Serie A

21ª rodada: Pogbamania

Pogba: o poder de decisão que vem do banco. Por enquanto (AP)

Mais uma vez, a Juventus contou com tropeços de suas adversárias para se distanciar na ponta do campeonato. Se nas últimas rodadas a Velha Senhora havia desperdiçado pontos, desta vez a equipe voltou a entrar nos eixos e jogou como Juve. O grande responsável pela vitória sobre a Udinese foi Pogba, que substituiu um machucado Pirlo, mas parece cada vez mais apto a ser titular do time, depois de outra incrível atuação. Resta a Conte pensar se ele deve mesmo entrar e no lugar de quem – visto que é um jogador versátil. Leia também sobre os empates de Lazio, Napoli, Fiorentina, Inter e Roma; além da vitória de um Milan em ascensão. No fundo da tabela, também teve mais uma demissão de técnico.

Juventus 4-0 Udinese
Parece que a Juve finalmente acordou para 2013. Depois de duas atuações bem abaixo da média e apenas um ponto conquistado, contra Sampdoria e Parma, a Velha Senhora reencontrou o bom futebol e venceu pela primeira vez no ano na Serie A. Contra uma Udinese muito tímida, que preferiu se fechar em seu campo, a equipe de Conte não teve dificuldades para impor um ritmo intenso do início ao fim do jogo. Enfrentando forte retranca, o gol não poderia ter saído de outro jeito: com chute de fora da área. A mais de 30 metros de distância do gol, Pogba acertou belo chute (que alcançou 101 km/h) no alto, deixando o goleiro Padelli sem chances.

Após o intervalo, Pereyra deu lugar ao gripado Di Natale. A Udinese, porém, não conseguiu mudar muito sua proposta de jogo e permaneceu sendo pressionada pelos donos da casa. Aos 21, então, Pogba apareceu de novo e acertou outro belo chute de fora da área, dessa vez rasteiro. Os 2 a 0 no placar obrigaram a Udinese a se abrir um pouco e a partida ficou mais fácil para a Juve, que marcou mais duas vezes, com Vucinic e Matri. Com o resultado, o time de Turim chega aos 48 pontos e abre cinco de distância para os perseguidores Lazio e Napoli. A Udinese, por sua vez, teve sua série invicta de seis jogos quebrada e continua no meio da tabela. (Rodrigo Antonelli)

Palermo 2-2 Lazio
Em jogo movimentadíssimo na Sicília, a Lazio mais uma vez mostrou força e organização, apesar do resultado não tão favorável. Com o empate, a equipe romana deixou a Juve aumentar a vantagem na liderança para cinco pontos, mas poderia ter sido pior. O jogo começou com o time de Petkovic tomando as ações e controlando bem os donos da casa. Logo aos 10 minutos, Floccari, substituindo Klose, aproveitou bobeira da zaga palermitana e fez 1 a 0. O próprio Floccari, melhor jogador em campo, teve um gol mal anulado poucos minutos mais tarde.

A partir daí, a Lazio se encolheu e passou a apenas se defender. A resistência biancoceleste durou até os 24 minutos da etapa final, quando Arévalo Ríos não teve dificuldades para aproveitar cruzamento de Dossena e empatar o jogo. E a Lazio sentiu o baque do gol. Um minuto mais tarde, a marcação desorganizada deu espaço para Ilicic e Miccoli criarem e tocarem para Dybala fazer o gol da virada. Antes de terminar, Floccari ainda teve tempo de sofrer falta dentro da área e presentear Hernanes com um pênalti. O brasileiro não errou e ajudou a Lazio a conquistar um ponto que mantém o time forte na briga para ser anti-Juve. (RA)

Roma 1-1 Inter
No jogo que fechou a rodada, no Olímpico, as duas equipes tiveram apenas 45 minutos de bom futebol. Muito prejudicadas pelo cansaço depois de jogarem prorrogações na Coppa Italia, Roma e Inter acabaram amargando um empate que pouco serviu para suas ambições. A Inter, bem desfalcada, se queixa menos pelo resultado, já que se manteve na 4ª posição, com 39 pontos. Já a Roma caiu para a 7ª, com 33 pontos, e viu a ultrapassagem do Milan acontecer.

 

Em campo, a Roma começou a toda velocidade, mas parava em Handanovic e em bom posicionamento da zaga azul e preta. No entanto, aos 21 minutos, Daniele Orsato viu pênalti inexistente de Ranocchia sobre Bradley. Totti converteu o gol da merecida vantagem romana. Depois de sofrer o gol, as ações se equilibraram um pouco mais e Livaja acertou a trave. Já nos acréscimos, após boa jogada de Guarín, Palacio marcou o gol do definitivo empate. No segundo tempo, nas poucas chances criadas pela Roma, Handanovic foi bem; e em outras duas Piris desperdiçou. A Inter, mais defensiva, chegou ainda menos. Na quarta, as duas equipes voltam a se enfrentar, pela ida das semifinais da Coppa Italia.

Fiorentina 1-1 Napoli
A Fiorentina ainda não conseguiu vencer em 2013. Em Florença, o time viola ficou no 1 a 1 com o Napoli de Cavani. A primeira meia hora de jogo foi bem conturbada, uma vez que saíram cinco cartões amarelos. Até ali, nenhuma equipe teve uma boa chance para vencer os goleiros até que Roncaglia fez lançamento longo, do meio de campo (!), e De Sanctis saiu mal do gol. Na confusão, o goleiro trombou com Britos e deixou a bola entrar. Ainda no primeiro tempo, Cavani bateu falta e Neto fez boa defesa. O arqueiro da Fiorentina, contudo, não conseguiu salvar uma forte cabeçada do uruguaio, em assistência de Hamsík. Este foi o 100º gol de Cavani na Serie A, 66 deles com a camisa napolitana.

O Napoli só não virou a partida, na etapa final, porque Neto não deixou. Aliás, o goleiro brasileiro virou titular, mesmo com o frango da semana passada, uma vez que Viviano, ex-selecionável da Squadra Azzurra e torcedor confesso da Fiorentina, não impressionou jogando por seu clube do coração. No fim do jogo, Inler e Pandev não conseguiram passar por Neto e dar a vitória aos partenopei, que não conseguiram diminuir a distância da Juventus. O Napoli, com 43 pontos, é vice-líder ao lado da Lazio e encara o Parma na próxima rodada; a Fiorentina, 5ª colocada, pega o Catania na Sicília. (Murillo Moret)

 

Milan 2-1 Bologna

Desde a 8ª rodada, nenhuma equipe soma tantos pontos quanto o Milan. Apesar de impressionar pouco, os rossoneri estão em alta desde meados de outubro e, pela primeira vez no campeonato, encostaram na zona de classificação para competições europeias – está apenas dois pontos atrás da Fiorentina, quinta colocada. Com isso, Allegri afastou e muito as dúvidas sobre seu futuro – ao menos até o fim da temporada.

 

Contra o Bologna, o Milan decidiu a partida apenas no segundo tempo, com dois gols de Pazzini – que já havia marcado três no primeiro turno contra os bolonheses. O segundo gol, nos minutos finais, foi uma pintura: o atacante ainda chapelou Portanova antes de fuzilar Agliardi. Agora, a dupla formada por ele e El Shaarawy é a mais prolífica no campeonato, com 24 gols marcados – mesmo número que Cavani e Hamsík. O Bologna ainda diminuiu com gol contra de Mexès, mas não adiantou.

Genoa 0-2 Catania

No Marassi, mais um tropeço do Genoa em casa. Tropeço que acabou custando a cabeça de Luigi Delneri, que em 13 jogos viu sua equipe perder 9 vezes, empatar 2 e vencer outras 2. Muito pouco para quem assumiu com a tarefa de ao menos conseguir fazer uma temporada sem sustos. Davide Ballardini volta à Ligúria depois de dois anos, sem muitas perspectivas de melhoras, mas com a obrigação da salvezza.

Com a bola rolando, logo no primeiro lance ficou a sensação de que Genoa e Catania fariam um jogo movimentando, depois que Borriello desperdiçou uma chance em cruzamento de Olivera. Desperdício que viria custar caro posteriormente, já que pouco depois o time siciliano abriu o placar em boa trama com seu trio ofensivo, quando Barrientos lançou Gómez nas costas da defesa. O argentino apenas ajeitou para Bergessio, livre de marcação dentro da área, completar. Na pressão grifone, o time de Maran aguentava firme e levava perigo em contra-ataques esporádicos. Num deles, já no final, Izco arrancou pelo meio e serviu Barrientos, livre pela direita, que chutou colocado no canto de Frey e manteve o Catania na parte alta da tabela. (Arthur Barcelos)

Chievo 1-1 Parma

Jogo de pouca emoção no Vêneto. Com um ótimo aproveitamento em casa (a única equipe que ainda não perdeu em seu território), o Parma de Donadoni não costuma fazer muito fora do Tardini. Mesma situação do irregular Chievo, que sempre fazendo campanhas seguras, sem sustos. Taticamente, ambas as equipes foram a campo no 3-5-2, e com uma postura de falta de ousadia e agressividade. Com tanta igualdade, nada mais justo que um empate.

Na primeira etapa, quem criou as principais chances foram os donos da casa, que levaram perigo em contra-ataque no início de jogo, desperdiçado por Théréau. Pouco efetivo no ataque, o Parma surpreendeu quando na sua única finalização “certa”, abriu o placar com o garoto Belfodil após passe de Sansone, já nos minutos finais. Na etapa final, logo no início, outro jovem valor determinou o resultado final: em bola levantada na área, Paloschi levou a melhor no cabeceio e encobriu Mirante. E foi só. (AB)


Pescara 0-2 Torino
 

A terceira vitória do Torino nos últimos quatro jogos veio fora de casa, em pleno estádio Adriatico, ante o Pescara e garantiu ainda mais tranquilidade para os comandados de Ventura. Sem poder contar com o matador Bianchi, substituído pelo estreante Barreto, coube ao ex-romanista Cerci ser o protagonista da bela vitória por 2 a 0 sobre o time do Abruzzo. O triunfo começou a tomar forma logo aos quatro minutos, quando Cerci acertou bom cruzamento e Santana apareceu, em posição duvidosa, para abrir o placar. Com pouca inspiração de Jonathas e Celik, o time do Pescara pouco pressionou o goleiro Gillet. Já no final do primeiro tempo, a tabela entre Cerci e Meggiorini, deixou o camisa sete na frente de Perin para marcar o segundo gol. 

 

Nem mesmo as entradas de Abbruscato e Cascione melhoraram a eficiência ofensiva do Pescara, que ainda viu Weiss ser expulso na segunda etapa, depois de duas tentativas de simulação de falta. Com a derrota, o time azul e branco é o primeiro time fora da zona de rebaixamento, com 20 pontos, três a mais que o Genoa, enquanto o Torino subiu para a 11ª colocação, com 26 pontos. (Caio Dellagiustina)

Siena 1-0 Sampdoria

Depois de seis derrotas consecutivas, enfim o Siena venceu. A primeira vitória de Giuseppe Ianchini no comando do time bianconero veio através de uma regular atuação da equipe toscana, ante uma Sampdoria irreconhecível perante aquela que venceu a Juventus. Depois de um primeiro tempo sem emoções, o Siena voltou para a segunda etapa disposto a ainda poder sonhar com a permanência, mas o trio Reginaldo, Paolucci e Rosina pouco produziu.

Sem ainda poder contar com o recém-contratado Pozzi, o treinador Ianchini apostou em Bogdani. E bastaram oito minutos em campo para que o albanês deixasse sua marca. Após cruzamento de Sestu, o atacante subiu mais que seu marcadore cabeceou no canto do goleiro Romero. Uma das poucas vitórias do Siena na competição pode ter sido o fio de esperança que faltava para que o time embale e se livre do rebaixamento, apesar de ainda estar a seis pontos do Pescara, primeiro time livre. A torcida, por sua vez, vaiou o time – por causa, sobretudo, das saídas de Calaiò e Larrondo. Já a Sampdoria espera repetir as boas atuações contra Juventus e Milan para voltar a vencer e subir na tabela. (CD)

Atalanta 1-1 Cagliari
A neve no Azzurri d’Italia atrasou a partida entre Atalanta e Cagliari por 30 minutos. Com a bola rolando, bastaram dois para Canini se enrolar com a bola, após cruzamento de Sau, e marcar gol contra. A equipe da casa entrou em campo toda remendada, pois não contava com Lucchini, Schelotto, Marilungo, Capelli e Bellini, além de ter as baixas dos suspensos Carmona e Raimondi. Giorgi, fazendo sua estreia pela Atalanta, quase empatou a partida na sequência, mas a bola passou ao lado da meta. Denis teve a chance de igualar o marcador no fim do primeiro tempo, depois de um cruzamento realizado por Moralez. No entanto, Pisano, posicionado em cima da linha do gol, salvou o Cagliari.

O empate saiu na etapa final, com Stendardo, que desviou o escanteio de cabeça e venceu o goleiro Agazzi. A expulsão de Giorgi no minuto 35 quase foi um desastre para a Atalanta, que viu o Cagliari dominar a partida e pressionar em busca da vitória. Conti, de bicicleta, quase deu os três pontos ao time da Sardenha, mas a bola passou por cima da meta de Consigli. O resultado final foi péssimo para o Cagliari, que permanece na 17ª colocação, três pontos a frente do Genoa, primeiro time na zona do rebaixamento. Na próxima rodada, ainda encara um Palermo quase em alta, em casa. A Atalanta está na 13ª posição, com 23 pontos, e pega o Milan, em Bérgamo. (MM)

 

Relembre a 20ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.


Seleção da rodada

Handanovic (Inter); Dossena (Palermo), Marquinhos (Roma), Bonucci (Juventus), Constant (Milan); Izco (Catania), Pogba (Juventus), Cerci (Torino); Vucinic (Juventus), Pazzini (Milan), Floccari (Lazio). Técnico: Rolando Maran (Catania).

Deixe um comentário