bergessio e Gómez deram o que falar no Massimino, sempre alvos dos passes em profundidade e lançamentos nas costas da desorganizada defesa giallorossa. O gol único dos sicilianos ficou barato para os romanos, que viram Destro, Lamela e companhia desperdiçarem várias chances, consagrando o arqueiro Andújar.

De Rossi e Totti acompanharam a segunda derrota seguida da Roma no banco – o primeiro, novamente barrado por Zeman, e o segundo lesionado. Novos exames, inclusive, o descartam da partida de quarta, contra a Fiorentina. Com a vitória, o sempre irregular Catania, chegou aos 29 pontos, a seis da Fiorentina, a última na zona de classificação às competições europeias. (Arthur Barcelos)

Sampdoria 0-0 Milan
A falta de continuidade continua sendo o maior adversário do Milan nessa Serie A. Depois de vencer o Siena na última rodada e reascender as esperanças de que pode chegar perto das primeiras posições, o time de Milão mais uma vez decepcionou e não conseguiu sair do empate contra a Sampdoria, 15ª colocada no campeonato. E poderia ter sido pior: foi a equipe da casa quem mandou no jogo e chegou mais perto de vencer. O ponto conquistado pela equipe de Allegri pode ser colocado na conta do goleiro Abbiati, que teve grande atuação e foi decisivo para manter o placar zerado.

Destaque também para a revolução que Allegri fez no ataque milanês, escalando os três jovens Niang, Bojan e El Shaarawy juntos. E, surpreendentemente, foi o último que decepcionou. Il faraone, destaque do time na temporada, não conseguiu repetir as boas atuações e até foi substituído por Robinho no início do segundo tempo. A Sampdoria, apesar do resultado, continua em boa fase. Após vitória contra a Juve, na rodada passada, poderia ter vencido o Milan também e mostra evolução. A equipe de Delio Rossi saiu de dois jogos difíceis com bom saldo de quatro pontos. (Rodrigo Antonelli)

Bologna 4-0 Chievo
Após duas derrotas seguidas, o Bologna voltou a vencer e o fez com estilo. Os 4 a 0 sobre o Chievo marcaram uma das melhores atuações da equipe de Pioli no campeonato e garantiram três pontos importantes para o time se afastar da zona de rebaixamento. Jogando em casa, os rossoblù dominaram desde o início e logo aos 13 minutos de partida abriram o placar, com Kone. No fim do primeiro tempo, Gilardino desencantou e fez 2 a 0, aproveitando bom lançamento de Perez.

O atacante não marcava desde o dia 18 de novembro e quebrou o jejum logo com dois gols: aos 14 da etapa final, assinalou sua doppieta após aproveitar cobrança de escanteio de Diamanti. Com os 3 a 0 no placar, a equipe da casa diminuiu o ritmo e deu mais espaços para o Chievo, que chegou com perigo em pelo menos duas oportunidades, com Théréau e Paloschi. Os visitantes não conseguiram diminuir e ainda levaram outro gol antes do fim. Em jogada de muita raça, Gabbiadini ganhou do marcador e com a ponta do pé chutou no canto do goleiro Sorrentino, confirmando a goleada. Com 21 pontos, o Bologna é 14º colocado, enquanto o Chievo ocupa a 11ª colocação, com 24 pontos. (RA)

Cagliari 2-1 Genoa
No duelo dos desesperados, Cagliari e Genoa jogavam para não terminar a rodada na zona de rebaixamento. Os sardos vinham de uma péssima sequência, com apenas uma vitória em nove jogos, tal como os genoveses, que dos últimos trinta pontos disputados, somaram apenas oito. Sob muita chuva, o jogo ficou truncado e foi somente na segunda etapa que os gols saíram. Logo aos 3, Pisano aproveitou boa cobrança de escanteio de Bertolacci e abriu o placar para o Genoa. Mas nem houve muito tempo para comemorar. Sete minutos depois, Sau recebeu de Nainggolan pela esquerda, invadiu a área e bateu rasteiro, no canto de Frey.

Na sequência, a dupla Ibarbo-Sau deu muito trabalho para Frey. Na melhor chance, o colombiano avançou pela direita, cruzou e deixou Thiago Ribeiro sem goleiro para marcar, mas o brasileiro não alcançou a bola. Menos mal para o camisa 19 que já nos minutos finais, o capitão Conti marcou o tento da virada e de uma vitória importante, pois tirou o Cagliari da zona de rebaixamento pela primeira vez em seis rodadas e de quebra, deixou o Genoa em seu lugar. (Caio Dellagiustina)

Torino 3-2 Siena
Quem não vai sair tão cedo da zona de rebaixamento é o Siena. Amargando a lanterna com apenas 11 pontos, oito pontos abaixo do Cagliari (primeiro time salvo), o time viajou até Turin e não teve boa sorte. Aos 5, Brighi, o carrasco bianconero, marcou seu quinto gol contra o Siena na carreira. Aos 32, o Siena chegou ao empate, com gol de sorte do brasileiro Reginaldo, após cobrança de escanteio. Porém, minutos depois o matador Bianchi se movimentou bem e recebe, sozinho, o belo cruzamento de Birsa para, de cabeça, marcar o segundo. Ainda no primeiro tempo, já nos instantes finais, Cerci avançou desde o campo de defesa e até driblou o goleiro Pegolo para marcar o terceiro.

Sem Calaiò, negociado com o Napoli, a reação senese ficou complicada. No segundo tempo, os toscanos diminuíram com Paolucci já aos 31, e quase empataram: no minuto final, Brighi cometeu pênalti infantil em Della Rocca, mas Rosina, ex-jogador do Torino, acabou batendo para fora. Melhor para o Torino, que com os três pontos se afastam da zona da degola. (CD)

Deixe um comentário